Semana On

Domingo 29.nov.2020

Ano IX - Nº 421

Coluna

Pílulas de reflexão libertária

Um olhar libertário sobre a mesmice da política partidária.

Postado em 18 de Fevereiro de 2016 - Bruno Lima Rocha

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Conversando com muita gente comprometida como militante e ainda se reivindicando marxista nota-se uma lacuna de projeção de poder. Quem está na esquerda marxista não defende mais - ao menos não publicamente - a política de partido único e menos ainda propõe uma forma de democracia de tipo socialista. Logo pela força dos fatos, terminam compondo "taticamente" uma defesa da democracia liberal ou aderindo mesmo, caso dos social democratas e estalinistas. Para o anarquismo é tranquilo pois defendemos um pluripartidarismo de esquerda sem monopólio da representação pelas organizações políticas. Logo, nesta nova série, fica a dúvida: qual a proposta real da ainda restante esquerda marxista quando se trata de institucionalização de poder em uma nova sociedade. O maoísmo peruano já prestou seu desserviço para a causa dos povos latino americanos pois praticou a política de partido único e representação única por setores sociais e reprimiu outras forças populares onde eram hegemônicos. Parece que após a década de '80 este é um tema oculto dos debates políticos e isso aparenta ser de propósito. Está aberto o debate e sigo no mesmo tema em outras oportunidades.

 

Para não esquecer e jamais perdoar.

Empresários que apoiaram o golpe de 64 construíram grandes fortunas com dinheiro público

Leia mais AQUI.

 

Chantagem

Os chantagistas continuam. Independente da posição política no ambiente doméstico é preciso entender o papel de coação que estas agências fazem. Não se trata de análise de risco alguma e sim uma forma de constrangimento de modo a que os países se subordinem aos desígnios dos operadores da jogatina financeira. Qualquer semelhança com a Troika européia e o acionar do FMI na América Latina dos anos 80 e 90 não é nenhuma coincidência. Estas agências devem ser permanentemente combatidas assim como seus papagaios vira latas nacionais, mídia e pretensos especialistas de receita de bolo pré fabricado incluídos. Leia mais AQUI.

 

Anarquismo

Baita livro e tremenda narrativa. A história da FAU é fantástica, ainda mais se escrita através do amigo e companheiro Ricardo Rugai. Rugai é a melhor versão contemporânea da tradição de luta em Santos, outrora a Barcelona brasileira. Leia mais AQUI.


Voltar


Comente sobre essa publicação...