Semana On

Domingo 15.dez.2019

Ano VIII - Nº 375

Coluna

Reality show LGBT Glitter retorna em novo formato

A fórmula é a mesma, mas agora programa passa na Internet.

Postado em 03 de Dezembro de 2015 - Guilherme Cavalcante

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Não tem mais espera, babies, o primeiro reality show LGBT do Brasil chegou a sua terceira edição, e agora no formato websérie, ou seja, não tem mais que correr o mundo para encontrar um link no youtube com os vídeos da TV Diário, emissora cearense que exibiu a primeira e gloriosa edição de 'Glitter'. O programa estreou na Internet no último dia 30 de novembro, ainda sem a mesma repercussão dos anteriores, mas é algo para ficarmos de olho, claro. Vai que aparece alguma 'bicha destruidora', né?

A host do show continua sendo a trans Lena Oxa, uma decana da noite LGBT no Ceará. Diferentemente das duas primeiras edições (Em busca de um sonho e Olimpíadas), esta está focada na comédia. "Este é o Glitter da comédia, procuramos candidata que fossem engraçadas, porque queremos que cada edição seja temática", explica Oxa.

Para quem não conhece o programa, posto logo abaixo uma palhinha da primeira edição. Daí você tira as próprias conclusões.

Tá bom pra você? Enfim, é óbvio que o baixo orçamento e amadorismo da produção disputam a atenção do expectador com o que há de aproveitável em Glitter, o humor e os possíveis memes. Porém, o programa é tão honesto para aquilo que se propõe que é fácil entender como são eles que fazem de Glitter a coisa mais sui generis que você já viu alguma vez na televisão.

O que me deixou com o coração na mão é que já no primeiro episódio da atual versão a candidata mais engraçada saiu. A Rainha Emo Gótica Vampira e Roqueira foi eliminada. Intriga da oposição, eu acho. Abaixo você vê o primeiro programa completo.

E aqui uma palhinha da Rainha Emo, que tem tudo para retornar 'das trevas' na repescagem.


Voltar


Comente sobre essa publicação...