Semana On

Domingo 25.ago.2019

Ano VII - Nº 360

Comportamento

Remoção de tatuagem é cara e pode deixar marcas

Técnica melhorou nas últimas décadas.

Postado em 05 de Novembro de 2015 - Redação Semana On

Até 50% dos tatuados gostariam de voltar atrás, segundo estudo da revista médica inglesa Até 50% dos tatuados gostariam de voltar atrás, segundo estudo da revista médica inglesa "Lancet".

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Ninguém faz uma tatuagem já pensando em se submeter a um monte de sessões doloridas de laser e gastar um bom dinheiro para retirá-la. Mas arrepender-se é comum: até 50% dos tatuados gostariam de voltar atrás, segundo estudo da revista médica inglesa "Lancet".

Felizmente, a remoção melhorou muito nas últimas décadas. Lasers ultrarrápidos apagam melhor e com menos sessões as tatuagens, especialmente as coloridas, que dão mais trabalho.

O processo, porém, está longe de ser fácil. Costuma doer, custa caro – chegar até R$ 3 mil –, há risco de cicatrizes e não é possível afirmar que a retirada será completa, diz Valeria Campos, assessora do departamento de laser da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

"As tatuagens amadoras, como aquelas feitas em presídios ou mesmo na praia, saem mais facilmente porque são superficiais. Já as profissionais nem sempre podem ser removidas totalmente. Mesmo com lasers mais modernos não podemos garantir 100%", afirma.

Dicas

Para evitar uma remoção – ou sofrer o menos possível com ela –, as dicas dos dermatologistas são:

1) Por mais óbvio que possa parecer, pense bem antes de tomar a decisão;

2) É preferível fazer tatuagens pretas, mais fáceis de serem apagadas com o laser;

3) Pense ainda mais sobre tatuar o nome de namorados ou namoradas, e prefira fazer esse tipo de tatuagem com tinta preta, pelo motivo acima.

Como se casos notórios de celebridades que tatuam e depois removem os nomes dos amados não servissem de exemplo, apagar esse tipo de lembrança é o pedido campeão nos consultórios, segundo Campos. "Mas, cada vez mais, os nomes mais tatuados têm sido os dos filhos."

Gabriel Gontijo, presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia, diz que a maioria dos pedidos de remoção de tatuagem acontece depois dos 40 anos, quando as pessoas deixam de se identificar com o desenho. "A caveira fica meio murcha, a orquídea já não tem a mesma cor..."

Alergia

Mas, se fazer uma tatuagem envolve riscos (como infecções, contaminações por meio da tinta e alergias), a remoção não está isenta deles.

Segundo estudo da revista médica "Lancet", sabe-se pouco sobre o "destino" fisiológico ou toxicológico dos pigmentos da tatuagem depois do uso do laser.

"Quando você mexe na tatuagem, pode expor mais o organismo à tinta e acabar gerando uma alergia", diz Valéria Campos. Nesse caso, o recomendável é continuar a retirada até o fim e usar medicamentos contra a reação.

O interessado em remover uma tatuagem também precisa estar ciente que o desenho pode ficar escuro antes de ser retirado, nas primeiras sessões. E que pode doer bastante, a ponto de precisar até de anestesia injetável.


Voltar


Comente sobre essa publicação...