Semana On

Segunda-Feira 21.set.2020

Ano IX - Nº 411

Coluna

Missão Nova York realizada com sucesso

O que fazer durante 5 dias na Big Apple com pouco dinheiro.

Postado em 23 de Outubro de 2015 - Débora Bordin

Turista que é turista tira foto com a Estátua da Liberdade ao fundo.<br>Arquivo pessoal Turista que é turista tira foto com a Estátua da Liberdade ao fundo.
Arquivo pessoal

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Acabo de voltar de uma viagem de 5 dias em Nova York com uma amiga. Foram dias de deslumbre e... pouca grana. Vivo dizendo que sou viajante e tal, mas dessa vez fui turista mesmo. Não tem como não ser turista naquela cidade onde tudo respira turismo. E um turismo caro, se convertermos o dólar para a cotação atual (oscilando na casa dos 4 reais). Mas como diz o ditado, quem converte não se diverte. E como a viagem já estava marcada há muito tempo, o jeito era realizar a missão da melhor forma.

Lá em NY você paga até para tirar foto. Sim! Invente de tirar foto com os caras vestidos de YMCA na Times Square. Prepare-se para a "propina", como eles falam. Acho que eles acham que português e espanhol é a mesma coisa.

Bem, falemos sobre o que dá pra fazer sem gastar tanto a ponto de querer vender a alma para pagar o cartão de crédito:

- Hospede-se em hostel e, se for seu intuito, o mais próximo da Times Square porque lá é onde o bicho pega. Os banheiros dos hostels são compartilhados, mas você economiza a metade da grana que pagaria num hotel. Fora que todo dia acontece uma história nova pra contar e rir depois. Tenho várias! Qualquer dia conto algumas numa mesa de boteco ;)

- Não tenha preguiça de andar. Coloque o seu sapato mais confortável e saia batendo perna sem dó. O cartão do metrô pra uma semana sem limites de viagem custa 30 dólares, mas você vai perder de viver muita coisa se ficar enfiado no metrô a toda hora. E, acredite, se andar, andar, andar você chega onde quiser. Experiência própria, rsrs;

- Coma comida de rua ou procure promoções. Tem hot dog a U$ 1,75 nos food trucks espalhados por todos os lados (mas quanto mais perto de alguma atração, mais caro). E tem umas lojas de pizza na Broadway e em outros endereços bacanas que vendem dois pedaços de pizza (grandes e deliciosos) e um refri por 2,75. Um pedaço sai por 0,99. Fora as promoções nos pubs e restaurantes: um sanduba e uma cerveja por 10 dólares, por exemplo. É vantagem, já que uma cerveja custa entre 8 e 11 dólares, dependendo do lugar e da marca;

- Procure panfletos com desconto. Nos hotéis, hostels e até distribuídos na rua dá pra encontrar panfletos com desconto para espetáculos, entrada de atrativos, city tours e etc. Só descobrimos isso no final, mas está valendo a dica;

- Se tiver uma graninha a mais, faça os city tour "hop-on hop-off". A partir das 9:00 você pode passear em ônibus turístico por todos os pontos interessantes da cidade, descer pra conhecê-los e pegar outro ônibus depois, que faz a última parada às 20:00. Tem opções de 1, 2 ou vários dias. Fizemos o de 2 dias com direito ao barco que nos levou até a Estátua da Liberdade e ainda ganhamos o terceiro dia de ônibus na faixa (U$ 62,00 por cabeça, mas muito bem aproveitados). Isso nos rendeu Downtown e Uptown (duas regiões distintas de Manhattan). Podíamos ter ido também ao Brooklyn com esse voucher, mas preferimos voltar a lugares que gostamos porque o tempo era curto;

- Vá a lugares públicos. Passear no Central Park (e de quebra conhecer o memorial John Lennon e muitas outras coisas) é de graça, andar nos arredores ou sentar para olhar as luzes da Times Square é de graça, apreciar o pôr-do-sol nos piers do rio East é de graça, atravessar a ponte do Brooklyn também, tirar fotos dos pontos turísticos por fora é de graça, passear pelo High Line (um jardim suspenso no Chelasea) e lá por perto dar uma passada no Chelsea Market para comer e conhecer o mercado é de graça. Tem também o Museu de História Natural que é quase de graça, porque você paga só o que quiser. Se quiser dar 50 cents, ok. Além disso e de muitas outras coisas você também pode andar pela Wall Street e tirar foto com o Charging Bull, aquele touro famoso.

Nova York é uma metrópole cosmopolita cheia de coisas a descobrir. Dessa vez só deu tempo (e dinheiro) para fazer o clássico. E nem o clássico completo, aliás. A dica maior é gastar um tempinho para fazer o seu roteiro, pesquisar, perguntar para os amigos que já foram, ler em blogs e sites de turismo sobre o destino. Aí você faz o que achar mais atrativo. Porque, olha, atrativo é o que não falta na cidade que nunca dorme.


Voltar


Comente sobre essa publicação...