Semana On

Sábado 24.ago.2019

Ano VII - Nº 360

Comportamento

Não case tão cedo e nem tão tarde

Pesquisas mostram que as taxas de divórcio caem bastante entre casais que formalizam a união nos vinte e tantos, nem mais e nem menos.

Postado em 15 de Outubro de 2015 - Redação Semana On

Casar cedo ou tarte? Casar cedo ou tarte?

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Casais mais velhos normalmente tendem a ter uma relação mais equilibrada. Afinal, com a idade vem a experiência e a tolerância nos relacionamentos, além de um equilíbrio na vida profissional e financeira. Por isso não é de se estranhar que as taxas maiores de divórcio são as de casais mais novos. Mas a progressão idade x felicidade no casamento só desce até um certo ponto.

De acordo com uma nova análise de dados, o risco do divórcio cai com a idade - mas só até os 30 anos. Depois dos 30, a chance de que o casal se separe é maior do que entre os que se casam no fim dos 20 anos. Antes dos 30, cada ano que passa diminui a chance do divórcio em 11%. Mas depois dos 32 anos, a chance do divórcio aumenta em 5% ao ano. 

Ou seja, a sabedoria popular está certa só até um ponto. Segundo os psicólogos da Universidade de Utah, responsáveis pelo estudo, a tendência de um relacionamento estável no fim dos 20 anos e maiores riscos de divórcio depois dos 30 se manteve mesmo quando outras variáveis eram consideradas, como nível educacional do casal, etnias, religiões, tamanho da cidade onde vivem e número de parceiros sexuais anteriores. 

O motivo disso? Os cientistas suspeitam que pode ser porque pessoas mais velhas que não se casam ficam acostumadas com a solteirice. Aí, uma vez que juntam os trapos, não conseguem viver em casal. 


Voltar


Comente sobre essa publicação...