Semana On

Quinta-Feira 03.dez.2020

Ano IX - Nº 421

Coluna

Xingu

Uma experiência sobre a vida, o universo e tudo mais...

Postado em 21 de Agosto de 2015 - Danilo Custódio

Este colunista, no Xingu.
<br>Foto: Bruno Gallerani Este colunista, no Xingu.
Foto: Bruno Gallerani

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Acabo de retornar da experiência mais marcante que já me aconteceu. Foram 18 dias dentro do Parque Indígena Xingu, onde vivi acontecimentos que me transformaram profundamente. No processo de documentar a Expedição Xingu, acabei registrando tudo com o mesmo olhar de qualquer outro caraíba que se atira por lá. Com o tempo, a intimidade que se cria permite outros olhares, mais sinceros. O termo caraíba vem do tupi Kara'ib (sábio, inteligente), utilizado para se referir ao povo ou indivíduo falante do grande grupo linguístico e cultural que habitava o norte e nordeste da América do Sul. Hoje, os xinguanos usam essa palavra para se referir ao homem branco de forma ainda mais generalizada. Nesses dias após o retorno, no conforto de casa, analisando as possibilidades do material bruto que tenho em mãos, só consigo pensar na sinceridade da representação. Minha principal referência é o As Hiper Mulheres, de Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takumã Kuikuro. Aliás, nada mais sincero do que o olhar do índio sobre o próprio índio. É a cultura brasileira como você nunca viu.

 

O pequeno príncipe

Com passagem marcante pelos mais importantes festivais do universo conhecido, como Toronto e Cannes, o filme de Mark Osborn chega ao Brasil de forma modesta, estreando nas salas tupiniquins sem a pretensão das super produções hollywoodianas. Isso me fez pensar que os produtores franceses são mais respeitosos com o mercado dos outros. Ou, talvez, apenas menos endinheirados. Não sei. Sei apenas que O Pequeno Príncipe é, sem a menor sombra de dúvida, a melhor opção dos cardápios cinematográficos dos multiplex Brasil afora. Bora se programar pra ver?

 

Veneza online

Foi noticiado na fã-page da Ancine que o Festival de Veneza vai disponibilizar parte de sua programação para visualização online, por streaming, em parceria com o site Festival Scope. Uma ótima oportunidade para ver bons filmes no conforto de sua casa, tudo inédito. Nessa edição de Veneza, dois longas brasileiros farão suas estreias mundiais: Boi Neon, de Gabriel Mascaro, e Mate-Me por favor, de Anita Rocha da Silveira. Ambos estarão disponíveis para consumo através da plataforma.

 

Ideias e olhares

Quando passei a estudar cinema, me deparei com diversas reflexões. Como afirmou Ebert, um filme se faz com ideias e olhares. Essa questão foi debatida por grandes mestres da fotografia, função que mais exige domínio técnico e olhar artístico dentro da realização audiovisual. A mesa Caminhos da Cinematografia: o ofício fechou o primeiro dia da Semana ABC 2015, que aconteceu em maio na Cinemateca Brasileira em São Paulo. Uma aula sobre cinema. Confira!

 


Voltar


Comente sobre essa publicação...