Semana On

Segunda-Feira 24.fev.2020

Ano VIII - Nº 381

Poder

Mais de 200 cidades aderem a protesto contra Dilma, dizem organizadores

Movimentos anti-impeachment responderão na quinta.

Postado em 14 de Agosto de 2015 - Redação Semana On

Para este domingo, São Paulo é o Estado com o maior número de municípios participantes, 71. Para este domingo, São Paulo é o Estado com o maior número de municípios participantes, 71.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Ao menos 234 cidades no Brasil e no exterior devem organizar protestos contra a presidente Dilma Rousseff no próximo domingo (16), segundo os organizadores. O número representa uma redução em relação às últimas manifestações, em 12 de abril, quando 407 cidades eram contabilizadas na véspera.

Para este domingo, São Paulo é o Estado com o maior número de municípios participantes, 71. Na capital, os manifestantes ficarão na avenida Paulista e deverão levar cerca de dez carros de som.

Os principais grupos articuladores dos protestos são o Movimento Brasil Livre (MBL), Vem Pra Rua e Revoltados On Line. Grupos que defendem a intervenção militar, como a União Nacionalista Democrática (UND) e Pátria Amada Brasil, também terão seus carros no ato.

Anti-impeachment

Também neste domingo, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) organiza um abraço coletivo "em defesa da democracia", na frente do Instituto Lula, no bairro do Ipiranga, em São Paulo.

Na quinta (20) movimentos sociais organizam manifestações em dez capitais brasileiras. Na semana passada, o PT convocou sua militância a comparecer nesses atos para protestar contra "a ofensiva da direita" e defender a permanência de Dilma no poder.

Representantes de movimentos sociais, porém, alegam que os atos não serão pró-governo.

"Somos contra o golpismo porque pôr o Temer ou o Cunha na presidência não é solução para nada, mas esse não é um movimento de 'Viva a Dilma'. Somos contra o ajuste fiscal promovido pelo governo e também contra esse descalabro que é a Agenda Brasil [conjunto de propostas apresentadas pelo PMDB ] ", afirma Gulherme Boulos, representante do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Nesta semana, o PT organizou uma série de eventos para se contrapor às manifestações de domingo. Na terça-feira (11), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva viajou a Brasília para participar da abertura da Marcha das Margaridas, voltada para trabalhadoras rurais. Nesta sexta (14), ele retornou à capital federal para se encontrar com lideranças do partido e educadores para defender o tema que vem destacando como vital para o PT retomar o elo com sua base, a educação.


Voltar


Comente sobre essa publicação...