Semana On

Segunda-Feira 16.dez.2019

Ano VIII - Nº 375

Comportamento

Aplicativos reúnem pessoas com interesses comuns

Mercado da paquera seletiva cresce na internet.

Postado em 07 de Maio de 2015 - Redação Semana On

A noção de que os opostos se atraem está sendo questionada por novos sites e aplicativos de namoro voltados para públicos segmentados. A noção de que os opostos se atraem está sendo questionada por novos sites e aplicativos de namoro voltados para públicos segmentados.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A noção de que os opostos se atraem está sendo questionada por novos sites e aplicativos de namoro voltados para públicos segmentados. Agora, em vez de procurar em um mar de pretendentes oferecidos por ferramentas tradicionais como o "Tinder", você pode entrar no site "Coroa Metade" se tem mais de 40 anos. Se tem sobrepeso ou obesidade, pode se cadastrar no "Amor de Peso", para pessoas com índice de massa corporal (IMC) acima de 29.

Gays, funcionários públicos, pessoas que procuram relacionamento casual ou então que não querem saber de pegação já têm opção de site ou aplicativo específico – o mercado da paquera seletiva só cresce.

O grupo Match.com, responsável pelo "Tinder" e pelo "Par Perfeito", já lançou no Brasil o "Divino Amor", para evangélicos, e o "G Encontros", para gays. Juntos, os dois sites ganham 60 mil novos usuários por mês. "Segmentar é uma tendência não só na América Latina, mas nos EUA e na Europa", diz Gaël Deheneffe presidente do grupo Match.com para a América Latina.

Pegando carona na segmentação, a jornalista Paola Canella se juntou a quatro amigos para criar o 40street, segundo ela, um "facilitador de encontros para quem tem mais de 40 anos". O aplicativo, gratuito, será lançado no dia 30 deste mês. A fanpage no Facebook tem mais de 27 mil seguidores.  "Você fica mais seletivo depois dos 40. Em uma ferramenta assim a pessoa já sabe o que vai encontrar", diz.


Voltar


Comente sobre essa publicação...