Semana On

Quarta-Feira 16.out.2019

Ano VIII - Nº 367

Mato Grosso do Sul

Ministério da Saúde faz visita técnica para habilitar UPA de Dourados

Unidade atende em média 500 pacientes por dia.

Postado em 01 de Maio de 2015 - Redação Semana On

O técnico do Ministério da Saúde Lucas Vilela (de barba) durante visita na UPA, acompanhado por diretores da unidade e da Funsaud. O técnico do Ministério da Saúde Lucas Vilela (de barba) durante visita na UPA, acompanhado por diretores da unidade e da Funsaud.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O Ministério da Saúde fez na última quarta-feira (29) uma visita técnica à Unidade de Pronto Atendimento Médico (UPA) 24 Horas de Dourados. O trabalho faz parte do processo de habilitação e qualificação da unidade.

Lucas Santiago Vilela, analista técnico da Coordenação Geral de Urgência e Emergência da Secretaria de Atenção à Saúde – órgão do Ministério da Saúde – passou a manhã na UPA. Acompanhado de médicos, enfermeiros e diretores da unidade e da Fundação de Serviços de Saúde de Dourados (Funsaud), ele percorreu todas as dependências, conheceu os locais de atendimento de pacientes, vistoriou e fotografou equipamentos e agora vai fazer um relatório sobre a visita.

Apesar de a UPA de Dourados funcionar desde o ano passado, a Prefeitura ainda não recebe recursos do Ministério da Saúde para custear as despesas e todos os gastos são pagos com dinheiro do próprio município. Com a habilitação e qualificação da UPA, Dourados deve receber R$ 300 mil mensais para as despesas de atendimento. A unidade atende em média 500 pacientes por dia.

AVALIAÇÃO

Após percorrer todas as dependências da UPA, tirar dúvidas sobre o funcionamento e fazer algumas recomendações, Lucas Santiago Vilela se reuniu com os diretores e afirmou ter ficado impressionado com o bom funcionamento da Unidade de Pronto Atendimento. Segundo ele, a situação encontrada em Dourados é bem diferente da maioria das cidades brasileiras em que fez uma vistoria semelhante.

O diretor clínico Antonio Flávio Bichof explicou ao técnico as medidas adotadas para o funcionamento da UPA, principalmente para agilizar o atendimento e o diagnóstico dos pacientes que chegam à unidade. Segundo ele, a maioria dos casos é resolvida no tempo máximo de 12 horas e a pessoa volta para casa ou é encaminhada para um dos hospitais de referência, com o diagnóstico fechado.

Funcionamento

A UPA de Dourados funciona conforme as regras do Ministério da Saúde e adota o sistema de classificação de risco para determinar quais pacientes são atendidos primeiro. A ordem é estabelecida com base na urgência daqueles em situação mais grave.

Quando o paciente chega à UPA 24h é preenchida a ficha de identificação e ele é encaminhado para a sala de classificação de risco, onde uma equipe qualificada faz a primeira consulta para determinar a urgência do caso. A partir dessa avaliação, o paciente é identificado com pulseiras coloridas que indicam esta gravidade.

As pulseiras são nas cores azul, verde, amarelo e vermelho. Os casos identificados com a cor azul são aqueles que não caracterizam de urgência ou emergência e que podem ser atendidos em outros serviços de saúde. O verde é caso sem gravidade e que pode esperar pelo atendimento, já que não existe risco de morte.

A pulseira amarela é oferecida aos pacientes que precisam de um atendimento com prioridade e a pulseira vermelha é para o paciente que não pode esperar e necessita de um atendimento imediato. Pacientes classificados com pulseiras amarela e vermelha passam a frente de todos quando precisam de atendimento. O sistema é determinado pelo Ministério da Saúde.


Voltar


Comente sobre essa publicação...