Semana On

Sexta-Feira 20.set.2019

Ano VIII - Nº 364

Poder

PF pede à Justiça que presos da Lava Jato sejam transferidos para presídio

Carceragem da PF em Curitiba abriga atualmente 19 presos da operação.

Postado em 20 de Março de 2015 - Redação Semana On

A Polícia Federal (PF) pediu ao juiz federal Sergio Moro, nesta sexta-feira (20), a transferência de 15 presos da Operação Lava Jato para o sistema prisional do Estado do Paraná. A Polícia Federal (PF) pediu ao juiz federal Sergio Moro, nesta sexta-feira (20), a transferência de 15 presos da Operação Lava Jato para o sistema prisional do Estado do Paraná.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Polícia Federal (PF) pediu ao juiz federal Sergio Moro, nesta sexta-feira (20), a transferência de 15 presos da Operação Lava Jato para o sistema prisional do Estado do Paraná. Atualmente, 19 presos da Lava Jato estão na carceragem da superintendência da corporação em Curitiba, conforme a PF.

Destes 15, um já foi solto nesta sexta após a prisão temporária dele vencer: Lucélio Góes. Portanto, o pedido de transferência vai valer para 14. Cinco presos devem continuar na carceragem – o doleiro Alberto Youssef e outros quatro delatores, segundo a polícia, que não divulgou os nomes.

“(...) já está ficando inviável ficarmos com todos os presos na nossa Custódia, tendo em vista que alguns presos não podem se comunicar entre si e fica difícil acomodá-los em apenas seis celas”, diz um trecho do ofício.

O pedido é para que eles sejam transferidos para o Complexo Médico Penal do Estado, em Pinhais, na Região Metropolitana da capital paranaense.

No fim desta tarde, três suspeitos presos na 10ª fase da operação, deflagrada na segunda-feira (16), foram soltos. A Justiça Federal autorizou a soltura de três investigados, cujas prisões temporárias venciam nesta sexta: Sônia Mariza Branco, Dario Teixeira Alves e Lucélio Góes. Eles são suspeitos de participar do esquema de corrupção, desvio e lavagem de dinheiro na Petrobras.

Essa última fase da Operação Lava Jato foi marcada também pela prisão do ex-diretor de Serviços da estatal Renato Souza Duque e do empresário paulista Adir Assad, que também foram levados à superintendência da PF, em Curitiba. Ambos, contudo, foram presos preventivamente, ou seja, não existe um período definido de detenção.

Entre os presos na carceragem da Polícia Federal, estão o doleiro Alberto Youssef, o ex-diretor da área Internacional da Petrobra Nestor Cervervó, o lobista Fernando Baiano e executivos de empreiteiras.


Voltar


Comente sobre essa publicação...