Semana On

Domingo 29.nov.2020

Ano IX - Nº 421

Coluna

Os 50 tons do sucesso

Estreia do best seller no cinema me custou R$ 50

Postado em 13 de Fevereiro de 2015 - Redação Semana On

Para a alegria delas. Para a alegria delas.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O romance Cinquenta Tons de Cinza (ou As Cinquenta sombras de Grey, como foi corretamente traduzido no português gringo) já deve ter ultrapassado a marca de 20 milhões de exemplares vendidos no mundo. Trata-se da primeira parte da trilogia erótica de Érika James, cuja adaptação para o cinema acaba de estrear nas telonas brazucas. Optei pela sessão de pré-estreia da madrugada de quarta pra quinta. O público, na sua grande maioria, era de mulheres. A conta foi de três e trinta no ônibus da ida, onze e cinquenta na meia entrada, quatorze e cinquenta na pipoca com refri e vinte e setenta no taxi da volta. E mais uma vez o cinema americano comprova sua eficácia financeira dentro desse mundão que consome por consumir.

 

Vale a pena conferir

Wiplash: Em Busca da Perfeição, segundo longa do talentoso Damien Chazelle, é magnífico. Esse sim é o filme americano que merece ser visto no momento. Trata-se de superação, mas com um olhar que humaniza a jornada do herói. Um olhar que representa de forma honesta a juventude contemporânea, com seus anseios, inseguranças e teimosias. E repito: representa. Aqui, imagem e som falam por si. É uma aula de cinema. As atuações, a decupagem, a montagem, as luzes, as cores, as roupas, os lugares, a cidade documentada... Tudo ao ritmo do jazz nova iorquino. É lindo!

 

Cinema Brasileiro

Faço questão de reforçar que em 2014 o cinema nacional ocupou menos de 20% de seu próprio mercado de exibição. Dos mais de 100 filmes brasileiros que estrearam em 2014, apenas 6 foram vistos amplamente nos cinemas de todos os estados. Essa é a nossa realidade. E tá ficando pior. Além de vender para o estrangeiro nosso mercado exibidor, escravizando produtoras através das leis de incentivo, a democracia brasileira decidiu enterrar de vez nosso cinema. Em Minas, a verba prevista para o setor do Audiovisual não foi liberada. Muitas produções planejadas lá para esse ano vão acabar não acontecendo. No Paraná, além do calote na produção dos filmes, tanto a iniciativa pública quanto a privada recuam na liberação de recursos e prejudicam a vida de um importante festival. E esse descaso acontece em todos os estados brasileiros. Não tá fácil pra ninguém... E pra refletir no quão difícil está, recomendo uma imersão em A Vizinhança do Tigre, de Affonso Uchoa. O longa é um registro arrebatador da realidade.

Trailer

Link Minas Gerais

Link Paraná
 

FIQUE POR DENTRO

Estão abertas as inscrições para a 13ª edição do curso de desenvolvimento de projetos ibero-americanos. Serão oferecidas bolsas de estudos que incluem matrícula, alimentação e hospedagem na cidade de Madri, onde o laboratório acontece. Trata-se de uma das mais importantes portas para a produção de filmes no mundo, uma vez que um projeto desenvolvido lá acaba sendo coproduzido por diversos países.

Veja aqui.

 

MÁQUINA DO TEMPO

Durante mais de vinte anos o Brasil sofreu com as censuras da ditadura militar. Quem tiver interesse em saber como esse período afetou nosso cinema, convido para uma viagem no tempo através do site Memoria Cine BR. Confira!


Voltar


Comente sobre essa publicação...