Semana On

Quarta-Feira 02.dez.2020

Ano IX - Nº 421

Coluna

UFMS inicia novo curso de Jornalismo em 2015

A oferta das disciplinas e atividades será realizada nos períodos matutino e vespertino.

Postado em 06 de Fevereiro de 2015 - Gerson Martins

Mudanças no curso de Jornalismo da UFMS. Mudanças no curso de Jornalismo da UFMS.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O curso de Jornalismo da UFMS começa uma nova etapa em 2015. Criado em 1989, foi o primeiro curso de Jornalismo de Mato Grosso do Sul, comemorou 25 anos de existência em 2013. Para entender o que significa o curso de Jornalismo da UFMS é preciso compreender as circunstancias que demandaram o início do curso, originado pelos profissionais jornalistas que trabalhavam em Campo Grande, sejam profissionais oriundos de cursos de Jornalismo ou os profissionais que aprenderam a profissão no cotidiano das redações. O curso de Jornalismo da UFMS nasceu da vontade dos profissionais que entendiam que Campo Grande e o estado tinham uma demanda suficiente para a criação do curso, seja no que diz respeito a população, seja no número de empresas jornalísticas existentes.

Os primeiros momentos do curso tinham como objetivo atender a um conjunto de trabalhadores das redações que sentiam a necessidade de uma formação universitária específica, que desejavam se qualificar e qualificar o produto jornalístico oferecido para a população. Por esse motivo, o curso iniciou suas atividades no período noturno. Dessa forma, os jornalistas que atuavam nas redações das empresas de comunicação poderiam frequentar as aulas. Essa situação perdurou por quase dez anos, até que as empresas jornalísticas pudessem constituir no seu quadro de jornalistas com uma maioria de profissionais formados em jornalismo. Num primeiro momento, o curso qualificou os trabalhadores que atuavam nas redações, num segundo momento, ainda em oferta no período noturno, qualificou pessoas oriundas de diversas outras áreas, mas que trabalhavam em diferentes atividades e desejavam fazer o curso de Jornalismo.

O segundo momento ocorre quando o curso começa a oferta de vagas no período vespertino. As atividades necessárias para uma boa qualificação jornalística exigiam mais tempo de dedicação, seja nas disciplinas, seja nas atividades laboratoriais. Esse período foi o mais longo, decorreu mais de 10 anos. A partir de 2007, 2008 o curso começa a dar ênfase à oferta de disciplinas e atividades no período vespertino. O perfil dos estudantes modifica completamente. O ingresso de jovens estudantes muda as características do curso. Nesse período que ingressa um dos mais jovens alunos do curso de Jornalismo, com 17 anos.

O que se pratica nos laboratórios do Curso de Jornalismo não pode ser uma cópia do mercado profissional, pelo contrário, deve desenvolver padrões, técnicas, procedimentos inovadores que possam contribuir para a melhoria da produção das notícias.

A partir de 2010, com a implantação de um novo Projeto Pedagógico, o curso tem quase a totalidade das disciplinas e atividades oferecidas no período vespertino. O entendimento é evidente, ou seja, para as atividades jornalísticas é muito difícil trabalhar no período noturno. As coberturas jornalísticas acontecem, na maioria das vezes, durante o dia. Também a partir de 2010, o curso reforça sua atenção e tempo para as disciplinas de formação específica e acaba com a dicotomia que dividia o curso, entre o primeiro e o último ano, em disciplinas teóricas, nos primeiros anos dos curso, e disciplinas práticas nos últimos anos do curso. Acaba também com outra dicotomia que criava uma separação entre disciplinas da área de humanas e sociais e disciplinas da área técnica. A formação em jornalismo, importante destacar, não implica em conhecimentos distintos, separados. O jornalista profissional deve ter domínio da técnica jornalística concomitantemente ao domínio da ciências sociais, como história, geografia, filosofia, psicologia, e não pode haver distinção entre o conhecimento, entre aspas, da teroria do jornalismo e de sua técnica, pois são conhecimentos inseparáveis.

Durante muitos anos, os cursos da área de comunicação, devido às questões financeiras, faziam, e ainda fazem, a divisão entre o conhecimento téorico/humanístico e o conhecimento técnico, prático. É uma divisão que, na prática, ou seja, no cotidiano, não existe. É uma separação esquizofrênica que cria um distanciamente que no exercício diário do jornalismo não se realiza.

A partir de 2015 o curso de Jornalismo da UFMS experimenta uma nova fase. A oferta das disciplinas e atividades será realizada nos períodos matutino e vespertino. O curso se adequa às novas Diretrizes Curriculares para os cursos de Jornalismo. Desde 1989 o curso, mesmo que conhecido por todos como Curso de Jornalismo, nasce como curso de Comunicação Social, habilitação em Jornalismo. Todos os egressos do curso até a conclusão da turma que ingressou em 2014, serão formados em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo. Os alunos que ingressarem a partir de 2015 terão, em seus diplomas, o registro como “Bacharel em Jornalismo”.

Em todo período de existência do curso, naturalmente, mudou também o perfil do corpo de professores. No início se privilegiava profissionais com amplo conhecimento técnico, oriundos da experiência profissional, mas com formação universitária. Atualmente o curso não perdeu a característica da formação técnica, mas implementou a formação científica, o desenvolvimento da pesquisa e, portanto, do jornalismo. A fase atual do Curso de Jornalismo da UFMS se traduz pela atenção à formação técnica/humanística/social do estudante e incentiva a busca de novos conhecimentos que possam contribuir, de forma significativa e aplicada, para o desenvolvimento do fazer jornalístico, por meio da pesquisa. Ou seja, o que se pratica nos laboratórios do Curso de Jornalismo não pode ser uma cópia do mercado profissional, pelo contrário, deve desenvolver padrões, técnicas, procedimentos inovadores que possam contribuir para a melhoria da produção das notícias.


Voltar


Comente sobre essa publicação...