Semana On

Segunda-Feira 08.mar.2021

Ano IX - Nº 433

Mato Grosso do Sul

Para Eduardo Riedel, investir nos eixos rodoviários é investir no desenvolvimento do Estado

Governo prioriza a recuperação dos eixos para o escoamento da produção

Postado em 19 de Fevereiro de 2021 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

"Investir nos eixos rodoviários é investir no desenvolvimento do Estado”, afirmou hoje o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel.

As rodovias estaduais que integram os caminhos de escoamento da produção agrícola, cuja colheita de grãos se iniciou em algumas regiões, estão recebendo atenção especial da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) com serviços emergenciais de recuperação do pavimento e revestimento primário.

O Governo do Estado mantém frentes de trabalho em todas as suas regionais, enfrentando as dificuldades de cumprimento de metas devido a intensidade das chuvas. Na MS-040, entre Campo Grande e Santa Rita do Pardo, por exemplo, os serviços tem sofrido uma sequência de interrupções devido as fortes precipitações. Em janeiro, as quatro equipes da Agesul trabalharam apenas uma semana no trecho.

O diretor de Manutenção Viário da agência, Mauro Azambuja Rondon, explicou que o governo estadual definiu como prioridades de atendimento para garantir segurança e trafegabilidade a malha rodoviária de movimentação da safra agrícola e também de exportação de matéria prima para os portos de Paranaguá (PR), Santos (SP) e Porto Murtinho.

Apoio aos municípios

“Nesse sentido – explica Mauro Rondon -, estamos atuando fortemente na rede viária que integram as regiões produtoras, como Chapadão do Sul, Dourados, Maracaju e Sidrolândia, além daquelas rodovias que escoam produtos para fora do Estado, onde se enquadra a MS-040, para atender a grande demanda de caminhões com um tráfego seguro e adequado”.

A manutenção da malha é contínua, o ano todo, e o serviço de tapa-buraco é uma intervenção de curto prazo e emergencial, enquanto se processa a contratação de projetos executivos ou da restauração efetiva do pavimento deteriorado, esclarece o gerente da Agesul.

“O tapa-buraco não ocorre apenas na pré-safra, mas nesse início de ano estamos enfrentando um alto índice de precipitações fora dos padrões, o que tem prejudicado o andamento dos serviços”, disse ele.

“Além dessas intervenções, o Governo do Estado tem dado suporte aos municípios, por meio de suas patrulhas, para recuperação das estradas vicinais”, lembrou Eduardo Riedel.


Voltar


Comente sobre essa publicação...