Semana On

Sábado 23.jan.2021

Ano IX - Nº 427

Campo Grande

Fim de semana tem Dia ‘D’ de combate ao mosquito da Dengue, Chikungunya e Zika

Duas regiões da capital estão em alerta para surto de infestação pelo Aedes

Postado em 18 de Novembro de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Neste sábado, 21 de novembro, tem Dia ‘D’ de combate ao mosquito da Dengue, Chikungunya e Zika, na Capital e em mais 23 municípios do Estado. Na Capital, a Escola Estaddual Dr. Arthur de Vasconcellos Dias, no bairro Estrela do Sul, será o ponto de encontro das autoridades em saúde e integrantes do Corpo de Bombeiros Militar.

De lá, eles percorrerão as principais ruas do bairro, orientando a população sobre os cuidados para se evitar o acúmulo de lixo e resíduos que possam contribuir para a formação de criadouros do mosquito.

Geraldo Resende, secretário de estado de saúde tem feito um alerta à população para que não descuidem do Aedes aegypti. E ainda pede que aproveitem o momento da pandemia, quando muitas pessoas estão ficando em casa, para intensificar a guerra contra o mosquito.

O Corpo de Bombeiros Militar vai disponibilizar cerca de 20 militares, além de drones que deverão auxiliar os agentes na identificação de possíveis focos do mosquito em quintais, calhas, caixa d’águas e telhados. Duas viaturas também deverão dar suporte à campanha, sendo um caminhão Auto Plataforma Área e uma Viatura do Sistema de Comando de Incidentes.

Como parte da rede de apoio à Campanha da SES, a Sesau vai disponibilizar cerca de 60 agentes de saúde e de endemias e mais 10 supervisores que farão o mutirão para vistoriar os imóveis, inclusive aqueles que se encontrarem fechados.

Campo Grande

Campo Grande está, segundo o mais recente Levantamento de Infestação Rápido pelo Aedes aegypti (LIRAa), em alerta para um surto de infestação e contaminação de doenças transmitidas pelo mosquito. Ao todo, dois bairros estão com índices de risco, sendo 5,4% e 4,8% de infestação, e 29 estão em alerta. 

Os bairros com os maiores índices são o Iracy Coelho e Tiradentes, respectivamente, onde já se iniciaram as ações intensivas de combate ao mosquito. O índice de infestação considerado satisfatório deve ser inferior à 1% dos imóveis visitados apresentando focos do Aedes, a partir desse valor até 3,9% das residências é considerado alerta, a partir de 4% é chamado de risco de infestação. 

Enquanto maior a infestação e identificação de criadouros do Aedes aegypti, proporcional são os casos de doenças provocadas por ele, principalmente a dengue, nessas regiões. Outros pontos que têm gerado preocupação, por se encontrarem próximo ao índice de risco são Batistão e Coophavilla, com 2,8% e 2,9% de infestação nos imóveis vistoriados, respectivamente. 

Com o contraponto desses altos valores, e outros pontos onde não foi encontrado nenhum foco do mosquito, Campo Grande está, na média, em situação de alerta de surto, uma vez que o índice de infestação predial está em 1%. 

Ações de combate 

Nessa semana, foi dado início às ações do “Cidade Limpa”, onde é feita uma força tarefa para eliminar os depósitos de água nas regiões onde o risco de um surto das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti é maior. O mutirão está hoje na região do bairro Iracy Coelho, onde ficará por sete dias, e a partir da semana que vem percorrerá o bairro Tiradentes. 

Está previsto também, para iniciar a partir do mês que vem, as ações do “Mosquito Zero”, que teve sua primeira etapa entre fevereiro e abril e foi eficaz para redução dos números de notificações de dengue durante o ano inteiro.  

É possível acessar o LIRAa através clicando aqui.


Voltar


Comente sobre essa publicação...