Semana On

Quarta-Feira 25.nov.2020

Ano IX - Nº 420

Viver bem

Este é o número exato de ovos que você deveria comer na semana

Uma investigação de seis universidades europeias aponta que o saudável para o coração é não passar de quatro

Postado em 27 de Outubro de 2020 - Huffpost

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Os ovos são alimentos que viveram uma vida de altos e baixos. Ao longo dos anos, sua imagem mudou muito. Depois de superada a má fama que relacionava o consumo de ovos com o aumento do colesterol ruim, a recomendação de comer ao máximo três ovos por semana foi eliminada e passaram a permitir o consumo de um ovo por dia.

Agora, pesquisas de seis universidades europeias mudaram este critério novamente e colocaram um novo limite no consumo semanal de ovos. Quatro por semana é a quantidade mais saudável para o coração.

O estudo, em que colaborou a Universidade de Navarra e que foi publicado na revista European Journal of Nutrition, defende que “provavelmente não existe nenhum motivo científico sério para desaconselhar o consumo de ovos na população em geral”, mas ao contrário. “Eles tendem a ser mais protetores do que prejudiciais”, assegura o informe, e aponta que eles podem ajudar a prevenir infartos, acidentes vasculares cerebrais, mortes cardiovasculares ou doenças cardiovasculares.

A pesquisa pretende terminar de uma vez com a má fama que tiveram os ovos há décadas e que, em 2019, voltou aos holofotes por causa de outra pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade de Northwestern, em Evanston, Illinois (EUA). Segundo o texto publicado na Revista da Associação Médica dos Estados Unidos (JAMA), consumir dois ovos diariamente aumenta em 17% o risco de sofrer doenças cardiovasculares e 18% de morrer em geral. Um consumo moderado (3 ou 4 por semana), aumentaria em 6% o risco de desenvolver uma doença cardiovascular e 8% de morte.

Para a pesquisadora Estefanía Toledo, estas conclusões têm mais a ver com alimentos menos saudáveis que costumam acompanhar o consumo de ovos nos Estados Unidos, como por exemplo o bacon, que o próprio consumo de ovos. “Não está claro que tenha efeitos adversos quando se coloca em um padrão de alimentação saudável”, aponta.

“Comer um ovo diariamente só se associa com maior risco de enfermidade cardiovascular em pacientes com insuficiência cardíaca e previamente diabéticos”

O estudo europeu aponta que ingerir um ovo diariamente só se associa com maior risco de ter uma enfermidade cardiovascular em pacientes com insuficiência cardíaca ou previamente diabéticos, segundo o descoberto nos Estados Unidos, e que, nesses casos, é especialmente importante a recomendação de não superar os quatro ovos semanais.

Este alimento oferece mais vantagens nutricionais do que inconvenientes. “São uma fonte de proteínas de alta qualidade e de muitos micronutrientes com efeitos benéficos, como funções antioxidantes e antimicrobianas”, aponta Toledo. Além disso, “tem outras vantagens por sua grande versatilidade culinária e por seu preço acessível”.

Há que se acrescentar aqui sua baixa quantidade calórica.

- Ovo frito: 232 calorias/100 gramas

- Ovo cozido: 147 calorias/100 gramas

O estudo internacional foi elaborado a partir da evidência científica acumulada até o momento, no total de dados de 39 investigações com 1,8 milhão de participantes, o que se considera o mais completo que se publicou até hoje sobre o consumo de ovos e a saúde cardiovascular.

Este texto foi originalmente publicado no HuffPost Espanha e traduzido do espanhol.


Voltar


Comente sobre essa publicação...