Semana On

Sábado 27.fev.2021

Ano IX - Nº 432

Coluna

Secretário de MS defende vacina, seja 'chinesa, americana ou portuguesa'

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 21 de Outubro de 2020 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Em live sobre a covid-19 em Mato Grosso do Sul, ao exibir gráfico que mostra uma desaceleração da doença nos últimos sete dias no estado, o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, evitou citar o nome do presidente Jair Bolsonaro – com o qual o Governo de MS tem mantido bom relacionamento – mas lamentou a decisão dele de não querer comprar a vacina CoronaVac, a qual chamou nas redes sociais de "a vacina chinesa de João Doria".

Ao alertar que antes da chegada de uma vacina, o único remédio contra a doença é o distânciamento social, Resende declarou: "Quero mais uma vez frisar que os únicos remédios antes do advento da vacina, seja ela chinesa, seja americana, seja inglesa, seja ela portuguesa, seja ela lá da Índia, que chegue com a capacidade de ser eficiente, aplicável no mais curto espaço de tempo para que possamos imunizar a nossa população. E eu sou um dos defensores que ela tem de ser compulsória, ou seja, que tenhamos que fazer com que a vacina seja dada a toda nossa população, a toda nossa gente. O bem comum, a saúde coletiva, não pode deixar que, por uma questão pessoal, por um querer pessoal, a gente coloque em risco a saúde da nossa gente. Vacina obrigatória, vacina seja ela de onde for é a nossa recomendação, o nosso desejo e o nosso sonho", acrescentou. Veja o vídeo.

Senadora de MS aproveita sabatina de Kassio para reclamar de condenação

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) aproveitou a sabatina de Kassio Marques, indicado por Jair Bolsonaro para uma vaga no Supremo, para reclamar de um caso pessoal referente ao Judiciário, que a condenou a pagar R$ 1 milhão por litigância de má-fé, informa o site O Antagonista. "Me sinto constrangida como cidadã. E digo isso porque vossa excelência vai participar do CNJ no futuro. E nós esperamos e só queremos que o Judiciário aja como juiz apenas e não da forma como temos visto", afirmou a sul-mato-grossense, conforme a publicação.

Ex-vereador Alex, que já foi do PT, declara apoio à reeleição do prefeito Marquinhos

O ex-vereador Marcos Alex, que ficou conhecido em Campo Grande como Alex do PT pelos seus 32 anos de militância na sigla da qual se desfiliou em 2017, declarou apoio à reeleição de Marquinhos Trad (PSD), um dia depois de visitar o comitê do prefeito e até tirar foto com ele. "Acredito que o prefeito é o que melhor reúne condições para administrar nossa cidade. Mostrou ter maturidade ao pacificar a política local, depois de uma gestão tumultuada em que tivemos três trocas de prefeitos em quatro anos. Ele tem feito um mandato aberto, pluralista, com participação todas as tendências. É um projeto que me seduz e no qual pretendo me reinserir na política, não necessariamente me filiando ao PSD, mas já começando a ajudar na campanha a partir de amanhã", disse ao Blog Marcos Alex, que é formado em História e, por enquanto não filiado a nenhum partido, atualmente atua nos ramos imobiliário e de energia solar.

Desembargadores de MS elegem nova administração do Tribunal de Justiça

Por aclamação, os desembargadores do Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) elegeram os seus colegas que comandarão os destinos do Poder Judiciário Sul-mato-grossense no biênio 2021/2022. O desembargador Carlos Eduardo Contar será o presidente do TJMS na gestão que terá o desembargador Sideni Soncini Pimentel como vice-presidente e o desembargador Luiz Tadeu Barbosa Silva como corregedor-geral de Justiça. A posse será entre o fim de janeiro e o início de fevereiro, em data a ser conirmada, depois do recesso forense do início de 2021.

Ministra reforça campanha de Barbosinha, em Dourados, e de Marquinhos, na Capital

A ministra Tereza Cristina (Agricultura) entrou na campanha eleitoral em MS pedindo votos para aliados. Tereza se encontrou com o correligionário deputado Barbosinha (DEM), que disputa a Prefeitura de Dourados, tirou foto com ele e o candidato a vice, o ex-deputado Valdenir Machado (PSDB), e disse com o democrata no comando, o município terá seu apoio no governo federal. "Temos certeza que com Barbosinha na prefeitura, Dourados terá um grande avanço no setor produtivo", disse a ministra. Tereza também gravou um vídeo em que pede aos eleitores que reelejam em Campo Grande o prefeito Marquinhos Trad (PSD) e a vice Andriane Lopes (Patriota), na coligação da qual também faz parte seu partido, o Democratas.

Sérgio Moro fará palestra de abertura da Conferência da Advocacia de MS

O ex-ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, falalá sobre "Lavagem de dinheiro" na palestra de abertura da XV Conferência Estadual de Advocacia de Mato Grosso do Sul, a ser promovida de 4 a 6 de novembro pela OAB-MS, juntamente com sua Escola Superior de Advocacia (ESA-MS) e Caixa de Assistência dos Advogados (CAAMS). Como o evento será com transmissão online por vídeo pela primeira vez, por causa da pandemia de covid-19, Moro e os demais juristas convidados não virão a Campo Grande e farão as palestras por videocoferência, disse ao Blog hoje o presidente da Seccional da Ordem, Mansour Karmouche. As inscrições são gratuitas e já podem ser feitas via online aqui no site da ESA-MS.

Ex-prefeito desiste de candidatura em Bodoquena e MDB indica empresária

O MDB registrou na Justiça Eleitoral em Bodoquena (MS) o nome da empresária Maria Girleide Rovari para disputar prefeitura da cidade 260 km distante de Campo Grande, em substituição ao médico e ex-prefeito Jun Iti Hada que desistiu de voltar a disputar o cargo alegando "razões de foro íntimo". O vice da chapa continua sendo Geraldo Preto (PTB), na coligação que também inclui o PSL. Hada, que governou a cidade por duas vezes, foi alvo neste ano de pedidos de impugnação de sua candidatura feitos pelo Ministério Público Eleitoral e pela coligação rival, encabeçada pelo PSDB do atual prefeito e candidato à reeleição Kazuto Horii, alegando condenação do médico por perícia falsa e também pelo fato de a Câmara ter julgado irregulares as contas de sua gestão referentes a 2013. (Com Midiamax)


Voltar


Comente sobre essa publicação...