Semana On

Quarta-Feira 25.nov.2020

Ano IX - Nº 420

Campo Grande

Pesquisa aponta que 37% dos alunos do ensino médio da rede particular de Campo Grande retornarão as aulas

Prefeitura da capital publicou decreto liberando o ensino presencial para alunos do ensino médio, a partir da próxima segunda-feira

Postado em 15 de Outubro de 2020 - Ricardo Freitas - G1MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Pesquisa do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Mato Grosso do Sul divulgada no último dia 14, aponta que 37% dos alunos retornarão as aulas presenciais na segunda-feira, dia 19 de outubro. O sindicato enviou um questionário à 3.133 alunos e responsáveis; 1.185 disseram que irão voltar as salas de aulas.

De acordo com a presidente do sindicato, Maria da Gloria Paim Barcellos, das 149 escolas e colégios particulares de Campo Grande, 109 se prepararam para o retorno com planos de biossegurança.

"Os planos são bem complexos e foram elaborados com muito cuidado. A atenção será total desde a chegada do aluno a sala de aula. Na entrada das escolas haverá medição de temperatura, alunos e professores usarão máscaras, os professores estarão paramentados com proteção especial, como visores e jaleco descartável. Além disso, todo o material usado ficará na escola, para evitar o máximo uma contaminação", disse a presidente.

A Prefeitura Municipal de Campo Grande publicou decreto em que libera o ensino presencial para alunos do ensino médio, a partir da próxima segunda.

Outras cidades do interior já retornaram com as aulas no ensino médio da rede particular, é o caso de Amambai, Maracaju, Sidrolândia, Bela Vista, Ribas do Rio Pardo, São Gabriel do Oeste e Ponta Porã.

Aulas na rede pública vetadas

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, afirmou, no dia 5 de outubro que as aulas na Rede Estadual de Ensino não voltarão no ano de 2020. De acordo com Azambuja, a decisão foi tomada para manter a responsabilidade e ouvir a ciência durante a pandemia da Covid-19.

No anúncio, realizado por meio de transmissão ao vivo em redes sociais, o governador ainda afirmou que a pandemia não passou no estado e citou exemplos da Europa e dos EUA para sustentar a decisão de vetar as aulas presenciais até o fim do ano. "Seria muito risco nós colocarmos os alunos, profissionais e trabalhadores de educação dentro das nossas escolas. Sei que é uma medida difícil, mas sempre pautamos pela saúde e a saúde recomendou a não voltarmos com as aulas", apontou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...