Semana On

Quinta-Feira 26.nov.2020

Ano IX - Nº 420

Campo Grande

Prefeitura vai investir em infraestrutura para prevenção e contenção de inundações

Conclusão de obras de contenção de enchentes do Rio Anhanduí, e a construção da bacia de retenção no Córrego Réveillon, são exemplos de obras estruturantes que vão acabar com problemas crônicos na cidade

Postado em 07 de Outubro de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Prefeitura de Campo Grande está desenvolvendo projetos para melhorar a infraestrutura e, consequentemente, controlar e prevenir inundações no município.

A conclusão de obras de contenção de enchentes do Rio Anhanduí, no trecho entre as ruas Santa Délia e do Aquário, até a Avenida Manoel da Costa Lima, e a construção da bacia de retenção de água no Córrego Réveillon, nas proximidades da Avenida Mato Grosso com a Avenida Hiroshima, são exemplos de obras estruturantes que vão acabar com problemas crônicos na cidade.

“São intervenções importantes para prevenir que a nossa cidade venha sofrer com alagamentos e inundações e a população seja prejudicada. Vamos implementar ferramentas tecnológicas de monitoramento de inundações, com bancos de dados específicos e simulação matemática para subsidiar ações preventivas.  Também teremos um Centro de Controle de Inundação para suporte à decisão sobre a rede de drenagem de águas pluviais urbanas e ações semelhantes”, detalhou o prefeito.

Nos últimos quatro anos, diversas ações visando a prevenção e contenção de inundações e alagamentos foram realizadas. As obras de revitalização e controle de enchentes no Rio Anhanduí, por exemplo, foram retomadas. O projeto, iniciado em 2011, faz parte de um conjunto de ações para controle de enchentes nos bairros Marcos Roberto, Jockey Clube, Jardim Paulista e Vila Progresso. Todo o sistema de drenagem ao longo do rio será corrigido para pôr fim às enchentes. O fundo do rio não será concretado para garantir sua biodiversidade. Também serão instalados travessões a cada 20 metros para evitar erosão e manter o leito estabilizado.

Na região do Bairro Nova Lima, foi executada obra do piscinão projetada para evitar a erosão da nascente do Córrego Segredo, com capacidade para reter 26 milhões de litros de água. Sem o piscinão, haveria o risco de iniciar um processo erosivo similar ao que causou o assoreamento do lago principal do Parque das Nações Indígenas. A água das chuvas de toda parte alta é canalizada para o parque e com a drenagem e a construção dessa bacia de contenção, esse risco de erosão desaparece.

Após seis anos, foram retomadas as obras de drenagem e controle de enchente no Bairro Cidade Morena.  O sistema de captação existente extravasa porque na época da pavimentação, feita há 10 anos, não foi construída esta tubulação para toda água atravessar a Avenida Gury Marques e desembocar no Córrego Gameleira. Sem esta drenagem complementar, as bocas de lobo não fazem a captação necessária e com isto a enxurrada alaga as casas construídas abaixo do nível das ruas e impede a travessia de veículos de passeio.

Em alguns cruzamentos, mesmo após vários dias de estiagem, a água fica empoçada. Em função da topografia da área, uma baixada funciona como uma espécie de bacia, que recebe toda a enxurrada que desce das Moreninhas.Com a construção de novos condomínios e abertura de loteamentos, aumentou a impermeabilização do solo e, consequentemente, a enxurrada chega com mais velocidade.  São 2,2 km de drenagem para captar a enxurrada que desce das Moreninhas e da drenagem implantada na parte do bairro que já foi asfaltada.


Voltar


Comente sobre essa publicação...