Semana On

Quarta-Feira 21.out.2020

Ano IX - Nº 415

Mato Grosso do Sul

MS tem maior número de homicídios entre indígenas do país em 2019, diz CIMI

Dados são do novo relatório do Conselho Indigenista Missionário, divulgado nesta semana

Postado em 01 de Outubro de 2020 - G1MS

Um homem indígena mostra uma bala atirada na fazenda Yvu em um conflito entre os índios Guarani Kaiowá e fazendeiros do Mato Grosso do Sul em junho de 2016. Foto: CIMI Um homem indígena mostra uma bala atirada na fazenda Yvu em um conflito entre os índios Guarani Kaiowá e fazendeiros do Mato Grosso do Sul em junho de 2016. Foto: CIMI

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Mato Grosso do Sul teve em 2019 o maior número de homicídios entre os povos indígenas do país. Quarenta integrantes e líderes foram assassinados no estado, de um total de 113 no país, segundo o novo relatório do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) divulgado no último dia 30.

O documento é resultado de uma apuração feita com as entidades e associações dos povos sobre a situação dos índios no Brasil.

"Constata-se que em 2019 a população indígena de Mato Grosso do Sul continuou sendo alvo de constantes e violentos ataques, em que há até mesmo o registro de práticas de tortura, inclusive de crianças", cita o relatório.

O estado também aparece na primeira posição na quantidade de conflitos relativos a direitos territoriais. Em 2019, conforme o Cimi, foram 10 no estado, o que representa 28,5% dos 35 que ocorreram no Brasil.

O relatório aponta que Mato Grosso do Sul também é o estado que registrou neste ano a maior quantidade de casos de violência sexual. De dez ocorrências no Brasil, quatro foram no território sul-mato-grossense.

Mato Grosso do Sul também é citado no relatório como o segundo estado do Brasil em quantidade de suicídios de indígenas (34). O documento aponta que o Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) do estado diz que nos últimos 14 anos, cerca de 645 indígenas se suicidaram, o que significa 1 suicídio a cada 7,9 dias .

O documento ressalta ainda que em 2019 houve um aumento de 452% nos focos de incêndios em terras indígenas. A área mais afetada, de acordo com o levantamento do Cimi, foi a Kadiwéu, que fica localizada na transição entre o Pantanal e Cerrado e registrou 1.268 focos.


Voltar


Comente sobre essa publicação...