Semana On

Segunda-Feira 21.set.2020

Ano IX - Nº 411

Mato Grosso do Sul

Operação ‘Penúria’ investiga cestas básicas superfaturadas

Promotoria do Patrimônio realizou ações de busca e apreensão nesta sexta

Postado em 21 de Agosto de 2020 - Marta Ferreira e Clayton Neves - Campo Grande News

Viatura do Batalhão de Choque da PM em frente a um dos locais de busca. Foto: Clayton Neves - Campo Grande News Viatura do Batalhão de Choque da PM em frente a um dos locais de busca. Foto: Clayton Neves - Campo Grande News

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Operação “Penúria” desenvolvida pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) cumpriu mandados na manhã desta sexta (21) como parte de investigação de superfaturamento envolvendo a aquisição de cestas básicas. O prejuízo seria de R$ 2 milhões, desviados dos cofres do Estado.

As equipes estão na empresa Tavares & Tavares, com nome fantasia de "Farturão", na Avenida Coronel Antonino, e na Sedhast (Secretaria Estadual de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho), no Parque dos Poderes.

Foram 13 pontos com ações, como parte de trabalho de investigação das promotoria de Defesa do Patrimônio Público e Social de Campo Grande. O trabalho tem apoio do Gecoc (Grupo Especial de Combate à Corrupção), do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) e do Núcleo do Patrimônio Público e Social, segundo informou o MPMS.

A compra em investigação envolve R$ 5,8 milhões gastos com alimentação pela Secretaria, como parte do enfrentamento à pandemia de covid-19. O valor de superfaturamento informado equivale a 34% do total gasto.

Em abril, ação assistencial para famílias de baixa renda atingidas pela crise provocada pela pandemia adquiriu 60 mil cestas básica. Cada cesta, do tipo “Farturão”, custou R$ 97,00, segundo descrito.

Por meio de nota, o governo estadual informou esta à "disposição do Ministério Público para prestar esclarecimentos dos fatos sobre a operação Penúria". O texto informa também que a investigação será acompanhada através da Controladoria-Geral do Estado.


Voltar


Comente sobre essa publicação...