Semana On

Terça-Feira 22.set.2020

Ano IX - Nº 411

Coluna

PSDB indica João Rocha para vice de Marquinhos nas eleições da Capital

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 19 de Agosto de 2020 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O presidente da Câmara, vereador João Rocha, é o nome de consenso no ninho tucano indicado para ser o futuro vice do prefeito Marquinhos Trad (PSD) nas eleições deste ano em Campo Grande, confirmou o presidente estadual do PSDB, Sérgio de Paula. "A conversação está avançada e vem sendo conduzida pelo governador Reinaldo Azambuja e pelo prefeito Marquinhos", disse o dirigente partidário, que também participa dessa articulação. Sérgio de Paula acredita que a possível aliança possa ser confirmada em até 15 dias. "O João Rocha tem apoio de mais de 20 vereadores da Capital e é consenso no PSDB", declarou.

Ex-dirigente do PT é vice de Dagoberto em chapa pura do PDT para a prefeitura

Kelly Cristina, secretária de Movimentos Sociais do PDT-MS, é a escolhida do partido para ser vice na chapa pura a ser encabeçada pelo deputado federal Dagoberto Nogueira na disputa da Prefeitura de Campo Grande nas eleições deste ano. Kelly ficou conhecida na política regional por décadas de atuação no PT, onde foi secretária de Finanças no diretório estadual e chegou a atuar como dirigente nacional da sigla. Também atuou na coordenação de campanha de Zeca do PT para deputado federal, e deixou o antigo partido há três anos, com outros ex-companheiros de legenda, descontentes com a então gestão do ex-governador na presidência regional da sigla, conforme foi aqui divulgado em agosto de 2017, e naquele mesmo ano se filiou ao PDT.

Mulheres do PT entram na briga por vaga de vice de Kemp em Campo Grande

Em videoconferência a partir das 9h deste sábado, haverá disputa interna no PT com participação de lideranças e filiados pela candidatura de vice na chapa a ser encabeçada pelo deputado estadual e pré-candidato à Prefeitura de Campo Grande, Pedro Kemp. Além de Flávio Moura, filho do deputado estadual Cabo Almi indicado para vice pela corrente PT da Base (leia na nota abauxo), o coletivo de mulheres petistas entregou uma carta ao presidente municipal do partido, Agamenon do Prado, para que uma mulher seja vice. Entre os nomes citados estão Bartolina Catanante, professora da UEMS; Eloísa Castro Berro, ex-secretária de Assistência Social do governo Zeca; a advogada Gisele Marques e a professora da ADUFMS Mariuza Guimarães. Kemp diz que a decisão será tomada no voto dos companheiros: "Nosso partido é democrático e vamos definir na votação", declarou.

Corrente petista indica filho de Cabo Almi para ser vice de Kemp em Campo Grande

A corrente PT da Base decidiu indicar o nome do empresário Flávio Moura, de 29 anos, filho do deputado estadual Cabo Almi, para ser candidato a vice na chapa a ser encabeçada pelo deputado estadual Pedro Kemp, pré-candidato do partido à Prefeitura de Campo Grande. Mais um ou dois nomes poderão ser indicados por outras correntes da sigla, como a CNB, que tem entre suas lideranças o deputado federal Vander Loubet e cogita lançar o nome de Eloisa Castro Berro, que foi secretária no governo Zeca do PT. Com aval de Kemp, o nome do vice deverá ser decidido por consenso ou no voto, se não houver acordo, pelo diretório municipal, que tem 44 membros, dos quais a corrente liderada por Almi tem 19 integrantes.

Pré-candidato, Kemp quer expulsão de vereador do PT por votar com prefeito

Um voto do vereador petista Ayrton Araújo em favor de um veto do prefeito Marquinhos Trad (PSD) irritou o deputado estadual Pedro Kemp, pré-candidato do PT à Prefeitura de Campo Grande. "Vou pedir ao diretório municipal do PT a abertura de processo ético-disciplinar contra o vereador Ayrton Araújo e sua exclusão da nossa chapa de pré candidatos a vereadores, por ter votado a favor da manutenção do veto do prefeito ao projeto de lei que previa o pagamento de adicional de insalubridade em grau máximo aos servidores da saúde que atuam no enfrentamento à covid-19 na Capital", disse Kemp. "Não é a primeira vez que o vereador vota com o prefeito e em desconformidade com a política defendida pelo partido. A votação de hoje, para mim, foi a gota d'água. É muito grave um vereador do PT votar contra os interesses dos trabalhadores, ainda mais daqueles que estão arriscando ou perdendo a própria vida nesta pandemia para atender a população. Seu comportamento vai contra os estatutos do partido. O PT surgiu no cenário político a partir da luta organizada dos trabalhadores, para ser instrumento de defesa dos interesses da classe trabalhadora", acrescentou o deputado. A situação abre uma crise no PT local, já que Araújo, único vereador do partido na Capital, é apoiado pelo também deputado estadual Cabo Almi.

Atacada por bolsonaristas no Twitter, Soraya reage criticando Paulo Guedes

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) virou alvo de ataques de bolsonaristas que a chamaram de "traidora" no Twitter, após votar pela derrubada do veto do preidente Jair Bolsonaro ao aumento de salários de servidores durante a pandemia como contrapartida dos estados e municípios ao socorro de R$ 60 bilhões do governo federal por causa da pandemia nesta semana, quando fez questão de acompanhar o presidente na viagem a Corumbá. Soraya contra-atacou publicando na rede social um vídeo (veja abaixo) em que Paulo Guedes diz que servidores que atuam na linha de frente da covid deveriam ser "exceção a qualquer impedimento de aumento de salário", e escreveu: "A sorte do Min. Paulo Guedes é que os Senadores são bem mais polidos do que ele. Mesmo assim esse Sr não vai escapar da reprimenda, pois irresponsabilidade tem limites, e ele não está cuidando da economia da casa dele. Estamos tratando de um país!" [sic]. Veja aqui e aqui.

Soraya e Simone votam contra Bolsonaro; de MS no Senado, só Nelsinho a favor

Dos três senadores de Mato Grosso do Sul, Soraya Tronicke (PSL) e Simone Tebet (MDB) votaram contra o veto do presidente Jair Bolsonaro que impede municípios e estados de concederem reajustes a servidores públicos até o fim do ano que vem, como contrapartida ao socorro de R$ 60 bilhões da União por causa da pandemia de covid-19. Só o senador Nelsinho Trad (PSD), que tem participado de comitivas do governo à convite de Bolsonaro como a que foi neste mês ao Líbano, votou a favor do governo. O voto mais surpreendente foi o de Soraya, que se elegeu com a bandeira de apoiadora de Bolsonaro. Ao divulgar quem votou contra e a favor no placar apertado de 42 a 30, o site Congresso em Foco frisou que os votos de dois aliados do presidente – Soraya e o vice líder do governo, senador Izalci Lucas (PSDB-DF) – pesaram na derrubada do veto: "Se os dois tivessem acompanhado o governo, o veto teria sido mantido, pois eram necessários 41 votos para que o dispositivo fosse derrubado". O voto de Soraya também repercutiu entre apoiadores do presidente no estado.

Covid mata líder da igreja El Shaddai, pai do vereador Papy, em Campo Grande

Morreu aos 61 anos em Campo Grande, vítima da covid-19, o pastor Edilson Vicente da Silva, de 61 anos. Presidente da igreja El Shaddai e pai do vereador e presidente regional do Solidariedade, Papy, ele estava internado na UTI do Hospital Regional desde o mês passado. Nos últimos dias, um grupo de fieis saia todas as noites de carreata da sede da igreja El Shaddai e iam até o hospital, onde faziam cânticos de louvor e orações pelo líder religioso e por outros pacientes internados no local, conforme vídeo divulgado hoje pelo site Correio do Estado (veja aqui). A El Shaddai publicou nota de pesar no Facebook pela perda do pastor, que também era líder da Visão Celular do Modelo dos 12 em MS.


Voltar


Comente sobre essa publicação...