Semana On

Domingo 25.out.2020

Ano IX - Nº 416

Mato Grosso do Sul

Governador e presidente inauguraram estação de radar em Corumbá

Reinaldo Azambuja pediu a Bolsonaro continuação da segurança integrada na fronteira

Postado em 19 de Agosto de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O presidente da República Jair Bolsonaro destacou a parceria do Governo Federal com Mato Grosso do Sul na área de segurança pública, ao citar as apreensões recordes de entorpecentes, durante a sua visita a Corumbá, no último dia 18. O presidente inaugurou a nova estação radar de controle do espaço aéreo de baixa altitude, como parte do projeto de aprimoramento do sistema de vigilância na fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia,

O novo instrumento irá reforçar o sistema de radares e monitoramento da Força Aérea Brasileira (FAB) para reprimir ações do tráfico aéreo. A estação possui dois radares (o primário LP23SST-NG e o secundário RSM97OS) para controlar o espaço aéreo com foco na melhoria da cobertura em baixas altitudes para a identificação da presença de aeronaves não-autorizadas com cargas ilícitas, no território brasileiro.

A estrutura instalada em Corumbá é resultado da parceria firmada em 2018 entre a Força Aérea Brasileira (FAB) e a empresa Omnisys, subsidiária do Grupo Thales no Brasil, que prevê ainda a instalação de sistemas de vigilância em Porto Murtinho e Ponta Porã.

O presidente acionou a ativação da estação de radar e assistiu de um telão, com os demais convidados, a simulação de uma intercepção realizada por aviões Super Tucano da FAB a uma aeronave irregular a 1.500 pés, altitude até então não rastreada pelo Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB). Posteriormente, ocorreu nova simulação, com os caças e o avião interceptado aterrizando no aeroporto de Corumbá.

A entrada em operação da estação de controle – estão previstas unidades também em Porto Murtinho e Ponta Porã, que fazem fronteira com o Paraguai -, visa potencializar a identificação de aeronaves voando em baixas altitudes na extensa fronteira seca de Mato Grosso do Sul. A tecnologia trazendo benefícios operacionais tanto para o controle civil quanto para a defesa aérea, aumentando a capacidade de detecção de tráfegos não autorizados ou de emprego ilícito.

“Estamos constantemente buscando novas soluções e tecnologias para melhorar o trabalho prestado ao país dentro das nossas ações de controlar, defender e integrar 22 milhões de quilômetros quadrados”, disse o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Antônio Carlos Morelli Bermudez.

Combate ao narcotráfico

São as forças policiais de Mato Grosso do Sul, em especial o DOF (Departamento de Operações de Fronteira), as principais responsáveis pelas apreensões de drogas do país. De janeiro a agosto de 2020, a polícia sul-mato-grossense tirou de circulação mais de 424 toneladas de drogas, um aumento de 88% em relação ao mesmo período do ano passado.

Desde 2015, as forças estaduais apreenderam 2.057 toneladas de maconha e cocaína, que teriam como destino os grandes centros urbanos nacionais e internacionais, segundo a Superintendência de Inteligência da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

Continuação da segurança integrada na fronteira

Durante inauguração da Estação Radar de Corumbá, o governador fez dois pedidos ao presidente Jair Bolsonaro: a revitalização urgente da Malha Oeste e a manutenção da segurança integrada das fronteiras.

"Quem protege as fronteiras, protege o Brasil! Esse radar com certeza vai criar as condições necessárias para nós coibirmos principalmente as entradas que nós temos hoje de entorpecentes e de ilícitos a baixa altitude que até então não poderia ser interceptada. É uma visão estratégica do nosso Estado", afirmou o governador.

Reinaldo Azambuja lembrou ainda que as forças policiais de Mato Grosso do Sul são parceiras do Governo Federal na proteção das fronteiras com Bolívia e Paraguai, sendo as principais responsáveis pela apreensão de drogas que irrigariam os grandes centros urbanos do Brasil.

"Registramos no ano de 2020 a maior apreensão de drogas da história de Mato Grosso do Sul de todos os tempos: 467 toneladas de entorpecentes nessa parceria. Isso mostra o quão importante é a integração entre as nossas forças de segurança. Somos gratos e pela parceria e pelo apoio".

O governador explicou ainda a importância da Malha Oeste para a economia. "Nós temos urgência na relicitação da malha oeste, nossa antiga rede ferroviária, fundamental para o desenvolvimento e a integração latino-americana. Se nós sairmos daqui, presidente, de Corumbá, o senhor chega a Cochabamba, no país vizinho, com a ferrovia implantada e estabelecida. É possível acessar os portos chilenos, então nós teríamos com a revitalização da Malha Oeste a primeira e viabilizada integração sul-americana de Atlântico e Pacífico e com certeza uma grande capacidade de desenvolvimento social e de geração de oportunidade ao Brasil e, principalmente, ao Centro-oeste brasileiro, tornando nossos produtos competitivos aos mercados internacionais".

Agronegócio

Durante sua visita ao MS, o presidente também enfatizou a força do agronegócio brasileiro – no qual o Estado participa com safras recordes de grãos – e elogiou o desempenho da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, representante de Mato Grosso do Sul na sua equipe ministerial. “A ministra é orgulho do agronegócio não apenas desse Estado, mas do Brasil. Parabéns pelo seu trabalho maravilhoso”, disse.

Ao lembrar da sua convivência com o governador Reinaldo Azambuja quando ambos eram deputados federais, Bolsonaro recordou-se do período em que residiu na cidade de Nioaque, onde prestou serviço militar por três anos. “Mato Grosso do Sul mudou a minha vida, por isso é sempre um prazer vir aqui. Fui para Nioaque para passar um ano e meio e fiquei três anos por livre e espontânea vontade”, frisou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...