Semana On

Quarta-Feira 21.out.2020

Ano IX - Nº 415

Coluna

Decreto de flexibilização é 'desserviço' ao combate da Covid em MS, diz secretário

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 29 de Julho de 2020 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Um dia depois de o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), decretar a volta a abertura do comércio aos fins de semana e reduzir em uma hora o toque de recolher cujo início passa das 20 para às 21 a partir deste sábado (1º), o secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, disse que o Governo do Estado, com o programa Prosseguir, municia os 79 municípios com informações para que tomem medidas contra o avanço da Covid, da ocupação de leitos de UTIs e declarou:

"Três cidades encontram-se neste momento em coloração negra: a Capital, Aquidauana e Miranda. Precisam aprofundar medidas restritivas. Decretos que venham no sentido de flexibilizar, entram em rota de colisão, uma colisão muito forte, com o programa Prosseguir. Entendemos que é preciso um toque de recolher com maior número de horas, evitar aglomerações, evitar algumas atividades que no próprio programa, tá dizendo, que não são atividades essenciais, são atividades de médio e de alto risco. E, lógico que esses decretos entram, de fato, naquilo que nós entendemos hoje, um desserviço ao enfrentamento da Covid aqui em Mato Grosso do Sul".

Veja o vídeo.

Geraldo cobra ação de prefeitos contra a Covid: 'esqueçam o calendário eleitoral'

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, voltou a pedir que os prefeitos e prefeitas de Mato Grosso do Sul "esqueçam o calendário eleitoral" e tomem medidas restritivas "muito duras" contra o avanço da Covid-19 e o monitoramento dos infectados e seus contatos, "principalmente em Campo Grande e Corumbá".

"Não adianta desculpas, não adianta arrumar argumentos questionáveis. Contra números, não há argumentos", disparou Resende, ao lamentar os índices pífios de isolamento social na maioria das cidades, durante a live em que foram anunciados mais catorze mortes e 968 casos positivos do novo coronavírus.

'Passar batom na CPMF' não vai deixar de onerar a classe média, diz Simone Tebet

O Congresso não vai aceitar qualquer proposta do governo federal de criar uma contribuição sobre as transações digitais, uma nova CPMF, mesmo com a justificativa de financiar um programa de renda básica inserida no projeto de reforma tributária, disse a senadora Simone Tebet (MDB-MS) à IstoÉ. Presidente da CCJ que avalia todos os projetos que passam pelo Senado, Simone disse em live da revista, ontem, que é preciso pensar em maneiras de tributar a renda e a propriedade dos mais ricos no país, e não ressuscitar a CPMF, que oneraria mais uma vez a classe média.

"Não adianta passar um batom na CPMF que vamos achar que a moça é bonita. Não é assim. Este é um Congresso que está antenado com essa questão", declarou. SONEGAÇÃO E CORRUPÇÃO – "O brasileiro paga muito e de forma injusta. O governo arrecada muito e arrecada mal", acrescentou a senadora frisando que "o valor da sonegação de impostos no Brasil, 500 milhões de reais, é o dobro da corrupção". Simone também criticou o envio fatiado da reforma tributária ao Congresso. "Não dá para montar um quebra-cabeça com peças faltando. É preciso ter todas as peças para decidir por onde começar", afirmou. Ela citou as reações negativas à proposta que aumenta impostos de serviços e reduz de bancos, por exemplo. "Depois a equipe econômica disse que esse aumento será compensado pela desoneração da folha. O governo erra na comunicação", acrescentou a senadora.

Com covid e dengue, Delcídio volta a ser internado em Campo Grande

Duas semanas depois de testar positivo para covid-19 e também ter sido diagnosticado com dengue na semana passada, quando ficou três dias internado até ter alta, o ex-senador e presidente estadual do PTB, Delcídio do Amaral, voltou a ser hospitalizado em Campo Grande.

"O 'ioiô' dos sintomas resolveu ficar parado de ontem pra hoje e não melhorei. Essa noite tive mais febre e acredito que estou desidratando. Não adianta teimar! Estou voltando pro hospital", escreveu Delcídio no Facebook, ao postar link de vídeo (veja aqui) de matéria exibida hoje pela TV Morena, onde aparece visivelmente abatido e fala sobre os sintomas das doenças: "A gente se sente um farrapo humano."

 

Vice-presidente do DEM, Saraiva quer disputar Prefeitura de Campo Grande

"Estou pensando em lançar meu nome a candidato a prefeito de Campo Grande" disse neste sábado ao Blog o vice-presidente municipal do DEM na Capital, Airton Saraiva, dois meses depois de ter dito que seu partido deveria apoiar a reeleição do prefeito Marquinhos Trad (PSD), conforme havia defendido o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que é filiado à sigla e primo do atual gestor. Indagado se ocorreu alguma divergência com o prefeito, Saraiva negou.

O ex-vereador citou que o DEM é hoje um partido forte no estado, com um ex-ministro, uma ministra (Tereza Cristina) um vice-governador (Murilo Zauith) e dois deputados estaduais (Zé Teixeira e Barbosinha) e, na sua avaliação, não pode ficar fora da eleição na Capital. "Eu tive quatro mandatos de vereador e acho que me dá esse direito de poder pleitear isso. Com certeza, vou conversar com todos os líderes do partido, o próprio Mandetta, a Tereza, o Murilo, o deputado Zé Teixeira, o Barbosinha pra construir uma candidatura", disse Saraiva em áudio enviado ao Blog, frisando que se será candidato se tiver o aval das demais lideranças da sigla. Ouça a íntegra da gravação.


Voltar


Comente sobre essa publicação...