Semana On

Domingo 09.ago.2020

Ano IX - Nº 405

Coluna

'Não sou pré-candidato e jamais falei sobre Moro de vice', afirma Mandetta

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 22 de Julho de 2020 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Consultado sobre sua entrevista à BandNews em que admitiu que poderá ser candidato em 2022, Luiz Henrique Mandetta disse que, pelo menos por enquanto, está concentrado em concluir o livro que está escrevendo, e que diante da pergunta da jornalista Mônica Bergamo, apenas admitiu a possibilidade de disputar as eleições nacionais.

"Não sou pré-candidato. Na BandNews, falei a maior parte do tempo sobre a Covid e como a jornalista insistiu eu disse que posso ser candidato a qualquer cargo em 2022, menos a deputado federal pois entendo que depois de dois mandatos cumpri meu papel".

Também questionado sobre a informação da coluna de Bela Megale em O Globo afirmando que ele teria dito a interlocutores que só aceitaria formar chapa com Sérgio Moro caso ele fosse disputar a Presidência e o ex-ministro da Justiça fosse vice, Mandetta negou veementemente: "Jamais disse isso à jornalista ou a qualquer pessoa. Tenho bom relacionamento com o Moro e até telefonei hoje pra ele explicando que eu jamais afirmei tal coisa. Não estamos montando chapa. Estou concentrado em escrever meu livro e ajudar o país a superar essa epidemia", declarou o ex-ministro da Saúde.

Candidato ou não?

Apesar disso, Mandetta admitiu na entrevista que poderá ser candidato a Presidência da República na próxima eleição. "Em 2022, eu vou estar em praça pública lutando por algo que eu acredito. Se o Democratas acreditar na mesma coisa, eu vou. Se o Democratas achar que ele quer outra coisa, eu vou procurar o meu caminho. Eu vou achar o caminho, como candidato, ou carregando o porta-estandarte do candidato em que eu acreditar" ", disse o ex-ministro da Saúde em entrevista ontem ao programa Ponto a Ponto, da BandNews.

A apresentadora Mônica Bergamo indagou: "Como candidato, o senhor diria candidato a presidente, certo?". –"A presidente, a vice-presidente, no meu estado aqui vai ter eleição de governador, de vice-governador, de senador" respondeu Mandetta, descartando apenas voltar a disputar uma cadeira de deputado federal, depois de ter exercido dois mandatos na Câmara. Na maior parte da entrevista, Mandetta foi questionado sobre a Covid-19 e voltou a criticar o presidente Jair Bolsonaro que, segundo ele, não deixa o Ministério da Saúde tomar medidas contra a pandemia. Veja o vídeo.

Bolsonaro volta a criticar Mandetta
Jair Bolsonaro voltou a criticar Luiz Henrique Mandetta em sua live nas redes sociais, depois de o ex-ministro da Saúde ter admitido que poderá ser candidato em 2022.

Ao afirmar que não vai se envolver com candidaturas de prefeitos neste ano porque o Brasil tem problemas "como o desemprego que criaram com essa política aí de tudo mundo em casa", e defender que seja "repensada" a situação pois "se continuar com essa política de isolamento o Brasil vai ser um país de miseráveis", Bolsonaro afirmou: "Eu lembro do Mandetta falando nas reuniões de ministros. 'Nós vamos ter caminhões do Exército carregando corpos nas ruas'. Meu Deus do céu, a que ponto nós chegamos. 'O pico é semana que vem, o pico é não sei quando... Terror o tempo todo. Era um ministro que passava muito mais aí, falando aí, em especial para aquela televisão que ele gostava, né, do que trabalhando em si".

Além de Covid, Delcídio descobre que também está com dengue

Além da Covid-19, Delcídio do Amaral, que está internado desde ontem no hospital da Cassems, em Campo Grande, soube que também está com dengue. É a segunda vez que ele contrai a doença transmitida pelo Aedes aegypti. A primeira foi há dez anos, quando chegou a ficar internado no Hospital El Kadri, também na Capital de MS.

O ex-senador postou no Facebook: "A Covid-19 e a dengue me pegaram! (9º dia) Inovei! Hoje soube que estou com “covengue” (um híbrido de covid-19 com dengue). Desculpem a brincadeira mas só assim pra levar adiante e manter a cabeça aprumada. Estava estranhando os sintomas que relatei antes sobre dor nas juntas, perda de peso e cansaço, pra serem somente da covid, que já não é pouca coisa. Aqui no Mato Grosso do Sul, nessa época, a dengue também corre solta. Esse conjunto de sintomas é muito estressante e perigoso, se negligenciado."

Trad defende acordo com os EUA para produção de vacina contra Covid

Na reunião com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo,no Itamaraty, o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), presidente da Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado, defendeu ontem um acordo de cooperação do Brasil com os Estados na área de saúde, com vistas à produção de uma vacina contra o Covid-19 em território brasileiro. "Existem medidas no âmbito do Executivo e do Legislativo que devem ser adotadas para agilizar a produção de vacinas para os brasileiros. O ministro considerou muito positiva a cooperação entre as comissões de relações exteriores do Brasil e Estados Unidos sobre saúde pública global e vai acompanhar o processo", disse Trad. Entre as ações, afirmou, estão a aprovação do PL 7082/2017, da ex-senadora Ana Amélia, com alterações sobre a pesquisa clínica em seres humanos. Também é preciso reduzir o prazo atual de 18 meses, da Anvisa/Conep, para aprovação de pesquisa médica, e regulamentar a parceria público-privada para criar mecanismo de apoio ao Instituto Butantã e à Fiocruz, para que recebam recursos específicos para pesquisas sobre Covid.

Progressistas confirma pré-candidatura de Alan Guedes à Prefeitura de Dourados

Em visita a Dourados neste fim de semana, o deputado Evander Vendramini, presidente estadual do Progressistas (antigo PP), disse que o vereador presidente da Câmara, Alan Guedes, é pré-candidato à prefeitura da cidade e disse que ele poderá polarizar a disputa com o deputado Barbosinha, pré-candidato do DEM. Indagado pela imprensa local sobre ele e Barbosinha serem da base governista na Assembleia, Evander respondeu que cada partido tem autonomia e sugeriu até uma possível aliança com o democrata. "De repente o Barbosinha, meu colega de Assembleia, pode vir a ser o vice do Alan Guedes. Por que não?", afirmou ao Diário MS. Em áudio (ouça no ícone) enviado aqui ao Blog, Vendramini disse ter sido incumbido pela direção nacional do Progressistas a lançar candidaturas para reforçar a sigla e, além de Dourados, destacou a pré-candidatura de Esacheu Nascimento, ex-presidente da Santa Casa, à Prefeitura de Campo Grande, declarou que o partido lançará candidatos em Bela Vista, Aquidauana, Miranda, Nova Alvorada do Sul, Camapuã, Iguatemi e Caarapó. "Até as convenções, novos nomes podem aparecer em outros municípios", acrescentou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...