Semana On

Terça-Feira 01.dez.2020

Ano IX - Nº 421

Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul tem 203 mortes por coronavírus e 15.805 casos confirmados

MS e MTS enfrentam escalada do novo coronavírus e falta de leitos em hospitais

Postado em 17 de Julho de 2020 - Semana On, José Maria Tomazela (O Estado de S.Paulo) – Edição Semana On

No Hospital Regional, uma Câmara fria teve que ser alugada para abrigar corpos. No Hospital Regional, uma Câmara fria teve que ser alugada para abrigar corpos.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Com mais 475 exames positivos para o novo coronavírus (Covid-19) nas últimas 24 horas, o número de casos confirmados da doença no Estado chega a 15.805. Foram registrados 12 óbitos, passando para 203 mortes pela doença em Mato Grosso do Sul. As informações foram apresentadas nesta sexta-feira (17).

Dos 15.805 casos confirmados, 5.018 estão em isolamento domiciliar, 10.239 estão sem sintomas e já estão recuperados e 345 estão internados, sendo 218 em hospitais públicos e 134 em hospitais privados. Nove pacientes internados são procedentes de fora do Estado.

Desde o dia 25 de janeiro, foram registradas 81.340 notificações de casos suspeitos da coronavírus em Mato Grosso do Sul. Destes, 59.254 foram descartados após os exames darem negativo para Covid-19, 2.132 exames aguardam resultado do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e 4.149 casos foram notificados e não foram encerrados pelos municípios.

Os dados publicados desde 19 de maio têm como fonte de dados o sistema de informações oficiais Sivep Gripe e E-SUS VE, alimentado pelos municípios. Eles estão sujeitos a alterações.

Os casos suspeitos em investigação tiveram as amostras encaminhadas para o Lacen, onde será feito o exame para nove tipos de vírus respiratórios, incluindo influenza e coronavírus. O laboratório realiza os exames para Covid-19 em Mato Grosso do Sul. Os resultados ficam prontos entre 24 a 72 horas, após o recebimento das amostras.

Hospital Regional

Nesta sexta-feira (17), o Governo do Estado publicou edital que amplia o quantitativo de vagas oferecidas no Processo Seletivo da Fundação Serviços de Saúde de Mato Grosso do Sul (Funsau) em mais 30 vagas para a função de enfermeiro.

“Trata-se de uma ampliação de vagas importante nesse momento, pois garante um reforço no combate à pandemia, além de melhorar o atendimento na linha de frente”, avalia a titular da SAD, Ana Nardes.

Leitos

A disseminação do novo coronavírus acelerou em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, estados que vinham registrando os menores índices de casos e mortes na região Centro-Oeste, novo epicentro da doença no País. Nos dois estados há hospitais lotados e pacientes precisam esperar pela desocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O Mato Grosso já cogita transferir doentes para outros estados. Enquanto o número de mortes sobe, os governos enfrentam dificuldade para manter a quarentena.

Em Mato Grosso do Sul, a média diária de mortes que era inferior a uma até a metade de junho, agora é de seis. O número de casos cresceu seis vezes em um mês. O Hospital Regional Rosa Pedrossian, em Campo Grande, referência para a covid-19, chegou a ficar sem espaço na câmara mortuária, alguns corpos foram armazenados em um container, alugado no início da pandemia.

Mesmo com toque de recolher a partir das 20 horas, na capital, as aglomerações acontecem. A Guarda Municipal precisou intervir para acabar com uma ‘rave’ – festa com música eletrônica – no bairro Chácara dos Poderes. Cerca de 40 pessoas foram abordadas e obrigadas a voltar para casa. Em outro bairro da Capital, uma mulher foi presa ao se negar a fechar um bar onde 18 pessoas consumiam bebidas.

Em menos de um mês, desde 18 de junho, o número de mortes mais que triplicou em MT, subindo de 295 para 1.077. Os casos positivos chegaram a 28.791. Foram 273 confirmações em 24 horas. Conforme a Secretaria da Saúde do Estado, a taxa de ocupação de leitos de UTI é de 98%, com 260 pacientes internados. O Estado sofre também com a falta de testes até para pacientes com sintomas respiratórios. Quando há teste, o resultado demora. Nesta segunda-feira, 13, duas mil amostras aguardavam análise.

A capital Cuiabá lidera o ranking do Estado. A cidade atingiu 100% de ocupação dos leitos de UTI e há pacientes na fila de espera. O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) anunciou a entrega de 20 leitos de UTI nesta segunda. Desses, cinco foram ativados e já estão ocupados. “Há dezenas de pessoas na fila por atendimento que já serão transferidas. Sei que logo vai encher, mas esperamos que seja por pouco tempo e que as pessoas tenham alta logo”, disse o prefeito.

Segundo o gestor, se houver necessidade de transferência, isso não será possível, pois não há vagas em todo o Estado na rede pública e privada. “Precisamos de bombas de infusão para abrir mais UTIs”, disse.

Cuiabá está em toque de recolher a partir das 20 horas, mas há desrespeito. A fiscalização já aplicou mais de mil multas, a maioria em bares e distribuidoras de bebidas.

A pasta estadual da saúde informou que, nesta segunda, dez pacientes com covid-19 continuavam à espera de leitos em UTI. A Secretaria considerava a possibilidade de transferir doentes para outros estados, "caso exista vaga e seja viável a transferência, considerando o quadro clínico individual". Conforme a pasta, o governo trabalha em parceria com os municípios para abrir mais de 200 vagas de UTI em Mato Grosso.    


Voltar


Comente sobre essa publicação...