Semana On

Terça-Feira 20.out.2020

Ano IX - Nº 415

Mato Grosso do Sul

TCU aponta que ao menos 6,5 mil pedidos do auxílio emergencial em MS estão com alguma irregularidade

Número pode ser ainda maior, pois o levantamento não considerou informações mais atualizadas que envolvem funcionários públicos estaduais e municipais

Postado em 03 de Julho de 2020 - TV Morena

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta que ao menos 6,5 mil pedidos do auxílio emergencial, em Mato Grosso do Sul, possuem alguma irregularidade. O número pode ser ainda maior, pois o trabalho não considerou informações mais atualizadas que envolvem funcionários públicos estaduais e municipais, que, conforme a Controladoria-Geral da União (CGU), são mais de 4 mil.

Em todo o país são ao menos 620 mil pedidos dos R$ 600 suspeitos de fraudes. Por causa disso, o TCU decidiu que vai enviar ao Ministério Público Federal (MPF), os casos mais graves de irregularidades. A partir daí, as pessoas que receberam o auxílio sem ter o direito poderão ser responsabilizadas judicialmente.

O relatório do TCU aponta ainda que a principal fraude pode estar ligada a beneficiários do INSS. Ou seja, pessoas que recebem pela Previdência Social e, mesmo assim, buscaram o auxílio dos R$ 600, o que não é permitido.

São 3.381 pedidos de pessoas que recebem pelo INSS; outros 1.824 de quem recebe benefício emergencial; 467 de servidores e pensionistas federais; 396 de quem recebe seguro desemprego; 208 com nomes de pessoas já falecidas e 157 de quem tem renda superior ao limite.

Conforme o relatório, seis estados e o Distrito Federal tiveram menos irregularidades que Mato Grosso do Sul. Quem conseguiu o benefício de forma irregular pode devolver os valores através de guia de recolhimento da união, uma espécie de boleto. Com isso, o valor recebido volta à União.


Voltar


Comente sobre essa publicação...