Semana On

Terça-Feira 11.ago.2020

Ano IX - Nº 405

Campo Grande

Confederação Brasileira de Voleibol confirma Campo Grande como sede da Liga das Nações em 2021

Ação do Governo do Estado garantiu Guanandizão como palco das disputas entre 4 e 6 de junho do ano que vem

Postado em 02 de Julho de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Campo Grande continua como sede de uma das etapas da Liga das Nações de Vôlei programada para 2021. A Federação Internacional de Voleibol (FIVB), por intermédio da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), já havia priorizado a Capital sul-mato-grossense para receber a competição. Os jogos ocorrerão de 4 a 6 de junho de 2021, no Ginásio Poliesportivo Avelino dos Reis, o “Guanandizão”.

O governador Reinaldo Azambuja reiterou o compromisso do convênio firmado junto à CBV, via Federação Estadual de Voleibol (FVMS), com repasse de R$ 1,3 milhão de recursos próprios para a realização do evento. Além do Brasil, a FIVB confirmou a participação das seleções de Polônia (atual campeã do mundo), Bulgária e China.

“Estávamos apenas esperando a FIVB confirmar a remarcação da data, mas já tínhamos convicção de que Campo Grande continuaria como sede, pela seriedade em que conduzimos todas as tratativas e o planejamento junto aos dirigentes da CBV”, frisa o diretor-presidente da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), Marcelo Ferreira Miranda.

A edição 2020 do torneio mundial foi cancelada, no dia 8 de maio, pela FIVB em função do avanço da pandemia mundial do novo coronavírus (Covid-19). No Brasil, a etapa na Capital estava prevista para acontecer entre os dias 19 e 21 de junho, na fase de grupos masculina, com Brasil, Alemanha, Itália e Rússia em quadra. Além disso, a Liga marcaria a reabertura do Guanandizão.

“O adiamento para 2021 não alterou o processo de convênio da Liga das Nações, sendo que o governador Reinaldo Azambuja nos deu tranquilidade em relação ao recurso disponibilizado e, agora, temos certeza de que Mato Grosso do Sul será palco de um evento de proporção mundial”, acrescenta Miranda.

Para o presidente da FVMS, José Amâncio da Mota, o “Madrugada”, o comprometimento do Governo do Estado foi crucial para trazer a Liga das Nações. “Durante esse ano, o governador entusiasmou muito a realização deste evento e que infelizmente não pudemos realizar devido à pandemia. Mas, mesmo assim, manteve a intenção de sediar e dará aos sul-mato-grossenses a oportunidade de acompanhar uma competição dessa grandeza”.

A Cidade Morena voltará a receber a seleção verde e amarela após 17 anos. A última vez em que o selecionado tupiniquim esteve na Capital foi em 2004, quando derrotou Portugal pela Liga Mundial (hoje, Liga das Nações) em dois confrontos, ambos vencidos por três sets a zero.


Voltar


Comente sobre essa publicação...