Semana On

Sábado 28.nov.2020

Ano IX - Nº 421

Mato Grosso do Sul

Covid-19: MS tem sete vezes mais casos do que tinha há 30 dias e uso de máscara passa a ser obrigatório na segunda

Governo do Estado acionará Hospital de Campanha do HR nos próximos dias

Postado em 19 de Junho de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Mato Grosso do Sul tem 4.666 casos confirmados e 41 óbitos pela doença. São sete vezes mais casos do que há 30 dias, quando eram 613. Com esses dados alarmantes, o uso de máscaras faciais será obrigatório em todo o território de Mato Grosso do Sul a partir da próxima segunda-feira, 22 de junho. A medida pretende evitar a propagação do coronavírus e a infecção pela doença Covid-19.

Segundo o secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, a determinação atende pedido do Centro de Operações Emergenciais (COE) da Secretaria de Estado de Saúde (SES), que desenvolve estratégias de combate e controle do coronavírus.

O uso do acessório de proteção individual será obrigatório nos seguintes locais:

- em todos órgãos públicos;

- em todos os estabelecimentos privados de acesso ao público;

- em todo transporte coletivo intermunicipal e interestadual;

Ao anunciar a medida, Riedel destacou “a preocupação crescente” das autoridades de saúde em relação ao aumento do número de doentes, principalmente na macrorregião de Dourados, que compreende 33 municípios.

“O uso de máscaras é importante, cuidado com coletivo, respeito ao próximo, temos que ter essa consciência. Por isso, o Governo vai fazer valer essa condição para que tenhamos controlada as taxas de contaminação”, completou o secretário.

Indicada pela SES, a medida contribui com a população e com os municípios. “Assim conseguimos, com certeza, uma parcela de vidas a serem salvas”, afirmou a secretária-adjunta da pasta, Christinne Maymone.

As punições pelo descumprimento do decreto vão de advertência educativa a interdição, suspensão de venda ou fabricação, cancelamento de registro, interdição parcial ou total, cancelamento de alvará ou licença, proibição de propaganda, multa e até intervenção, no caso de estabelecimento de prestação de serviços de interesse para a saúde.

O Governo de Mato Grosso do Sul também irá distribuir 2 milhões de máscaras para servidores e população em vulnerabilidade social. A primeira compra, de 1.500.000 unidades já foi feita e a entrega do primeiro lote, de 100 mil unidades, deve acontecer até o dia 26, mas poderá ser antecipada. A entrega do total de unidades será feita em três etapas. Outras 500.000 máscaras, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, serão adquiridas de costureiras e microempresários, para fomentar a economia local.

Regional

Por conta do crescente número de infectados e óbitos por Covid-19 em Mato Grosso do Sul, a diretora-presidente do Hospital Regional (HRMS), Rosana Leite de Melo, afirmou que o Hospital de Campanha será acionado nos próximos dois dias e que a unidade está pronta para o enfrentamento.

Para a diretora-presidente do Hospital Regional, o aumento de casos é reflexo do relaxamento da quarentena pela população.  “Não queremos que isso aconteça, mas estamos preparados para esse cenário. Infelizmente, se a população não colaborar com o isolamento e começar a se prevenir em meio a essa pandemia, o quadro poderá ser ainda pior. Mas estamos prontos para esse enfrentamento”, disse.

“Nosso apelo é para a população: não saia de casa sem necessidade. Se sair, usem máscaras. Evitem aglomerações. Protejam-se e nos ajudem a manter o hospital com o menor número possível de casos, pois se acontecer de sobrecarregar o sistema de saúde, pode não haver vagas para você ou para seus familiares”, acrescentou Rosana. 

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, também reforçou a importância do isolamento social. “Os dados são alarmantes. Nós temos 4.274 casos confirmados no Estado, além de um significativo aumento nas internações. Mesmo ativo, queremos que o Hospital de Campanha seja um suporte que não queremos que seja utilizado, para isso o caminho é um só: a conscientização de todos em relação ao atual momento que estamos vivendo”. 

Referência no enfrentamento da Covid-19, o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul vem se preparando desde fevereiro para a pandemia do novo coronavírus. Ele criou o gabinete de crise e também um Plano de Enfrentamento. Os protocolos médicos e o tratamento clínico para pacientes estão dando resultado, dentro e fora do HRMS e sendo copiados por vários hospitais particulares, inclusive de outros estados.

Mais de 2.000 trabalhadores da saúde no Estado receberam treinamento promovido pela Diretoria de Ensino, Pesquisa e Qualidade Institucional do HRMS para enfrentamento a Covid-19, auxiliando comunidades rurais, fronteiriças, ribeirinhas e indígenas em várias regiões de Mato Grosso do Sul.

Dentro do hospital, houve mudanças nos setores, reformas e materiais cedidos pelo Ministério da Saúde em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde. Já do lado de fora, um Hospital de Campanha foi montado a fim de dar suporte estrutural para esse enfrentamento como retaguarda.

A Secretaria de Estado de Saúde e a Fundação de Saúde abriram contratação emergencial para a equipe, aumentando o quadro funcional de médicos, técnicos e enfermeiros, que estão na linha de frente contra a pandemia.

Equipamentos como respiradores artificiais foram reformados com o apoio de entidades e universidades. Outros, foram alugados pelo Ministério da Saúde e cedidos para o HRMS, que tem 125 respiradores artificiais para serem usados durante a crise.

As comunidades campo-grandenses e empresarial se solidarizaram com a causa e diariamente encaminham doações de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), matérias de limpeza e alimentos para o hospital. A última grande doação veio do Rotary Clube Campo Grande, de 300 Mascaras N95.

O Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social de MS (Sintss-MS) colaborou com os funcionários e com o hospital com álcool em gel, relógios de parede, face-shield (proteção facial), laringoscópios, máscaras cirúrgicas e máscaras PFF1, acrílicos de proteção que foram instalados nos locais de atendimento ao público, TNT e enxaguante bocal. Até a dupla sertaneja Maria Cecília e Rodolfo, com o apoio do Sesc, fez uma significativa doação para o Hospital Regional, por meio da Live dos cantores.


Voltar


Comente sobre essa publicação...