Semana On

Segunda-Feira 26.out.2020

Ano IX - Nº 416

Campo Grande

Sem receber da Prefeitura, Santa Casa volta a limitar atendimento

Hospital não recebe pagamento há 3 meses e dívida já está em quase R$ 17 milhões

Postado em 19 de Junho de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Sem receber da Prefeitura de Campo Grande, a Santa Casa segue atendendo apenas casos urgentes. A falta de insumos, atraso no pagamento de médicos, enfermeiros e demais colaboradores é resultado do não repasse de quase R$ 17 milhões nos últimos três meses. Na semana passada, o prefeito Marquinhos Trad liberou pouco mais de R$ 1 milhão ao hospital, quantia pífia diante do valor total da dívida.

A situação financeira difícil enfrentada pela Santa Casa é crônica em virtude de constantes atrasos de pagamento por parte da Prefeitura pelos serviços prestados pelo hospital. Não era para ser assim, já que o mais recente Programa de Refinanciamento de Débitos Municipal foi batizado pelo prefeito Marcos Trad com o pomposo nome de “Refis Saúde”.

Conforme notícia publicada no site da prefeitura (Cique aqui e leia), “o Refis 100% Saúde será direcionado ao custeio de despesas deste setor, um dos mais exigidos diante da pandemia do novo coronavírus”. Na prática, no entanto, parece que o prefeito já mudou de ideia. O dinheiro arrecadado até o momento já estaria comprometido com a folha salarial do município.

Situação agonizante

Enquanto isso, a Santa Casa novamente agoniza com a falta de recursos. A decisão de atender somente casos de emergência médica e primeiros atendimentos de emergência para conter o uso de material hospitalar “é uma ação preventiva que deve durar no máximo até semana que vem”, disse o superintendente da Gestão Médico-hospitalar, Luiz Alberto Kanamura, ao jornal Correio do Estado.

Ele explicou que os pacientes operados e que têm retorno marcado na unidade serão atendidos, mas novos casos não serão mais recebidos. Os emergenciais posteriormente serão transferidos para outras unidades.

De acordo com declaração da diretora financeira do hospital, Sandra Ortega, também ao Correio do Estado, o motivo para a insuficiência de materiais se dá porque a Santa Casa não recebe pagamento da prefeitura há três meses.


Voltar


Comente sobre essa publicação...