Semana On

Sábado 04.jul.2020

Ano VIII - Nº 400

Mato Grosso do Sul

MS tem redução de 1.871 crimes no 1º quadrimestre de 2020

Dos 12 tipos de delitos monitorados, 9 tiveram redução; queda foi de 12,5%

Postado em 26 de Maio de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Apesar de fazer fronteira seca com dois países e de possuir a maior população carcerária do país, Mato Grosso do Sul está se consolidando como um dos estados mais seguros do Brasil. É o que comprovam levantamentos como o Monitor da Violência – feito pelo G1, Núcleo de Estudos da Violência da USP e Fórum Brasileiro de Segurança Pública – e os números da Secretaria de Justiça e Segurança Pública.

Relatório do Núcleo de Estatística e Análise Criminal mostra que nos primeiros quatro meses do ano (janeiro a abril), Mato Grosso do Sul teve queda de 12,56% nos delitos. Foram 1.871 crimes a menos. Dos 12 tipos de crimes, nove sofreram reduções, incluindo feminicídio (-8,3%), furtos (-11,9%) e roubos (-17,4%).

Já o Monitor da Violência revela que em março, último mês disponível da pesquisa, Mato Grosso do Sul teve o 4º menor índice de crimes violentos (1,37 para cada 100 mil habitantes). Os únicos estados que conseguiram números melhores foram São Paulo (0,73), Santa Catarina (1,10) e Rio Grande do Sul (1,32). Enquanto isso, a média nacional foi de 1,97 crimes violentos/100 mil habitantes.

A redução de crimes no Estado não é uma novidade causada pela pandemia do novo coronavírus, mas um resultado que tem se repetido continuamente. Observando os dados do Monitor da Violência, chama a atenção a queda ano a ano, de forma ininterrupta, registrada pelo levantamento a partir de 2017, quando o índice de mortes violentas caiu de 23,3 para 20,6 para cada 100 mil habitantes. Um ano depois, o índice encolheu para 17,5 e, em 2019, recuou ainda mais, para 16,96.

Para o secretário de Justiça e Segurança Pública, Antônio Carlos Videira, os números são produto dos chamados três “is”: Inteligência, Investimento e Integração entre as forças de segurança, sistema penitenciário e outras secretarias.

“É um conjunto que regido de forma integrada pelos gestores das instituições que integram a Secretaria de Justiça e Segurança Pública conseguem resultados esperados. Quando você começa a competir com seus próprios números, aumenta o desafio. Se você pega uma descendente e com crescimento populacional, você tem não apenas que manter os investimentos, mas aumentar os trabalhos de todas as instituições, com o apoio indispensável de outras secretarias, principalmente da Educação, da Saúde, da Infraestrutura e Assistência Social”, disse.

Desde 2015, Mato Grosso do Sul investiu mais de R$ 130 milhões em aquisição de viaturas, armamentos, munições, comunicação e equipamentos de proteção, concursos, formação, habilitação e promoções.

Videira explicou, no entanto, que o trabalho no combate à criminalidade e à violência não se restringe ao trabalho de prevenção e repressão, mas também ao monitoramento constante dos resultados, às medidas de ressocialização e ao investimento de forma equilibrada entre as forças de segurança.

É um trabalho contínuo que não para nem mesmo no ano da pandemia de Covid-19. Mais de 300 viaturas vão ser entregues neste ano, entre vários outros investimentos como melhorias nas instalações das unidades de segurança.

Redução de crimes como roubos e furtos durante isolamento social

As diversas medidas tomadas por vários municípios visando o isolamento social e o combate ao coronavírus colaboraram para que crimes como roubos e furtos diminuíssem tanto em Campo Grande quanto nas cidades do interior do Estado. A redução chega a 31% no total de casos registrados pela polícia sul-mato-grossense.

Para o titular da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Campo Grande, delegado Reginaldo Salomão, a redução nos crimes de furto e roubo, incluindo latrocínio, já vinha apresentando redução nos indicadores desde 2018, e no período em que se instalou a pandemia em razão do Covid-19, os números se mostraram ainda mais acentuados, registrando queda expressiva.

“Nós estávamos tendo essa redução em termos comparativo desde 2018 quando fizemos a Operação Matriz Cooper, que atacou os receptadores. Isso diminuiu a demanda de compradores de celulares nos casos de roubo. Já nos furtos, devido a pandemia, as casas passaram a ficar mais vigiadas por conta do isolamento social, e por isso, não tiveram muitos casos”, explica Salomão.

Furtos

Conforme levantamento realizado pela Superintendência de Inteligência de Segurança Pública (SISP) e pela Coordenadoria de Fiscalização e Controle, no período entre 9 de março a 10 de maio de 2020, em comparação com o ano anterior, os índices se mostraram satisfatórios. Nos furtos foram de 6.325 mil ocorrências em 2019, e no mesmo período de 2020, 4.570 ocorrências, apresentando redução de 28% em todo o Estado.

Ao separamos esses dados, a redução se mostrou maior no interior, onde a SISP registrou 3.631 mil ocorrências em 2019 contra 2.505 mil em 2020, queda de 31%. Campo Grande também sinalizou positivos aos registros, com 2.694 casos (2019) contra 2.065 casos (2020), redução de 23%.

Roubos

Nos casos de roubo, a SISP informa que a queda registrada em Mato Grosso do Sul foi de 36% – em 2019 foram 1.304 ocorrências e neste ano, 838 casos. Em Campo Grande, em 2019 foram 776 ocorrências e 573 em 2020, queda de 26%. No interior, o índice foi maior, em 2019 foram 528 casos e 265 registros de ocorrência em 2020, queda de 49%.

Reginaldo Salomão reforça que a redução nos casos roubo ocorreu graças à parceria com o setor de inteligência. “Se nós pegarmos os últimos roubos de abril a maio, 90% deles foram esclarecidos em uma semana. E também mantemos desde 2018, 2019, 2020 os índices na elucidação de crimes devido as equipes especializadas que montamos”.  

Para o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Antonio Carlos Videira, o trabalho da polícia reflete nas ruas e pontua que os intercâmbios das agências de inteligência, principalmente com outros estados e países, auxiliam no combate a crimes praticados no Estado.


Voltar


Comente sobre essa publicação...