Semana On

Segunda-Feira 13.jul.2020

Ano VIII - Nº 401

Mato Grosso do Sul

Com isolamento em queda, casos de covi-19 devem avançar nas próximas semanas em MS

Cinquenta funcionários do frigorífico de Guia Lopes da Laguna testaram positivo para a doença

Postado em 22 de Maio de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Fortalecer o isolamento social, as medidas de higiene e o uso de máscara. Esses foram os três pontos destacados pelo secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, para conter o avanço da Covid-19 em Mato Grosso do Sul.

O alerta do secretário se faz necessário diante das últimas elevações no número de casos confirmados no Estado. Em apenas 24 horas, foram 53 exames positivos, levando Mato Grosso do Sul a contabilizar 746 casos da doença.

Dos 746 casos confirmados, 434 estão em isolamento domiciliar, 267 estão sem sintomas e já estão recuperados. 31 estão internados, sendo 15 em hospitais públicos e 16 em hospitais privados. Três pacientes internados são procedentes de fora do Estado. Foram registrados 17 óbitos.

Desde o dia 25 de janeiro, foram registradas 6.277 notificações de casos suspeitos da coronavírus em Mato Grosso do Sul. Destes, 4.657 foram descartados após os exames darem negativo para Covid-19 e 21 foram excluídos por não se encaixarem na definição de caso suspeito do Ministério da Saúde. 231 exames aguardam resultado do Lacen. 622 casos foram notificados e não foram encerrados pelos municípios.

Os 231 casos suspeitos em investigação tiveram as amostras encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/MS), onde será feito o exame para nove tipos de vírus respiratórios, incluindo influenza e Coronavírus. O Lacen/MS realiza os exames para Covid-19 em Mato Grosso do Sul. Os resultados ficam prontos entre 24h a 72 horas, após o recebimento das amostras.

Isolamento em queda

Os dados de monitoramento com foco no isolamento social em todo Brasil mostram uma verdadeira montanha russa no mapeamento diário. Na quarta-feira (20) Mato Grosso do Sul voltou ao posto cativo de penúltimo lugar no ranking nacional, mesmo depois de ter subido uma posição no dia anterior.

Ocorre que o comportamento da população nos municípios brasileiros é fator determinante para essa classificação final, e mesmo que os índices de determinado Estado não sejam bons para o dia, o desempenho ruim de outras regiões do País interferem na classificação do ranking nacional. 

No entanto, a taxa média de isolamento social de Mato Grosso do Sul em comparativo recente, mostra relaxamento gradual nas medidas de distanciamento social, e movimentação de dias normais. Nesta quarta-feira o percentual de pessoas que se mantiveram em quarentena foi de 36,5%, enquanto que na terça foi de 37,5% e na segunda 38,1%. Os índices estão bem distantes dos 70% recomendados por autoridades mundiais de saúde como ideal. 

A adesão ao isolamento nos municípios com mais casos confirmados de Covid-19 foi de 35,6% (Campo Grande), 46,1% (Guia Lopes da Laguna), 39,1% (Três Lagoas), 39% (Dourados), 35,9% (Jardim) e 42,6% (Brasilândia).

Nos últimos dias, especialistas e autoridades de saúde tem alertado para o crescimento exponencial de casos nas próximas semanas, podendo em um curto espaço de tempo necessitar de toda capacidade de atendimento de saúde para enfrentar a Covid-19.

Frigoríficos

Cinquenta funcionários do frigorífico de Guia Lopes da Laguna, município com maior incidência de covid-19 em Mato Grosso do Sul, testaram positivo para a doença. "Eles não apresentavam nenhum sintoma", disse o secretário de Saúde da cidade, Marcelo Gonçalves.

A testagem de 145 funcionários, segundo o secretário, foi feita quinta-feira (21), como processo para retomada dos serviços da empresa, que estão suspensos desde que os primeiros casos foram confirmados. O local é apontado como epicentro da doença no município.

De acordo com Marcelo Gonçalves, todos os trabalhadores que apresentaram resultado positivo para a infecção pelo novo coronavírus estavam assintomáticos, foram colocados em isolamento e estão sendo monitorados. "Não tinham nenhuma dor de cabeça". Os familiares deles também serão testados.

Ainda conforme o secretário, a quantidade de funcionários positivos já era a esperada pela secretaria. Alguns deles já tinham sido testados no início da pandemia na cidade e tiveram o mesmo resultado nesta segunda testagem.

Até a manhã de quinta-feira (21), quando foi divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde o último boletim epidemiológico, Guia Lopes da Laguna havia registrado 119 casos de coronavírus, a segunda cidade com mais casos no estado, apenas atrás da capital, Campo Grande, com 222.

Fechado desde o último dia 8, após cinco funcionários testarem positivo para covid-19, a empresa pretende voltar aos trabalhos, com restrições, a partir desta sexta-feira (22), e por isso fez a testagem dos trabalhadores.

O frigorífico também realizou uma descontaminação do local nas partes interna e externa. No retorno, a empresa prevê a diminuição de abates por dia e, consequentemente, do número de funcionários, que deverão trabalhar com espaçamento de pelo menos 2 metros.

Outros dois frigoríficos de Mato Grosso do Sul registraram casos de coronavírus: um em Bonito, onde três funcionárias testaram positivo para a doença, e outro em Dourados, onde uma indígena que trabalha no local foi infectada por covid-19.

Ministério da Saúde habilita 77 novos leitos de UTI em MS

Foram habilitados 77 novos leitos para o combate ao coronavírus em Mato Grosso do Sul. A iniciativa compõe a demanda da Secretaria de Estado de Saúde para estratégia preventiva no tratamento da doença.

De acordo com a divulgação de hoje, serão implantados 10 UTI’s adulto na Santa Casa de Campo Grande, 10 UTI’s adulto no Hospital Regional de Campo Grande (somando aos 10 que o Ministério já havia implantado na unidade hospitalar anteriormente; 03 UTI’s Infantil no Hospital Regional de Campo Grande; 10 UTI’s adulto no Hospital Evangélico Senhora Goldsby King, em Dourados; 05 UTI’s adulto no Hospital Universitário da Grande Dourados; 10 UTI’s adulto no Hospital da Vida e 05 UTI’s adulto no Hospital Santa Rita.

Com isso, os recursos federais nesta iniciativa de ampliação de leito nos dois municípios ultrapassam 11 milhões de reais, o equivalente a 90 dias, podendo ser prorrogado.

“É uma boa notícia. São 157 leitos ao todo habilitados em Mato Grosso do Sul. Na primeira leva, foram 60 e depois mais 20 leitos dos 240 leitos que nós conseguimos construir em parceria com os municípios, principalmente, nos que são sede de região e de microrregiões”.

Para o secretário, esse será o legado que o SUS terá no pós-pandemia. “O legado da pandemia não será apenas no impacto econômico e nem apenas com os óbitos. Não será só negativo. Teremos também, com essa soma de esforços, a estruturação e regionalização da saúde pública, principalmente na média e alta complexidade”.


Voltar


Comente sobre essa publicação...