Semana On

Sábado 08.ago.2020

Ano IX - Nº 405

Mato Grosso do Sul

MS tem 479 casos confirmados de coronavírus e monitora 117 suspeitos: 14 pessoas já morreram

Campo Grande registrou na quinta-feira o quinto óbito por Covid-19

Postado em 15 de Maio de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Com mais 27 exames positivos para coronavírus (Covid-19) nas últimas 24 horas, o número de casos confirmados da doença no Estado chega a 479. A Secretaria de Estado de Saúde (SES) monitora outros 117 casos suspeitos.

Dos 479 casos confirmados, 230 estão em isolamento domiciliar, 215 estão sem sintomas e já estão recuperados. Outros 22 pacientes estão internados, sendo treze em hospitais públicos e nove em hospitais privados. Um paciente internados é procedente de fora do Estado e outro é de fora do País. Foram registrados 14 óbitos.

Das 1.920 amostras coletadas no Drive Thru Covid-19 em Campo Grande, 1.874 deram negativo e 46 deram positivo. Das 179 amostras coletadas no Drive Thru Covid-19 em Dourados, sete deram positivas e 172 foram descartadas. Das 162 amostras coletadas no Drive Thru Covid-19 em Três lagoas, 145 deram negativo e 17 positivo. Das trinta amostras coletadas no Drive Thru Covid-19 em Corumbá, todas deram negativo.

Desde o dia 25 de janeiro, foram registradas 4.553 notificações de casos suspeitos da coronavírus em Mato Grosso do Sul. Destes, 3.936 foram descartados após os exames darem negativo para Covid-19 e 21 foram excluídos por não se encaixarem na definição de caso suspeito do Ministério da Saúde.

Os 117 casos suspeitos em investigação tiveram as amostras encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/MS), onde será feito o exame para nove tipos de vírus respiratórios, incluindo influenza e Coronavírus. O Lacen/MS realiza os exames para Covid-19 em Mato Grosso do Sul. Os resultados ficam prontos entre 24h a 72 horas, após o recebimento das amostras.

Na Capital

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) confirmou na quinta-feira (14) o quinto óbito por coronavírus no município de Campo Grande. A vítima é um homem, de 38 anos, sem histórico de vínculo com caso confirmado ou viagem.

Segundo informações da Superintendência de Vigilância em Saúde da Sesau, o paciente manifestou os primeiros sintomas no dia 22 de abril, com relatos de febre, tosse, dor de garganta, vômitos, dispnéia e desconforto respiratório.

No dia 30 de abril ele foi internado em um hospital particular da Capital com  SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), sendo transferido no dia 01 de maio para a  UTI, onde foi entubado, permanecendo em ventilação mecânica.

O paciente apresentou melhora e teve alta da UTI no dia 12 de maio, sendo transferido para ala de semi-intensivo, onde permaneceu em monitoramente.

No dia 13 de maio apresentou quadro de dispnéia, com reagravamento do quadro clínico, vindo a evoluir com insuficiência respiratória aguda no dia seguinte, sendo necessária a entubação em sequência rápida e conectado a ventilação mecânica.

Durante entubação, paciente apresentou PCR (Parada Cardio Respiratória), realizada manobras de suporte avançado sem êxito, evoluindo a óbito na manhã de quinta-feira. Ele tinha histórico de diabetes e hipertensão.

As outras vítimas campo-grandenses são duas mulheres, de 71 e 63 anos, e dois homens, um de 74 anos e outro de 95 anos. Até o dia 14 de maio foram registrados 2.719 casos notificados de Covid-19 em Campo Grande, sendo 2.522 descartados, 167 confirmados e 29 suspeitos.

Planejamento e ações coordenadas fazem de MS o estado com menos casos e mortes

Planejamento e ações coordenadas são os principais motivos que fazem Mato Grosso do Sul conseguir frear o avanço da Covid-19 e ter o menor número de casos e mortes pela doença de todo o Brasil. A avaliação é do governador Reinaldo Azambuja.

A coordenação das ações foi feita por meio do Centro de Operações Especiais contra o Coronavírus e contou com a participação de todas as secretarias estaduais. “Eu acho que [o nosso desempenho no combate ao novo coronavírus] foi muito do planejamento. Dia 31 de janeiro montamos o Centro de Operações Especiais, divididas as responsabilidades por todas as secretarias: Saúde, Segurança Pública, Educação, Assistência Social. E planejamos algumas ações importantes, algumas paralisações, paralisação de aulas, de algumas atividades, mantivemos alguns serviços essenciais, criamos o teletrabalho para o servidor, baixamos praticamente 70 aplicativos do governo do Estado para evitar a vinda das pessoas nas repartições públicas e conversamos com os 79 municípios, prefeitos, lideranças municipais, para coordenar as ações dentro desse Centro de Operações Especiais”, explicou o governador.

O governador contou que o Estado está preparado caso aconteça um aumento no número de casos. Foram criados 214 leitos de UTI (um aumento de 43%) especificamente para atender pacientes com o novo coronavírus e apenas quatro deles estão ocupados. Ele explicou também que o hospital de campanha, montado e equipado anexo ao Hospital Regional, em Campo Grande, será utilizado se a ocupação hospitalar atingir o índice de 70%.

Entre as medidas destacadas pelo governador Reinaldo Azambuja no combate à proliferação do vírus estão a implantação das 17 barreiras sanitárias nas divisas com outros estados e fronteiras e a implantação do sistema drive thru com hora marcada para exames. Ele também lembrou das medidas para ajudar as famílias com dificuldade financeira durante a pandemia, como a entrega de alimentos e a proibição de corte de água.

O governador reafirmou ainda que a prioridade do governo é salvar vidas e disse que, após a pandemia, será o momento de o Brasil repensar a dependência da importação de equipamentos médicos e o uso do teletrabalho.


Voltar


Comente sobre essa publicação...