Semana On

Domingo 31.mai.2020

Ano VIII - Nº 395

Campo Grande

Prefeitura promove a inclusão de refugiados no mercado de trabalho em Campo Grande

Inclusão dos refugiados nos serviços de acesso às vagas de trabalho e programas de qualificação profissional, reforçam objetivo de zerar a fila do desemprego em Campo Grande, afirma diretor-presidente da Funsat

Postado em 13 de Maio de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Funsat (Fundação Social do Trabalho), tem desenvolvido diversos programas e serviços para incluir os munícipes no mercado de trabalho, também se estendendo a comunidade de estrangeiros e refugiados.

O objetivo, segundo o executivo municipal, é promover a geração de oportunidades de trabalho, emprego e renda, melhorando a distribuição de riqueza e contribuindo para a construção de uma sociedade desenvolvida e justa,

A haitiana Feliese Bazelais, que veio há dois anos de Porto Príncipe, capital do Haiti, para Campo Grande com o sonho de uma vida melhor, é uma das beneficiadas. Acompanhada pelo primo, Jesus Denord, que chegou do Haiti há cinco anos, Feliese foi selecionada pelo Proinc (Programa de Inclusão Profissional) e vai trabalhar com serviços gerais na Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços).

“Agradeço pela oportunidade de trabalho que a Funsat está me proporcionando e vou me dedicar ao máximo para construir uma vida digna para minha família. Meu filho vai completar um ano e quero dar a ele a perspectiva de um futuro mais promissor do que seria no meu país”, disse.

Para o diretor-presidente da Funsat, Luciano Martins, a inclusão dos refugiados nos serviços de acesso às vagas de trabalho e programas de qualificação profissional, reforçam o objetivo da gestão para zerar a fila do desemprego em Campo Grande. “Assim como os cidadãos campo-grandenses, os estrangeiros e refugiados também têm o direito de buscar oportunidades de emprego e cabe a nós fazer essa intermediação com as empresas e órgãos públicos que estejam disponibilizando vagas, valorizando a formação e experiência profissional destes trabalhadores”, afirma.

O Programa de Inclusão Profissional visa proporcionar ocupação, qualificação profissional e bolsa-auxílio para cidadãos que tenham de 18 a 70 anos, desempregados há pelo menos seis meses, sem carteira assinada e com renda bruta familiar de até um salário mínimo e meio, proporcionando oportunidade, geração de renda e inserção no mercado de trabalho.

Os trabalhadores do Proinc recebem um salário mínimo, vale-transporte, alimentação e cesta básica. É garantido um seguro de vida correspondente a 25 vezes o valor do salário mínimo para os casos de morte e até 50 vezes, em caso de invalidez e morte acidental. A Prefeitura também concede isenção de taxa de inscrições nos concursos realizados pela Prefeitura.

A prioridade para participar do programa é daqueles que tiverem menor renda per capita; mulher como arrimo de família; maior tempo de desemprego; mais velhos; além de reservados 2% das vagas para egressos do sistema penitenciário.


Voltar


Comente sobre essa publicação...