Semana On

Quarta-Feira 27.mai.2020

Ano VIII - Nº 394

Legislativo

Frente Parlamentar debate prevenção à Covid-19 nos lares para idosos em MS

Representantes dos lares para idosos relataram que as instituições têm adotado medidas de proteção. As visitas presenciais de familiares e amigos estão proibidas

Postado em 08 de Maio de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

As ações para proteger a saúde dos moradores das instituições de longa permanência para pessoa idosa foram o destaque da reunião da Frente Parlamentar do Idoso realizada na quinta-feira (7). Por meio de videoconferência, os integrantes falaram sobre as medidas adotadas para evitar o contágio por coronavírus nessas instituições e dos desafios para manter a qualidade de vida desse grupo de pessoas durante a pandemia.

“Acho que é fundamental essa discussão para que possamos atuar especificamente nos pontos mais críticos. Só através de informação que conseguimos ser mais eficientes”, destacou o coordenador da Frente Parlamentar e proponente da reunião, deputado Renato Câmara (MDB).

Segundo o representante da Defensoria Pública, Mateus Augusto Sutana, os defensores estão realizando um levantamento de dados junto às instituições de longa permanência nas comarcas de todo o Estado. “Queremos saber como esses locais estão se organizando em tempos de pandemia. Enviamos um questionário para todos os defensores aplicarem dentro das comarcas e checar”, explicou.

Sutano detalhou que os questionamentos visam saber, entre outros dados, a quantidade de pessoas na instituição, grau de dependência dos idosos, higienização dos trabalhadores e distanciamento nas áreas comuns. “Acredito que até a próxima reunião teremos um número consolidado para verificarmos irregularidades e ilegalidades”, disse.

A representante da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Neiva Cristina Barbosa dos Santos, fez uma explanação sobre o plano estratégico de enfrentamento ao coronavírus nas instituições de longa permanência. “Estamos elaborando uma nota técnica e um projeto de estratégias que envolve protocolo com medidas de segurança para preservar os idosos. Sabemos que os cuidadores têm uma vida fora da instituição e ao ingressar no lar dos idosos podem trazer risco de contaminação”, disse.

Também estão sendo feitas tratativas para que sejam reforçados os equipamentos de proteção individual dos colaboradores que trabalham nas instituições e o envio de testes rápidos capazes de diagnosticar a presença de Covid-19 nos profissionais e nos idosos. Os representantes dos lares para idosos relataram que as instituições têm adotado medidas de proteção. As visitas presenciais de familiares e amigos estão proibidas. Os encontros são realizados com a ajuda da tecnologia.

Junho Prata

Os participantes da Frente Parlamentar do Idoso também falaram sobre as ações que farão parte do Junho Prata: uma campanha estadual de enfrentamento à violência contra a pessoa idosa. A ação foi instituída pela Lei 5.215/2018, de autoria do deputado Renato Câmara. O parlamentar solicitou que o grupo faça as sugestões para as atividades do período.

“Penso que ao longo do mês de junho, cada instituição possa fazer uma ação virtual, por meio de palestras ou apresentações culturais, pois em junho ainda estaremos enfrentando a pandemia, segundo as previsões dos especialistas. Podemos fazer transmissões ao vivo. Durante maio, vamos pensar e programar o calendário de ações”, disse Câmara.

Para a representante da Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica do Mato Grosso do Sul (Segov), Luciana Azambuja, as atividades devem ser inclusivas para alcançar o maior número de pessoas. “Temos que pensar em como fazer um Junho Prata sem isolar ainda mais as pessoas e instituições. Temos que fazer a campanha toda de forma virtual, mas garantir que esses idosos tenham acesso a esse material”, pontuou.

Ao final da reunião, o deputado Renato Câmara enfatizou que as atividades da Frente Parlamentar continuam, mesmo durante a crise do coronavírus. “A Frente, ao longo desses dois meses, não parou. Fizemos vários encaminhamentos. Essa pandemia vai passar, mas precisamos fazer aquilo que podemos agora”, finalizou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...