Semana On

Quarta-Feira 23.set.2020

Ano IX - Nº 411

Campo Grande

Decreto torna obrigatório uso de máscaras no transporte e restringe a 7 passageiros em pé

Recomendação das autoridades em saúde é medida preventiva à transmissão do coronavírus

Postado em 01 de Maio de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A partir da próxima segunda-feira (4) será obrigatório o uso de máscaras para os usuários do transporte coletivo. A medida, prevista em decreto assinado pelo prefeito Marquinhos Trad, é uma recomendação das autoridades em saúde, como medida preventiva à transmissão do coronavírus. A máscara poderá ser descartável, reutilizável ou de fabricação caseira.

Junto com a exigência do uso de mascaras no transporte coletivo, medida já adotada na maioria dos grandes centros urbanos, o decreto limita o número de passageiros que poderão viajar em pé.

Nos veículos classificados como Micro, fica permitido o translado de no máximo 3 pessoas em pé. Naqueles considerados leves ou médios, máximo de 5 passageiros. Nos veículos classificados como alongados (os populares sanfonados), fica permitido o transporte de no até 7 usuários em pé.

Nos ônibus do tipo executivo, os “fresquinhos”, o transporte de pessoas em pé está proibido. Já nos carros dotados de climatizados ou ar-condicionado, que circulam de janelas fechadas, os equipamentos deverão estar no modo renovável.

O descumprimento das medidas pode acarretar responsabilização civil, administrativa e penal. A fiscalização caberá à Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito). O infrator pode ser enquadrado em crimes contra a saúde pública e contra a administração pública, como causar epidemia ou infringir medida sanitária preventiva, e de desobediência. As penas vão de multa à cadeia.

Prevenção

Para o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho,  além do distanciamento social e as medidas de higienização, o uso de máscaras pela população é mais uma ferramenta para impedir o contágio do novo coronavírus.

“Desta forma é possível reduzir a probabilidade de transmissão do vírus por uma pessoa infectada para outra que não esteja com Covid-19, se ambos estiverem fazendo o uso da máscara. Porém, é preciso reforçar que nenhuma medida é 100% e a população deve continuar tendo os cuidados necessário”, comentou.

O secretário lembra que a população deve optar pelo uso apenas de máscaras simples, feitas em casa, que podem ser confeccionadas com alguns materiais. As máscaras cirúrgicas e as N95, já em falta, devem ser exclusivas de profissionais de saúde, pacientes com Covid-19 e quem cuida de pacientes.


Voltar


Comente sobre essa publicação...