Semana On

Sábado 08.ago.2020

Ano IX - Nº 405

Campo Grande

Prefeitura e Exército realizam desinfecção de ruas e espaços públicos contra contágio do coronavírus

Vigilância Sanitária vistoria cumprimento de plano de biossegurança em shoppings da Capital

Postado em 30 de Abril de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Prefeitura de Campo Grande está investindo na desinfecção das ruas como forma de prevenção ao contágio do novo coronavírus-COVID 19. O trabalhos começaram há duas semanas e fazem parte da estratégia da gestão municipal em descontaminar e higienizar locais de grande circulação de pessoas e vias com grande fluxo de veículos. Durante o processo de descontaminação, são utilizados cerca de 20 mil litros de uma solução composta de hipoclorito de sódio, álcool e água sanitária, lançada de caminhões pipa.

A força-tarefa conta com mais de 30 homens, entre técnicos da Sisep fazendo a limpeza e desinfecção juntamente profissionais da Agetran realizando a interdição e sinalização das vias, além da Guarda Civil Metropolitana que fez a segurança dos locais.

Para o casal de comerciantes Zilda Gomes e João Bezerra, esta ação preventiva simboliza a atenção do poder público com a saúde da comunidade. “Agradecemos e acreditamos que todas as ações da prefeitura estão corretas. Está grande limpeza ajuda preservando a vida de todos nós comerciantes e moradores, antecipando que essa pandemia se alastre aqui na nossa região”, disse o casal.

“É preciso que todos se empenhem e façam a sua parte, que a população esteja junto com a Prefeitura. Quero parabenizar o prefeito pelas ações e se pudesse, daria um abraço nele, mas como agora não posso, quem sabe um dia vou ter essa oportunidade” agradeceu Belchior Batista de Almeida, comerciante e morador da Avenida dos Cafezais.

No decorrer destas operações estão sendo tomadas medidas protetivas no entorno dos locais, como isolamento e interdição de acessos, visando garantir a segurança da população e dos profissionais que participam da atividade.

“Estamos realizando desinfecção nas sete regiões da cidade, fazendo a nossa parte e alertando a população para que dê continuidade e também cuide a sua maneira da limpeza destes locais. Já fizemos o Mercadão, os noves terminais e estamos fazendo as feiras livres, mas de nada adianta se as pessoas não se conscientizarem. A mensagem é a mesma, fique em casa e utilize sempre a máscara e o álcool se precisar sair”, destacou o prefeito Marquinhos Trad.

O processo de descontaminação já passou pelos bairros Coophavila 2, Aero Rancho, Moreninhas e Coopatrabalho, além de terminais de ônibus e Centro. Em parceria com o Exército e a Marinha, o trabalho já foi feito no Mercado Municipal, Feira Central, além da Santa Casa.

HRMS

Para encerrar essa primeira etapa de desinfecção do Hospital Regional De Mato Grosso do Sul (HRMS) a equipe de Descontaminação do Comando Militar do Oeste (CMO) retornou ao HR no último dia 29 para atuar no hospital de campanha, estrutura montada na área externa.

A operação faz parte do apoio prestado pelo Comando Conjunto Oeste aos órgãos governamentais de saúde e visa proporcionar condições de segurança aos usuários e colaboradores contra os impactos causados pelo novo coronavírus.

No decorrer da ação foram tomadas medidas protetivas, como isolamento e interdição de acessos para garantir a segurança da população e dos profissionais que participaram da atividade.

De acordo com o tenente-coronel Sérgio Alves, essa mesma ação foi feita na Santa Casa de Campo Grande, no Aeroporto, na Feira Central e no Mercadão. “As Forças Armadas busca, mais uma vez, atender aos anseios da sociedade no combate aos efeitos advindos da propagação dessa nova pandemia mundial”, destaca.

A diretora-presidente do Hospital Regional, Rosana Leite de Melo, parabenizou o Exército por suas ações e disposição de auxiliar o Hospital no enfrentamento ao Covid-19. “A operação corrobora com as ações do hospital. Deixando o ambiente de trabalho, bem como a área emergencial, mais seguras para a população e para os colaboradores”.

No último dia 28, soldados do Exército Brasileiro, usando roupas especiais e bombas costais, estiveram no HRMS fazendo a desinfecção do Pronto Atendimento, usando álcool isopropílico e hipoclorito a 1%. A ação durou pouco mais de 40 minutos. A ação também foi realizada na ala psiquiátrica do hospital, sem interferir nos atendimentos hospitalares.

Shoppings

Equipes da Vigilância Sanitária fizeram vistorias simultâneas nos quatro shoppings da Capital para garantir o cumprimento do plano do biossegurança de combate ao coronavírus dos estabelecimentos. A ação, realizada no último dia 29, atende uma recomendação do Ministério Público, que encontrou falhas durante fiscalização feita na semana passada. 

Durante as ações, os fiscais examinavam itens principais como demarcações de distanciamento adequado entre os clientes e disponibilidade de álcool gel para desinfecção das mãos. “Os problemas maiores estão na praça de alimentação, onde os clientes se arrumam em filas para fazer ou retirar seus pedidos e acabam ficando muito próximos um do outro”, explica o coordenador da vigilância sanitária, Orivaldo Moreira. 

Além do distanciamento entre os clientes, toda loja também precisa disponibilizar álcool gel, na concentração de 70%, para higienização das mãos, além de tê-los em dispenderes nos corredores. Áreas de descanso comuns, precisam ser retiradas e mesas na praça de alimentação interditadas para que não haja uma aproximação muito grande entre quem estiver comendo e transitando pelo local. 

“Hoje nós deixaremos boletins de orientação para os lojistas, que terão um prazo para que se adequem às normas, após terminado esse prazo, os fiscais voltarão nesses locais para verificar se as medidas foram tomadas, caso contrário, será aplicada uma multa”, explica Moreira. 

O coordenador ainda explica que a principal preocupação da vigilância sanitária é no descaso da população com a Covid-19. “Nós vemos aqui muita gente que traz a família inteira para fazer compras, sem máscara, que não respeita o distanciamento marcado no chão… Isso é um risco enorme para ele e para quem está ao redor dele”, lamenta.


Voltar


Comente sobre essa publicação...