Semana On

Segunda-Feira 25.mai.2020

Ano VIII - Nº 394

Poder

Ernesto Araújo pira, alerta para plano comunista na pandemia e ataca OMS

Ministro questiona eficácia da OMS e diz que comunistas pretendem utilizá-la como primeiro passo na construção de uma dominação ‘planetária’

Postado em 24 de Abril de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, foi às redes sociais na madrugada do último dia 22 para alertar sobre um “plano comunista”, o qual ele chama de “comunavírus”, de apropriação da pandemia do Covid-19 para “subverter a democracia liberal”.

“Não bastasse o Coronavírus, precisamos enfrentar também o Comunavírus. No meu blog, analiso o livro ‘Virus’; de Slavoj Žižek e seu projeto de usar a pandemia para instaurar o comunismo, o mundo sem nações nem liberdade, um sistema feito para vigiar e punir”, escreveu o ministro no Twitter.

Em seu blog, o ministro de Relações Exteriores aproveita para atacar a Organização Mundial da Saúde (OMS) e diz que transferir poderes nacionais à organização não tem eficácia comprovada. Ele diz ainda que o “plano comunista” em curso pretende utilizar a OMS como “primeiro passo na construção da solidariedade comunista planetária”.

“Sim, não é o comunismo de outrora, que instalava ora num país, ora noutro, um sistema de planejamento econômico central, sempre fracassado em proporcionar bem-estar, sempre exitoso em controlar e oprimir a sociedade. Trata-se agora de um planejamento central mundial, que certamente traria o mesmo fracasso e o mesmo êxito desse modelo quando aplicado no passado na escala nacional”, escreve o ministro.

Em outro trecho, Araújo comenta as reflexões do autor de “Vírus” sobre a quarentena durante a pandemia. “Žižek não se preocupa com o resultado da quarentena para a contenção do coronavírus, ele não se preocupa em conter o coronavírus, mas sim em favorecer ao máximo o contágio do outro vírus, esse que ele mesmo denomina o vírus ideológico, “diferente e muito mais benéfico”. Ele louva a quarentena justamente pelo seu potencial destrutivo. Seu mundo dos sonhos é Wuhan quarentenada”, escreve.

Olavo corroborou

Idealizador da tese de que o coronavírus é parte de um plano comunista para instituir um governo mundial usando organismos multilaterais, o guru Olavo de Carvalho saiu em defesa de seu pupilo, Ernesto, e em publicação no seu facebook afirma que o coronavírus foi criado pelo serviço secreto chinês, onde trabalham políticos e funcionários do Estado brasileiro.

“O coronga foi e é a maior trapaça política da história humana. Trapaça obviamente criada pelo serviço secreto chinês, para o qual trabalham tantos políticos e altos funcionários do estado brasileiro”, escreveu o guru do governo Jair Bolsonaro, ressaltando em outra publicação que “o coronga mata menos do que qualquer outra doença do mundo”.

“Sim, não é o comunismo de outrora, que instalava ora num país, ora noutro, um sistema de planejamento econômico central, sempre fracassado em proporcionar bem-estar, sempre exitoso em controlar e oprimir a sociedade. Trata-se agora de um planejamento central mundial, que certamente traria o mesmo fracasso e o mesmo êxito desse modelo quando aplicado no passado na escala nacional”, escreve o ministro, que é doutrinado de Olavo de Carvalho.


Voltar


Comente sobre essa publicação...