Semana On

Sábado 04.jul.2020

Ano VIII - Nº 400

Mato Grosso do Sul

Com 60 mil cestas alimentares, Governo do Estado vai atender famílias nos 79 municípios de MS

Saiba como fazer doações para comunidades indígenas de MS durante a pandemia

Postado em 16 de Abril de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Já começaram a ser entregues nos depósitos do Governo do Estado as 60 mil cestas alimentares adquiridas e que serão destinadas às famílias em extrema pobreza atingidas pela pandemia do Covid-19 em Mato Grosso do Sul. A Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast) é quem efetuou a compra e está gerenciando o processo de distribuição para os 79 municípios do estado.

“Já estamos recebendo as primeiras remessas das cestas alimentares e com agilidade vamos repassar aos municípios por meio de um fluxo estabelecido e desenhando em conjunto com nossa Superintendência da Política de Assistência Social. Com esse processo queremos que esses alimentos cheguem de fato, o mais rápido possível, nas mãos das famílias de nosso Estado”, afirmou a titular da Sedhast, Elisa Cleia Nobre.

Ainda conforme a secretária da pasta, as cestas serão destinadas aos municípios de acordo com o porte populacional e priorizando os que recebem os menores valores do cofinanciamento do Fundo Estadual de Assistência Social (FEAS) e maior proporção de famílias em situação de extrema pobreza que não recebem programas de transferência de renda socioassistenciais.

A previsão é que as entregas das cestas ocorram em três etapas, sendo a primeira com 20 mil unidades. As 60 mil cestas alimentares são compostas com 02 pacotes com 500 g de macarrão tipo espaguete, de primeira qualidade; 01 pacote com 400 g de leite em pó integral; 02 pacotes com 5 kg de arroz agulha, longo fino, tipo 1; 01 pacote com 2 kg de açúcar cristal branco; 02 pacotes com 1 kg de feijão comum; 01 unidade com 900 ml de óleo de soja refinado; 01 lata com 125 g de sardinha em conserva em óleo comestível, primeira qualidade, e todas já embaladas em material resistente.

O processo de entrega também conta com o apoio da Defesa Civil, que entregará as cestas nos municípios de acordo com cronograma estabelecido. Nos municípios, o controle de entrega e a distribuição local será de responsabilidade da Secretaria Municipal de Assistência Social com a Defesa Civil, assegurando as orientações do Ministério de Saúde afim de evitar aglomerações.

Doações para comunidades indígenas

Com a intensificação das medidas de isolamento social provocadas pelo avanço do novo coronavirus, especialistas e grupos de apoio a causas indígenas alertam para um aumento da necessidade de assistência social nessas comunidades.

Atualmente, uma Portaria da Funai (Fundação Nacional do Índio) suspende atividades que impliquem contato de indígenas com comunidades externas e estabelece diretrizes para diminuir as chances de contágio do Covid-19 nas aldeias. Dessa forma, somente profissionais responsáveis pela prestação de serviços essenciais, como atendimento à saúde, segurança, entrega de alimentos e medicamentos podem entrar nas comunidades indígenas.

De acordo com a professora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) Beatriz Landa, o momento é de união e auxílio a essa população vulnerável. “Em reservas de Mato Grosso do Sul densamente povoadas como Dourados, Caarapó, Porto Lindo e Corumbá, um único caso pode resultar em perda de controle da saúde. Podemos ter muitas pessoas contaminadas, inclusive, pelo modo como os povos indígenas se organizam, muito próximos, como uma grande família”, ressalta Beatriz Landa.

A docente, que desde 2005 coordena o Projeto Rede de Saberes, que oferece suporte a estudantes indígenas, explica que neste momento as comunidades precisam de alimentos, materiais de higiene e de proteção, como máscaras e luvas.

Doações

As doações podem ser feitas por dois canais, a Subsecretaria de Políticas Públicas para a População Indígena e a Divisão de Atenção à Saúde Indígena (DIASI).

“Desde o começo, quando foi decretado isolamento social, nos preocupamos com os nossos parentes da aldeia. Muitos trabalham comercializando os produtos nas feiras de suas cidades ou de porta em porta e neste momento não podem sair de suas comunidades por precaução. Os caciques e lideranças imediatamente atenderam o isolamento e fecharam as entradas das aldeias, com comissão de lideranças que se revezam dia e noite”, afirma a subsecretária de Políticas Públicas para a População Indígena, Silvana Dias de Souza de Albuquerque.

Estima-se que há 80 mil indígenas residentes em 29 municípios de Mato Grosso do Sul, de acordo com dados da Secretaria Especial de Saúde Indígena, o que corresponde a segunda maior população indígena do País. Antes mesmo da chegada da Covid-19, doenças respiratórias já representavam uma das principais causas de morte dos povos nativos do País, o que aumenta a preocupação de especialistas com a exposição dessas comunidades ao novo vírus.

Serviço

Os produtos podem ser entregues na Subsecretaria de Políticas Públicas para a População Indígena, localizada na Avenida Fernando Correa da Costa, 559. Informações pelo telefone (67) 99808-6606.

Já a Divisão de Atenção à Saúde Indígena (DIASI) fica na Rua Alexandre Fleming, 2007. Informações sobre os pontos de doação podem ser obtidas pelos telefones (67)3378-4200/ 3378-4215 ou 3378-4214.


Voltar


Comente sobre essa publicação...