Semana On

Sábado 28.nov.2020

Ano IX - Nº 421

Coluna

Crise do coronavírus: atualizações do que muda nas operações no Brasil de empresas do setor de turismo

Gol encolheu a malha aérea e a Azul anunciou a redução de 90% das operações no país

Postado em 02 de Abril de 2020 - G1

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Veja abaixo uma lista com o que foi anunciado até o momento por grandes empresas aéreas ou ligadas ao turismo sobre suas operações após a pandemia de coronavírus.

A Agência Nacional de Aviação (Anac) negociou com as três principais empresas aéreas do país a manutenção de voos em todas as 27 capitais do país e mais 19 localidades. A nova malha aérea passa a valer neste sábado (28) e segue até o final de abril, quando uma nova avaliação será feita.

As empresas Gol, Azul e o Grupo Air France-KLM anunciaram a redução das operações no Brasil. A Air Canada suspendeu a rota entre Toronto e São Paulo temporariamente. E a empresa de hospedagem Decolar está priorizando clientes que precisam retornar para o Brasil ou com clientes com reservas com menos de 3 dias antes da viagem.

Veja abaixo os detalhes:

AVIAÇÃO

Gol: A partir deste sábado (28) a Gol irá centralizar todos os voos da companhia para o aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Segundo a empresa, a prioridade é atender aos clientes que tenham voos agendados entre os dias 28/3 a 3/5, que deslocarão os passageiros para as principais capitais e, sob demanda, para destinos regionais e internacionais.

Todos os destinos que irão sofrer alteração estão disponíveis no site da companhia. Em caso de cancelamentos e remarcações a Gol informou que flexibilizou políticas da empresa para clientes com voos marcados até o dia 30 de setembro de 2020.

Azul: em função da queda na demanda gerada pela propagação do coronavírus, a Azul informou que reduziu sua capacidade operacional em cerca de 90% desde 25 de março até 30 de abril. As medidas limitam significativamente clientes, tripulantes e parceiros. A companhia afirmou que já está em contato com “os clientes impactados pelas alterações para providenciar a reacomodação deles”.

Por conta disso, a companhia vai operar somente 70 voos diários para 25 cidades. São elas: Campinas (SP), Belo Horizonte (MG), Recife (PE), Belém (PA), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Fernando de Noronha (PE), Fort Lauderdale (EUA), Florianópolis (SC), Goiânia (GO), Manaus (AM), Montes Claros (MG), Orlando (EUA), Palmas (TO), Porto Alegre (RS), Porto Velho (RO), Rio de Janeiro - Santos Dumont (RJ), São Luís (MA), Salvador (BA), Tefé (AM), Tabatinga (AM), Uberlândia (MG) e Vitória (ES).

Latam: quem comprar passagens nacionais e internacionais até 31 de março poderá ter data ou destino alterado sem multas.

A rota São Paulo-Milão foi suspensa entre os dias 2 de março e 16 de abril. Todos os clientes com passagens dentro desse período com origem ou destino na Itália poderão remarcar data e/ou destino do bilhete sem multa (mas com diferença tarifária) ou pedir reembolso completo, de acordo com a validade do bilhete. Voos com origem ou destino na Itália programados até o dia 30 de abril poderão ter remarcados data e/ou destino para viajar até 31 de dezembro deste ano

Passageiros com voo para Israel, país que exigiu quarentena para ingresso no país, poderão remarcar data ou destino do voo sem multa (mas com diferença tarifária) para viajar até 31 de dezembro deste ano

Todos os voos internacionais com reservas feitas entre 6 e 22 de março poderão remarcar data e/ou destino do voo sem multa (mas com diferença tarifária). A alteração poderá ser feita uma única vez, até 14 dias antes da partida do voo original, e para viagens até 31 de dezembro deste ano

Para demais voos e destinos, a Latam informou que mantém a programação normal e que avaliará pontualmente caso a caso questões de flexibilização de regras.

Air France e KLM: o grupo Air France-KLM informou nesta sexta (27) que vai reduzir gradualmente suas atividades aéreas no país. Entre o Brasil e a Europa, as companhias manterão (sujeito a alterações):

Em Fortaleza, os voos de ambas as companhias estão suspensos até 3 de maio.

No Rio de Janeiro, a Air France operou segunda e quinta e operará sábado. De 30 de março até o fim de abril, a companhia operará uma vez por semana. A KLM voou segunda e quarta e também voará sábado. Até fim de abril, os voos da aérea holandesa estão suspensos.

Em São Paulo, a Air France voará três vezes por semana até o fim de abril. A KLM operou segunda, terça e quarta. Entre 30 de março e o fim de abril, serão duas frequências semanais.

Air Canada: A companhia anunciou a suspensão temporária da rota entre Toronto e São Paulo a partir de domingo (29) até 30 de abril.

Para clientes com reserva antes de 31 de março de 2020, a companhia oferece a opção do cancelamento sem taxa, com um valor de crédito que pode ser usada em viagens futuramente pela empresa marcadas antes do dia 31 de março de 2021.

American Airlines: todos os voos para São Paulo, Brasília e Manaus estão suspensos até o dia 6 de maio. Voos de Dallas para São Paulo serão suspensos entre 19 de março e 3 de junho. Viagens de Los Angeles para São Paulo ficam interrompidas entre 19 de março e 24 de outubro. A empresa pede para que procure seus canais de comunicação sobre alterações em relação a passagens.

TAP Air Portugal: a companhia definiu novas medidas de aumento da flexibilidade para alteração de datas e destino das viagens. Viagens reservadas antes de 8 de março e para voos com partida até 31 de maio, podem solicitar a alteração da data da viagem para até o dia 31 de dezembro, ou destino.

Para viagens após o dia 31 de maio a empresa recomenda que o viajante monitore a evolução da situação do novo coronavírus. "e quando a sua viagem estiver mais próxima e se a situação relativa à pandemia se mantiver, verifique novamente junto da TAP quais medidas devem ser tomadas". A taxa de alteração do voo é gratuita, no entanto, será cobrada as diferenças tarifárias, que podem variar de acordo com a data de viagem e/ou rota.

SITES DE BUSCAS DE PASSAGEM E HOSPEDAGEM

Decolar: segundo informações da empresa, a prioridade são os passageiros que estão em viagem e querem retornar aos seus lares, e também os que viajam em menos de 3 dias. "Nosso compromisso é resolver cada caso e, por isso, é fundamental começarmos pelos mais urgentes", diz nota no site da Decolar.

No caso de viagens agendadas em menos de 3 dias da reserva, o cliente pode realizar a alteração da data ou cancelamento da reserva online. No caso de viagens superior a este período, a Decolar informa que o cliente deve aguardar porque as políticas de alteração podem mudar.

Airbnb: o app que faz intermediação entre hóspedes e donos de imóveis anunciou a ampliação, para todas as regiões do mundo, da "Política de Causas de Força Maior para o Covid- 19". A medida permite que todos os anfitriões e hospedes realizem o cancelamento de hospedagens sem custos ou penalidades. A medida se aplica para reservas com datas de check-in entre 14 de março e 14 de abril de 2020 - mas não à China continental, que deve retornar às regras normais a partir de 1º de abril.

A empresa já havia dito que iria facilitar o cancelamento de hospedagens não somente dos lugares incluídos na política de causa de força maior e diz que os hóspedes que utilizarem o Airbnb para realizar uma reserva terão acesso a filtros de pesquisa que mostram a política de cancelamento mais adequada com o perfil de cada viajante (flexível, moderada ou severa) e as perspectivas atuais do Covid - 19. Os anfitriões terão acesso a novas ferramentas para autorizar reembolsos extras diretamente na plataforma.

Booking: site de buscas de hospedagem diz que está "monitorando de perto os acontecimentos, inclusive os anúncios da Organização Mundial da Saúde (OMS), dos governos e das autoridades locais relevantes, a fim de apoiar as partes impactadas. Isto inclui oferecer cancelamento gratuito ou modificação da reserva para as pessoas viajando para ou oriundas de áreas afetadas". A companhia recomenda contato para mais informações pelo serviço de atendimento.

Trivago: em nota, a Trivago informou que é uma plataforma que apenas agrega hospedagens, e não realiza as reservas diretamente. "Qualquer cancelamento é resolvido entre o proprietário do imóvel e o hóspede, ou hotéis no caso."


Voltar


Comente sobre essa publicação...