Semana On

Quinta-Feira 09.abr.2020

Ano VIII - Nº 387

Veí­culos

Como andar de carro com segurança: tire os vírus da cabine

Contran suspende prazo da CNH e de outros serviços do Sistema Nacional de Trânsito

Postado em 24 de Março de 2020 - G1, Semana On - Edição Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O veículo pode ser um reservatório de vírus e também vetor de transmissão. Em outras palavras, caso esteja infectado pelo coronavírus, pode transmitir doença onde estiver. Por isso, é importante tomar algumas precauções para evitar a infecção.

O primeiro conselho, de acordo com o médico Aly Said Yassine, especialista em medicina de tráfego do Detran-SP, é manter as janelas abertas, para promover a circulação de ar dentro do veículo. “É importante fazer o ‘turnover’ aéreo”, diz Yassine, referindo-se à necessidade de troca de ar do interior do carro.

O ar-condicionado tende a fazer o ar circular dentro do veículo – às vezes sem a necessária renovação com o do exterior. Se o vírus estiver na cabine, irá se espalhar mais facilmente entre os ocupantes.

Higienizar com frequência as superfícies é outro ponto destacado pelo médico, que trabalha também no Hospital Sírio Libanês. A limpeza deve ser feita em todas as partes tocadas por motorista e passageiros. No caso do condutor, o especialista cita cinco áreas que merecem atenção: volante, alavancas de câmbio e de freio de estacionamento. Maçanetas (internas e externas) e teclas dos vidros elétricos, além dos comandos de som, por exemplo, também são importantes. Para a higienização, o especialista recomenda uso de álcool com 70% de concentração ou uma solução com água e detergente.

Carros de aplicativo

Aos passageiros, especialmente os de táxis e carros de aplicativo, Yassine recomenda tocar o mínimo possível nas superfícies. “O ideal é mexer só onde é necessário. Afivelar o cinto de segurança, fechar a porta e ponto final.”

Segundo o médico, o vírus pode resistir de dois a três dias em um banco de couro, e de cinco a sete dias em assentos de tecido. A limpeza deve ser refeita toda vez que houver um “movimento novo”, como mexer em dinheiro ou em máquina de cartão, por exemplo.

Para impedir que o veículo se transforme em um vetor de contaminação, Yassine diz que é fundamental que quem tiver sintomas do coronavírus não saia de casa. O médico lembra que um motorista profissional (de táxi ou aplicativo) pode entrar em contato com 30 pessoas em um dia normal de trabalho.

Ele também aconselha a prática da “etiqueta respiratória” pelo motorista e ocupantes do carro. “Deve-se usar máscara e cobrir o rosto com o antebraço ao espirrar ou tossir.”

Volante é foco

Uma pesquisa realizada nos EUA no ano passado apontou o volante como a parte mais suja do carro. E a cabine pode ter mais bactérias do que um assento sanitário. O estudo, feito por um portal de aluguel de carros, mediu a quantidade média de bactérias existente por centímetro quadrado, ou unidades formadoras de colônias (CFU, em inglês). Foram encontradas 629 CFU no volante, ante a média de 172 CFU em assentos de vasos sanitários.

 Prazos

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou uma deliberação ampliando e interrompendo os prazos de processos e de procedimentos dos órgãos do Sistema Nacional de Trânsito.

A medida, diz o Contran, busca auxiliar a população no enfrentamento dos impactos do novo coronavírus no setor de trânsito e transportes brasileiro.

"Estamos considerando a necessidade urgente de se evitar aglomerações nos órgãos de trânsito e nas entidades públicas e privadas prestadoras de serviços afetos ao trânsito, além de ajudar caminhoneiros e motoristas profissionais", diz o diretor do Denatran e presidente do Contran, Frederico Carneiro.

As mudanças anunciadas pelo Contran:

- o âmbito da fiscalização, ficam interrompidos, por tempo indeterminado, os prazos para que o condutor possa dirigir com Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida desde 19 de feveireiro;

- a interrupção vale também para a Permissão de Dirigir (PPD), para expedição de Certificado de Registro de Veículo (CRV) em caso de transferência de propriedade de veículo adquirido desde 19 de fevereiro e para o registro de licenciamento de veículos novos – desde que ainda não expirados;

- o prazo para conclusão do processo de habilitação passou de 12 para 18 meses. Isso significa que quem começou o processo de habilitação em março do ano passado e ainda não concluiu, por exemplo, terá até setembro pra concluir o processo.

Também estão interrompidos por tempo indeterminado os prazos para:

- defesa de autuação;

- recursos de multa;

- defesa processual;

- recursos de suspensão de direito de dirigir e cassação do documento de habilitação;

- para identificação de condutor infrator.


Voltar


Comente sobre essa publicação...