Semana On

Domingo 05.abr.2020

Ano VIII - Nº 387

Comportamento

Cheirar a roupa da pessoa amada pode ajudar você a dormir melhor

É a ciência quem diz: em estudo, participantes expostos ao perfume do parceiro durante a noite tiveram uma melhor qualidade do sono — mesmo que a pessoa em questão não estivesse presente

Postado em 17 de Março de 2020 - Galileu

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O cheiro do seu amado – ou da sua amada – pode melhorar seu sono, segundo uma nova pesquisa da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá. Os pesquisadores descobriram que os participantes expostos ao perfume do parceiro durante a noite tiveram uma melhor qualidade do sono — mesmo se a pessoa em questão não estivesse fisicamente presente.

"Nossas descobertas fornecem novas evidências de que apenas dormir com o perfume de um parceiro ajuda na eficácia do sono. Nossos participantes tiveram uma melhoria média de mais de 2%", disse Marlise Hofer, principal autora do estudo, em comunicado.

Os pesquisadores analisaram dados do sono de 155 participantes, que receberam duas camisetas de aparência idêntica para usar como fronhas. Uma das peças de roupa havia sido usada pela pelos respectivos cônjuges dos voluntários, enquanto a outra estava limpa ou fora utilizada por um estranho.

Para garantir que o cheirinho do parceiro ou parceira fosse preservado, os especialistas pediram que eles não utilizassem perfumes ou desodorantes, nem fumassem ou comessem alimentos que pudessem afetar o odor corporal. As camisetas, então, foram congeladas para que não houvesse alterações no cheiro.

Após uma noite dormindo com cada camiseta (sem saber qual era qual), os voluntários preencheram formulários sobre o quão descansados se sentiam. Além disso, o sono foi monitorado a partir da movimentação dos participantes durante a noite.

"Os dados da inspeção do sono mostraram que os participantes experimentaram menos movimentos e reviravoltas quando expostos ao cheiro de seus parceiros, mesmo que não estivessem cientes de qual perfume estavam cheirando", disse Frances Chen, que também participou do estudo.


Voltar


Comente sobre essa publicação...