Semana On

Quinta-Feira 13.ago.2020

Ano IX - Nº 405

Mato Grosso do Sul

Secretaria de Saúde monitora dez casos de suspeita de COVID-19 no Estado

Interior e capital articulam ações preventivas para enfrentamento ao coronavírus e dengue

Postado em 13 de Março de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) monitora dez casos suspeitos de coronavírus (COVID-19), sendo um em Aparecida do Taboado, um em Dourados, dois em Três, Lagoas e seis em Campo Grande.

Desde o dia 25 de janeiro, foram registradas 33 notificações de casos suspeitos do coronavírus em Mato Grosso do Sul, sendo que 23 casos foram desconsiderados para Covid-19. Destes, oito foram excluídos por não se encaixarem na definição de caso suspeito do Ministério da Saúde. Seis foram descartados por serem diagnosticados com influenza A, após exames do Lacen.

Foram descartados um caso em Ponta Porã e nove em campo Grade por darem negativo no exame para coronavírus, realizado pelo Instituto Adolfo Lutz (IAL), em São Paulo.

Dos dez casos em investigação, três estão no Lacen para a realização de exames preliminares para Influenza e mais oito tipos de vírus respiratórios. Sete já passaram pelo exame de triagem do Lacen e foram enviados para o Instituto Adolfo Lutz (IAL), em São Paulo, para serem pesquisados outros tipos de vírus respiratórios, incluindo o novo coronavírus (2019-nCOV).

Estado e Município articulam ações preventivas

A SES e a Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande (Sesau) articulam ações conjuntas para enfrentamento da dengue e do Covid-19. Essa parceria vai possibilitar a ativação de 104 leitos.

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, destacou que essa união será de extrema importância no combate a essas doenças. “O Governo e o Município estão preparados para este novo desafio em nosso Estado. Estamos tomando medidas preventivas visando atendimento ágil e eficiente à população”, destacou.

Entre as medidas estão o custeio e reativação, pelo Estado e pelo Município, de 60 leitos de enfermaria e 10 leitos de UTI no Hospital do Pênfigo. Os leitos serão usados para internação clínica de casos de dengue e também serão utilizados para casos suspeitos de coronavírus e que venham a necessitar de isolamento

Também serão ativados 34 leitos no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, sendo 25 leitos semi-intensivos e nove leitos de UTI. O Município irá fornecer recursos humanos para possibilitar o funcionamento dos leitos e o Estado irá realocar, de forma emergencial, servidores da Saúde para atendimento no Regional. 

Segundo o secretário Geraldo Resende, o governador Reinaldo Azambuja garantiu o aporte dos recursos necessários para a locação de equipamentos destinados à implantação dos leitos de UTI no Hospital Regional e também para a contratação de recursos humanos. “O Governo do Estado não tem medido esforços para levar saúde de qualidade para a população e para que Mato Grosso do Sul esteja preparado para, caso necessário, enfrentarmos casos de coronavírus no Estado”, completou o secretário.

Laboratório Central de MS fará testes para o novo coronavírus

O Laboratório Central de Mato Groso do Sul (Lacen/MS), vai iniciar, nos próximos dias, os exames específicos para o novo coronavírus que atualmente são realizados pelo Instituto Adolfo Lutz (IAL), em São Paulo.  Para tanto, no último dia 9, o Ministério da Saúde enviou 10 kits que possibilitam a realização de 240 testes.

Na próxima semana a bioquímica Gislene Lichs, do Lacen/MS, irá para a Fiocruz, no Rio de Janeiro (RJ), onde fará um treinamento de dois dias sobre os procedimentos técnicos utilizados nos testes do coronavírus. Até o momento, o Laboratório Central de MS realiza exames para oito tipos de vírus respiratórios, entre eles o influenza.

Com a habilitação para o diagnóstico do coronavírus, não haverá necessidade de, após os testes no Estado, enviar as amostras para São Paulo, o que irá garantir mais agilidade no conhecimento dos resultados em casos suspeitos da nova doença.

O exame para o novo coronavírus é um teste de biologia molecular que identifica o material genético do vírus. A cada rodada, com cerca de 30 testes ao mesmo tempo, são utilizados um exemplar positivo e o outro negativo para controle. Na análise o laboratório utiliza amostras de secreções das vias respiratórias (do nariz e garganta). Esses materiais são coletados das pessoas com a suspeita da doença com o uso de swabs, um tipo hastes longas de plástico com algodões em suas pontas, ou aspirados por sonda.


Voltar


Comente sobre essa publicação...