Semana On

Quinta-Feira 28.mai.2020

Ano VIII - Nº 394

Comportamento

O que fazer se as mensagens de texto te deixam ansioso

Se acompanhar as conversas em grupo te sobrecarrega ou as mensagens super curtas te incomodam, essas dicas podem te ajudar

Postado em 03 de Março de 2020 - Taylor Trudon - Huffpost

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Esses pequenos alertas vermelhos na tela do seu celular (você sabe quais) fazem seu coração disparar? Acompanhar a conversa de amigos online pode parecer algo desesperador? A visão de um mísero “ok” como resposta já faz você suar?

Se você é uma pessoa ansiosa, a sua relação com os aplicativos de mensagem pode ser infernal. Embora seja uma ferramenta conveniente para enviar e receber informações, o uso de emojis, abreviações e pontuação (ou a falta deles) pode deixar muito espaço para erros de interpretação e subsequente falta de comunicação.

Também não ajuda que as mensagens de texto sejam mais coloquiais - diferentemente do email - e, portanto, uma resposta mais imediata, geralmente, pareça ser a regra. Mas quer um spoiler? Você não tem a obrigação de estar sempre disponível nos apps de mensagem.

Obviamente, as mensagens de texto existem há décadas, desde os velhos conhecidos SMS até o nosso querido WhatsApp - portanto, esse não é um fenômeno novo. Mas especialistas afirmam que responder ou não às mensagens está se tornando cada vez mais um dilema para as pessoas - especialmente à medida que mais empresas desenvolvem aplicativos com mensagens diretas, legendas, comentários e outras maneiras de se conectar com os outros usuários. Quanto mais “online” você estiver, maior será o seu potencial de ansiedade.

“Eu me refiro a isso como a Sociedade de Gratificação Instantânea″, diz Karla Ivankovich, psicóloga de Chicago. “O imediatismo das mensagens de texto trouxe tantas dificuldades epidêmicas que estão causando um declínio na comunicação do ponto de vista multigeracional. Eu adoraria dizer que isso é apenas uma coisa de ‘millennial’, mas está longe de ser esse o caso. Vejo adultos e até idosos com seus celulares amarrados às mãos.”

Mas o fato de a cultura de mensagens ter entrado em nossa vida cotidiana não significa que ela deva dominar a nossa rotina. Conversamos com especialistas sobre as estratégias que você pode implementar se essas notificações em seu telefone - ou o conteúdo dentro delas - estiverem causando estresse:

Comece identificando de onde vem a sua ansiedade

Reserve um momento para pensar sobre o que exatamente está fazendo com que você se sinta estressado na situação específica de mensagens de texto.

“Esses medos geralmente são fruto de expectativas que não articulamos internamente”, disse Ivankovich. “Seja honesto consigo mesmo sobre como seus medos afetam o seu processo. Muitas vezes, só examinamos o conteúdo das mensagens, e não os processos pelos quais isso continua acontecendo. Avalie os seus padrões que são gatilhos para a ansiedade.

Ivankovich disse que um bom ponto de partida é se perguntar se esse é um problema seu ou da pessoa com quem você está trocando mensagens. Se for seu, avalie a situação. Você pode consertar isso sozinho ou precisa procurar alguém para ajudá-lo a resolver a situação?

Se é problema da outra pessoa, você já conversou com ela? Você criou uma expectativa que ela desconhece? Nesse caso, converse com ela e estabeleça um compromisso que funcione para vocês dois.

“Reconheça o medo da rejeição e como ele se desenrola nesse cenário. É a mensagem de texto que está te deixando ansioso ou o medo de ser abandonado por quem está do outro lado da tela?”, questiona Ivankovich.

E lembre-se: Pensar demais na situação não é uma forma de resolver problemas.

Distraia-se

Mantenha seu cérebro ocupado e seu telefone longe dos dedos nos momentos em que isso estiver lhe causando sofrimento.

“Meus amigos sabem que é um movimento clássico meu enviar uma mensagem levemente arriscada e ligar imediatamente meu telefone no modo avião para que eu não precise ver a resposta”, diz Tess Harkin, 22 anos. “Eu sei que é algo que alguns dos meus amigos também fazem. É reconfortante, porque eu sei até dentro do meu grupo de amigos que outras pessoas se sentem da mesma maneira. Isso normaliza que não há problema em ficar ansioso por conta das mensagens às vezes.”

Outras coisas que você pode fazer para não se sentir tenso é guardar o telefone em outro lugar da casa ou participar de atividades que especificamente mantenham os dedos e mãos ativos, como pintar as unhas ou até tomar um banho.

De qualquer forma, use sua ansiedade em relação às mensagens de texto como motivo para fazer algo que você goste, como ler um livro, praticar ioga ou assistir a um filme.

Comunique as suas necessidades

É simples assim. Por exemplo, se você é alguém que precisa de uma resposta imediata, por favor, expresse isso. Ou se você é alguém que não consegue acompanhar um bate-papo em grupo, comunique isso.

“A preocupação está no que NÃO é dito”, diz Ivankovich. “Se tivéssemos as respostas logo no início, não seria necessário começar a temer o pior.”

Da mesma forma, além das suas necessidades, faça uma análise das necessidades das outras pessoas. Você pode gostar de enviar mensagens o tempo todo, mas isso não significa que certos amigos, familiares ou parceiros se sintam da mesma maneira.

“Preste atenção quando seus amigos estiverem se comunicando com você e entenda qual o estilo de comunicação que funciona melhor para eles”, diz Shivonne Odom, terapeuta de Maryland.

Evite discussões complexas por mensagens

Repita comigo: “Nem tudo precisa ser discutido por mensagem”.

Términos de relacionamento, conversas emocionais - guarde esses temas para conversas pessoais. Isso causará menos ansiedade para você e, provavelmente, encorajará outras pessoas que estão mandando mensagens a fazerem o mesmo (especialmente se você já tiver comunicado a elas o que precisa, como mencionado acima).

“Quando se trata de mensagens de texto, menos é mais”, disse Odom. “Instruções de texto ou perguntas simples de ‘sim’ ou ‘não’, como: ‘Ei, você quer sair?‘. Ou ‘Quando você está livre?’ funcionam muito bem.”

Quanto mais complexa a sua mensagem de texto, maiores são as chances de ela ser mal interpretada.

“Em mais de uma ocasião, tive pacientes entrando em terapia como resultado direto de uma mensagem incompreendida”, disse Ivankovich. “Quando você está cara a cara ou falando por telefone, pode identificar a linguagem corporal que normalmente faz parte da conversa. Além disso, você pode solicitar esclarecimentos muito mais fáceis pessoalmente. Por meio de mensagens, somos destituídos dessa capacidade e geralmente há alguma falha na comunicação.”

Estabeleça limites com o seu telefone

“Considere fazer pausas nas mensagens de texto, mesmo que seu telefone esteja no seu bolso”, diz Ivankovich. “Durante esse período, utilize o recurso de colocar o seu telefone no modo silencioso. Comece com curtos períodos de tempo e desenvolva gradualmente até o momento em que você se sentir confortável ficar algumas horas sem checar as suas notificações.”

Outras estratégias a serem consideradas são deixar o telefone em casa ou reservar períodos específicos durante o dia em que você verá suas mensagens. Você também pode desativar suas notificações se não quiser ser alertado.

Mas não importa o quão estressante possa ser a mensagem de texto, lembre-se de relaxar um pouco e saiba que seus sentimentos são reais.

“Eu tento muito focar no fato de que o que estou sentindo é temporário e que sei que vou me sentir melhor daqui a pouco”, diz Harkin. ”É realmente útil lembrar a mim mesma que meus sentimentos são válidos e, mesmo que eu esteja ansiosa, isso não significa que estou errada. Tenho o direito de sentir como me sinto, independentemente de raiva, ansiedade, felicidade ou o que mais estiver acontecendo. Esses sentimentos são válidos e preciso aprender a gerenciá-los.”

Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês


Voltar


Comente sobre essa publicação...