Semana On

Segunda-Feira 13.jul.2020

Ano VIII - Nº 401

Legislativo

Prefeito fala das dificuldades enfrentadas em Campo Grande e pede união para crescimento da cidade

"Entendimento entre os poderes significa estabilidade", afirmou o vereador João Rocha

Postado em 05 de Fevereiro de 2020 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Os Vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande abriram os trabalhos legislativos de 2020 no último dia 3. Na ocasião, o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, esteve presente na sessão para apresentar a atual situação do município, incluindo informações sobre as finanças e também sobre projetos e investimentos a serem desenvolvidos no decorrer do ano, além de entregar para todos vereadores o Relatório de Gestão referente ao ano de 2019.

Inicialmente, o Prefeito de Campo Grande detalhou as dificuldades encontradas para conseguir recursos para Campo Grande. “Estamos nos esforçando, Campo Grande precisa de melhorias, afinal de contas, é um município que precisa de 3 mil quilômetros de asfalto. Estamos sempre indo à Brasília buscar recursos para que a gente possa atender os anseios da população. Quando nós estávamos no 1° ano de governo a instabilidade política em Brasília era de incerteza, saindo Dilma e entrando Michel e quando fomos visitar o presidente tinha trocado todos os Ministros e estávamos buscando recursos para nossa cidade, quando as coisas começaram andar em Brasília, apresentou-se o Impeachment do Temer, e todos os projetos voltaram à estaca zero, quando começou andar vieram as eleições. Estivemos com o presidente Bolsonaro, todos os projetos apresentados na era Dilma e Temer zeraram e começou o exercício do zero, por isso, atrasou o Rita Vieira, por isso, tivemos dificuldades no BNDES, por isso, que na Caixa Econômica Federal, boa parte dos pedidos da nossa cidade saíam a conta gotas, e só saíam a conta gotas graça atuação dos três senadores e oito deputados, mais o apoio do Governador Reinaldo Azambuja”, contou.

“As coisas no nosso País não andam sem dinheiro, pela primeira vez foram apresentadas 377 emendas pelos parlamentares à Lei Orçamentária Anual, onde foram vetadas 239 emendas e um terço dessas emendas eram pedidos de asfalto, o que dariam 144 milhões de reais e o município não tem esse dinheiro”, complementou.

Marquinhos Trad ainda falou sobre a inadimplência do IPTU de 2020. “Em 2020 tivemos 47% de inadimplência de IPTU, mas não posso deixar de comprar uniforme, material escolar, as cinco merendas diárias”, detalhou.  

O prefeito também falou dos valores arrecadados pelo município por mês. “O município de Campo Grande tem arrecadado por mês 130 a 140 milhões de reais, só a folha de pagamento dos 27 mil funcionários chega a 115 milhões de reais. Sobra para Campo Grande pagar unidade de saúde, combustível do SAMU, material escolar, merenda, fornecedores, pavimentação asfáltica, conta de CCZ, de Planurb, de esporte, de 15 a 16 milhões de reais, bem aquém do que antigamente sobrava, temos feito muito, temos que nos unir para fazer Campo Grande crescer”, afirmou.

“Quero desejar um ano de sabedoria, discernimento e de muita paz para todos parlamentares, pedir perdão se eu não consegui por circunstâncias alheias atender todos os pedidos”, finalizou.

Entendimento

O presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador Prof. João Rocha, voltou a destacar a importância da união entre os três poderes para recolocar Campo Grande no rumo do desenvolvimento. Ele discursou durante a Sessão Inaugural que abriu oficialmente os trabalhos da 10ª Legislatura.

“Essa cidade passou e está passando pelas mãos de vossa excelência, junto com sua equipe de trabalho, e que nesta Casa, juntamente com os vereadores, tem cuidado dessa cidade como cuida da sua casa. Por isso estamos aqui, recebendo com prestígio as autoridades que estão compondo a mesa. Porque hoje fazemos parte de um grupo de homens e mulheres que exercem uma função, um cargo político, eletivo, para cumprir com nossas obrigações. E essa é nossa obrigação, nossa responsabilidade”, discursou Rocha.

Além do prefeito, a solenidade ainda contou com a presença do defensor público-geral de Mato Grosso do Sul, Fabio Rogerio Rombi, do secretário especial de Governo, Carlos Alberto de Assis, que representou o governador Reinaldo Azambuja, do conselheiro do Tribunal de Contas, Waldir Neves, que falou representando o presidente Iran Coelho das Neves, além de vários secretários municipais e lideranças comunitárias.

"Esse entendimento entre os poderes significa estabilidade, que é o que o povo pede. Estabilidade leva ao desenvolvimento, ao crescimento, a qualidade de vida, ao respeito. Este é um ano difícil, um ano onde vamos enfrentar as urnas. Mas, enfrentar as urnas, é receber o povo democraticamente", seguiu o presidente da Casa.

Por fim, João Rocha destacou que mesmo sendo um ano político, os trabalhos na Câmara, seguirão normalmente. "Mas não nos furtaremos em estar aqui nos dedicando a cumprir com as nossas obrigações e o povo que é soberano vai fazer sua avaliação.  Espero que até dezembro, possamos cumprir com nossas obrigações, fazendo o melhor para nossa cidade e que os próximos sejam abençoados por Deus“, finalizou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...