Semana On

Sexta-Feira 28.fev.2020

Ano VIII - Nº 381

Viver bem

Como começar um esporte e não abandoná-lo na 1ª semana

Um guia para nunca mais pagar um ano de academia e só treinar durante o primeiro mês

Postado em 28 de Janeiro de 2020 - Stefani Sousa – Huffpost

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Nunca me identifiquei muito com atividades físicas. Na escola, por exemplo, até me arriscava a jogar queimada ou vôlei, mas sempre terminava sentada na arquibancada conversando com outras amigas.

Na infância tentei fazer karatê. Na adolescência, o judô pareceu um pouco mais coerente. Aos 15, fazer academia era tão descolado. Mas certamente era algo “fitness demais” para mim. Como era possível que alguém gostasse de ficar levantando peso e, no fim, ainda ganhasse uma dor incômoda na coluna por conta disso? Esportes definitivamente não faziam meu estilo, eu pensava.

O mais frustrante dessa história? Eu sempre fui a pessoa que me matriculava superanimada nessas atividades e ia perdendo a vontade de comparecer às aulas conforme o tempo passava. Já perdi as contas de quantos planos semestrais eu fechei com academias, mas só apareci por lá durante o primeiro mês.

No ano passado, comecei a fazer natação. Estar na água era uma ideia que me agradava muito, mas, acima de tudo, aprender a nadar fazia meus olhos brilharem. E não é que, pela primeira vez, foi amor à primeira braçada?

Claro, eu ainda tenho que trabalhar muito a minha disciplina para não faltar aos treino. Não é fácil ter a motivação para acordar às 6h da manhã e ir para as aulas. Mas eu sigo indo. Pelo quinto mês consecutivo. Já estou nadando razoavelmente bem e sinto os benefícios disso para a minha saúde. Podemos ouvir um “amém” por aqui? Obrigada!!!

O fato é: Nem sempre eu gosto de ir para as aulas e, às vezes, posso jurar que meu pulmão está sangrando (é sério!), mas, desde que comecei a praticar o esporte, as minhas crises de rinite e sinusite praticamente desapareceram e eu me sinto muito mais disposta.

E sem querer cair no papo de autoajuda, aqui vai o aprendizado: se eu consegui encontrar uma atividade na qual eu me sinta minimamente bem, qualquer pessoa pode.

Esse processo, porém, foi muito influenciado pela minha curiosidade de observar que algumas pessoas realmente tem paixão por um determinado esporte e, com isso, conseguem conciliar uma rotina muito mais saudável.

É o caso da Larissa Gargaro, 27, editora digital da Glamour Brasil, com quem trabalhei por alguns anos. Gargaro é uma potência correndo e fala com tanto amor sobre isso que te faz querer fazer parte do clubinho da corrida só para sentir toda aquela endorfina.

Em entrevista ao Huffpost Brasil, ela conta que começou a correr aos 15 anos, em um intercâmbio para os Estados Unidos, na tentativa de se enturmar na escola. De lá pra cá, o esporte foi ganhando cada vez mais espaço em sua vida. “É importante encarar a atividade física como uma prioridade, um investimento e um presente para o seu corpo e sua saúde. Não deve ser um sacrifício”, doz.

Ver pessoas reais conciliando rotina e esporte me faz pensar que podemos ser e fazer muitas coisas. Aliás, quase tudo aquilo que sonhamos ser.

Aqui, listamos dicas espertas para você que, assim como eu, entende os benefícios que uma atividade física pode agregar ao seu corpo e saúde, mas não consegue levar a sério nenhuma atividade por muito tempo.

Antes de começar a treinar, entenda como está a sua saúde

Ir ao médico, fazer exames e entender quais são as reais necessidades do seu corpo é muito importante antes de iniciar uma atividade física.

“Fale principalmente com um cardiologista e busque um educador físico que te dê orientações. No começo você sempre vai pensar em desistir, mas o importante é que, com o tempo, vai gostar dos resultados”, explica Marisa Barbin, educadora física e triatleta amadora.

Use do autoconhecimento na hora de escolher o que fazer

Muitas vezes, praticar um esporte porque foi influenciado por outras pessoas pode não ser o melhor caminho. A primeira coisa que você deve pensar é fazer algo que tenha sentido pra você.

Escolher uma atividade da moda pode ser um risco. Muitas vezes as pessoas entram na academia, por exemplo, com a mentalidade de emagrecer, mas sem ter a menor ideia de como funciona a modalidade esportiva.

Quando você não tem a motivação certa para uma atividade, isso se torna muito mais difícil de ser mantido com consistência.

“Por isso, se pergunte sempre: O que combina comigo? O que eu gosto de fazer? Vai ajudar o meu objetivo? Preciso mudar a minha alimentação? Como são os treinos? O que me deixa feliz?”, aconselha a psicóloga esportiva Amanda Farisco.

Faça do tempo seu aliado

Lembrete diário: Até os dias mais corridos podem guardar uns minutinhos para se exercitar.

“Estudos modernos apontam que é melhor fazer uma atividade física por pouco tempo – entre 20 e 40 minutos, por exemplo – próximo ao limite máximo de esforço, do que exercitar-se por mais de uma hora, em uma zona de conforto. Ou seja, o que conta mesmo em termos de resultado é você suar bastante a camisa no pouco tempo que tem”, garante Rodrigo Sangion, personal trainer e dono da academia Les Cinq Gym.

Conheça várias modalidades e faça testes

Nem sempre a primeira atividade física que você experimentar será a certa, por isso comece aos poucos, estabeleça uma rotina e pratique diversas coisas. Quanto mais experimentar, mais vai saber do que gosta ou não.

“Não se sinta pressionado e, caso se sinta entediado, busque outra coisa. No começo você precisa ir se adequando ao que te dá prazer. É normal, o corpo dói e é um momento de adaptação, mas depois, com os benefícios, você vai dando continuidade”, orienta a psicóloga Juliana Sato.

Não se compare ao colega da esteira ao lado e faça menos cobranças

A grama do vizinho é sempre mais verde e, por mais difícil que seja, tente não se comparar.

“Seu colega tem um corpo e um condicionamento diferentes do seu. Além disso, não é porque você se comprometeu a ir três vezes, mas não conseguiu, que nunca mais vai dar certo. A força de vontade aliada ao compromisso é muito poderosa, porque hoje você pode querer e amanhã não, mas seu compromisso é maior. Entender que cada dia é um dia é muito importante”, explica Sato.

Respeite seu processo

Nem sempre os resultados chegam com a rapidez que desejamos, mas é importante ir com calma.

“Para manter a motivação, inicie devagar, respeite seu corpo, ouça a sua respiração e os batimentos cardíacos. Dose tudo isso e vá aumentando ao decorrer da jornada”, explica Barbin. “O excesso de treino pode causar lesões e até mesmo fadiga”, completa.

Não pense muito

A preguiça e o desânimo são recorrentes em quem está começando. A dica de Gargaro (que conta com 3 maratonas no currículo) é não pensar muito e ir.

“Pra mim, correr é um hábito tão forte, que não existe preguiça ou chuva que vão me fazer parar. Então o segredo é persistir e vencer a preguiça diariamente até que se torne um hábito. O despertador tocou? Não pensa muito, só levanta e vai. Vai, vai e vai”, diz.

Não faça planos a longo prazo

Isso porque, no início, você ainda precisa se adaptar e entender como seu corpo vai funcionar com a prática esportiva. Então nada de pagar um ano de academia e ir apenas um mês.

“Pense em um treino por vez. No máximo, estabeleça uma estratégia de treino de um ou dois meses e avalie o resultado. Na medida em que o resultado aparece, a tendência é renovar a estratégia para avançar mais. O resultado é o que move aqueles que não gostam de fazer exercícios”, aconselha Sangion.


Voltar


Comente sobre essa publicação...