Semana On

Domingo 05.abr.2020

Ano VIII - Nº 387

Viver bem

Como acalmar seu estômago após comer demais nas festas de final de ano

Dica: sementes de erva-doce e hortelã são ótimos para relaxar o organismo

Postado em 10 de Dezembro de 2019 - Lee Breslouer - HuffPost US

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A gula é parte integral das festas de fim de ano, assim como o peru e a família. Afinal de contas, quando é que comemos tanto assim? Não aproveitar essa época do ano para se empanturrar é desperdiçar uma oportunidade que não aparece com frequência. Mas comer demais tem seus efeitos indesejados – como ficar se contorcendo no sofá com a barriga cheia. Conversamos com um gastroenterologista e um internista para descobrir como minimizar esses efeitos colaterais pós-ceia. 

Este é seu corpo empanturrado

Antes de saber como sentir-se melhor depois de comer demais, é importante entender o que acontece com seu sistema digestivo. 

“É uma coisa mecânica”, diz ao HuffPost Arefa Cassoobhoy, diretora médica sênior do WebMD. “Quando comemos demais, o estômago se expande mais que o normal. Essa pressão causa desconforto, pois ele começa a empurrar outros órgãos.”

Mas não se preocupe: o estômago é muito adaptável. “O estômago tem uma capacidade incrível de se dilatar e permitir que você coma mais”, diz Rajeev Jain, da Texas Digestive Consultants. “Segundo alguns estudos, o órgão pode aumentar até três vezes de tamanho (nota do editor: há quem diga que ele pode ficar cinco vezes maior!), como uma bexiga cheia de ar – ou, neste caso, cheia de sólidos e líquidos.”

Quando você está comendo muito, seu cérebro não se comunica de forma muito eficiente com o estômago. “Passar da conta nas festas de fim de ano significa que, quando seu corpo envia para o cérebro o sinal de que você está ficando cheio, você ainda continuava comendo”, diz Jain. “A tendência é passar do limite, e a sensação de dilatação do estômago é desconfortável.”

Cassoobhoy explica que, quando o estômago se expande, os efeitos podem ser azia, constipação, gases e inchaço – tudo isso porque a comida está fazendo seu caminho pelo seu aparelho digestivo. Mas cada pessoa apresenta sintomas distintos, então seu desconforto pode ser diferente do de quem está sentado a seu lado na mesa. 

Como evitar o desconforto

Às vezes as melhores dicas são as mais simples. “Não coma demais”, diz Jain. Se você estiver lendo isso depois da ceia, pode pular essa parte! Se ainda não chegou a hora de sentar-se à mesa, eis algumas dicas para evitar os exageros.

Vá devagar

“Se estiver comendo muito, procure espalhar a ingestão dos alimentos ao longo de um período mais longo”, diz Cassoobhoy. “Aí você dá tempo para que ela passe pelo estômago e chegue ao intestino e ao cólon.”

Jain alerta que isso não significa que você pode comer várias porções enormes ao longo do dia todo. Na verdade, o ideal é comer menos, em intervalos espaçados. “Se você controlar [o tamanho das porções], é menos provável que sinta desconforto em comparação com uma pessoa que espera o dia todo para comer e aí passa da conta na hora do jantar.”

Beba água

Cassoobhoy recomenda beber bastante água ao longo do dia, para evitar gases e a sensação de inchaço depois da refeição. “Quanto mais cedo você começar a beber água, melhor”, diz ela. “Até mesmo uns golinhos de água durante a refeição ajudam a diluir os alimentos e reduzem as chances de constipação. Se a comida estava particularmente salgada, o corpo vai usar essa água para processar e eliminar o sal.”

E, se você gosta de água com gás, lembre-se de que algumas pessoas têm maior propensão ficar inchadas ou ter gases por causa das bolhinhas, afirma ela.

Faça escolhas inteligentes à mesa

É difícil deixar de provar um pouco de tudo o que está na mesa. Ainda assim, dá para fazer uma refeição memorável sem passar dos limites.

“Uma forcinha para se controlar pode fazer toda a diferença”, diz Cassobhoy. Ela sugere escolher com cuidado o que você vai colocar no prato. Troque um pouco das comidas mais gordurosas por algum legume ou verdura. Outras dicas: “Use pratos menores. Coma devagar. Preste atenção na companhia e no sabor da comida.”

Finalize a refeição com uma fruta

Não há nada de errado em comer um docinho depois da ceia. Mas as frutas têm fibras, que ajudam o processo digestivo. Jain explica que frutas ricas em fibras e pouco ácidas (como melão e banana) ajudam a reduzir o refluxo gastroesofágico. “Se a refeição foi muito gordurosa, o estômago demora mais tempo para se esvaziar”, afirma ele. “Isso aumenta as chances de que ele fique congestionado e suba para o esôfago, o que causa o refluxo. Se você comer menos gordura e caprichar nas frutas, legumes e verduras fibrosos e não-ácidos, o estômago vai funcionar melhor.”

O que comer e beber depois da refeição

Antes de entrar em detalhes sobre o que vai te ajudar a sentir-se melhor, ambos os médicos afirmam que todas essas dicas têm eficácia limitada depois dos exagero. Adoraríamos oferecer uma solução garantida, mas você provavelmente terá de experimentar e descobrir o que funciona para você.

Coma sementes de erva-doce 

Muitos restaurantes indianos oferecem sementes de erva-doce no final da refeição, e existe um bom motivo para isso. “A teoria é que semente de erva-doce, hortelã, alcaçuz e outros alimentos do tipo ajudam a relaxar o esfíncter esofágico (o músculo que se conecta ao estômago no fim do esôfago)”, diz Jain. “Se você estiver muito cheio, esses alimentos ajudam a aliviar um pouco da pressão.”

Hortelã também ajuda

O relaxamento do esfíncter esofágico também é o motivo pelo qual Jain sugere tomar chá ou chupar uma bala de hortelã. O óleo de hortelã também é o principal ingrediente do remédio IBgard. “Recomendo esse remédio aos meus pacientes que sentem incômodo na parte superior do abdome. A resposta deles é boa.”

Masque chiclete

Se você fica inchado com frequência depois de comer demais, talvez essa solução não seja ideal para você, pois Jain afirma que a maioria das pessoas tende a engolir mais ar quando estão mascando chiclete – ou seja, a sensação de inchaço é ainda pior.

Mas, no caso do refluxo gastroesofágico, o chiclete pode ser uma ótima opção. “Você saliva mais quando está mascando chiclete”, observa Jain. “A saliva contém bicarbonato e é uma das primeiras linhas de defesa contra o refluxo.”

Sente-se ereto ou dê uma caminhada

Quem sofre de azia deve prestar atenção a esse conselho de Cassoobhoy. “Se quiser evitar a sensação de queimação, uma das melhores coisas a fazer é ficar com a postura ereta”, diz ela. “Se você se deitar logo depois de comer, são maiores as chances de que a comida volte para o esôfago. É importante ficar em pé ou sentado em postura ereta durante algumas horas depois de comer.”

Jain afirma que “caminhar ajuda com o que chamamos de esvaziamento gástrico ou esvaziamento estomacal. Dê uma volta, faz muito bem!”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.


Voltar


Comente sobre essa publicação...