Semana On

Terça-Feira 07.abr.2020

Ano VIII - Nº 387

Campo Grande

Parceria entre Governo do Estado e Prefeitura levou mais de 100 km de asfalto aos bairros e valorizou imóveis

Aberta licitação para concluir 3º acesso à universidade e 8,3 km de recapeamento e pavimentação

Postado em 05 de Dezembro de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Entre obras concluídas e em andamento, a Capital de Mato Grosso do Sul recebeu mais de 100 km de asfalto nos últimos meses, abrangendo diversos bairros. Os avanços são fruto da parceria Juntos Por Campo Grande, onde Governo do Estado e Prefeitura Municipal se unem para proporcionar melhorias à cidade, seja na região central ou bairros antes considerados “afastados”.  

Nova Lima, Atlântico Sul, Alto São Francisco, José Tavares do Couto, Mata do Jacinto, Bellinati, Sírio Líbanes, Vila Nasser, Jardim Anache, Aero Rancho, Jardim Anápolis e Jardim Seminário, estão entre os bairros que receberam pavimentação asfáltica e drenagem como resultado dessa parceria, que além de melhorar a qualidade de vida dos moradores, valorizou os imóveis da região.

Em visita aos locais onde as obras já foram finalizadas, o secretário especial de Gestão Política de Campo Grande, Carlos Alberto de Assis, destacou os avanços já realizados e que beneficiam a população. “Essas melhorias que vem sendo realizadas nos bairros, vão muito além de pavimentação asfáltica. Para alguns é um sonho de décadas, enquanto que para outros representa a valorização do seu imóvel. Para nós, gestores públicos, é gratificante acompanhar toda essa transformação na cidade”, pontuou.

Os moradores e comerciantes celebram esse novo momento, e classificam as entregas como uma grande realização para todos. Neide Soares dos Santos, moradora do Zé Tavares, destacou a agilidade dos gestores no atendimento às demandas da comunidade. “Nós precisamos dessa união, porque a união faz a força”, diz ela.

Para Rednei do Nascimento, junto com o asfalto veio também a dignidade. “Antigamente a gente tinha vergonha de falar que morava no Nova Lima, hoje a gente tem orgulho de falar que mora aqui. Sem contar que os governos melhorando a cidade, o morador e o comerciante também ficam entusiasmados a investir também. É um ciclo”, destacou o morador que é microempresário na região.

Com mais de 85% do asfalto concluído nos conjuntos habitacionais Oscar Salazar, Parque Iguatemi e José Tavares, os investimentos somam R$ 18,1 milhões – sendo, R$ 11,5 milhões de recursos do PAC Pavimentação, contratado pela Prefeitura, e R$ 6,5 milhões de contrapartida do Governo do Estado – e contemplam execução de obras de drenagem, pavimentação e recapeamento. Nessa região as obras abrangerão quase 6 quilômetros de drenagem, 14,9 km de pavimentação de aproximadamente 45 ruas.

A parceria também permitiu a instalação de duas rotatórias nos cruzamentos da Martim Afonso de Souza com a Rua Major Giovani e a Avenida Francisco Pereira Coutinho, que será mais uma alternativa de acesso viário para a região central da cidade.

Novas ações

A Prefeitura de Campo Grande lançou as licitações e planeja iniciar, no primeiro trimestre de 2020, mais de R$ 13,8 milhões em obras que incluem  8,3 quilômetros de recapeamento e 4,2 km de pavimentação. Serão atendidos moradores de sete bairros, Coophatralho, Monte Castelo, São Francisco, vilas Lidia, Marli e Jardim Seminário,  que integram os complexos Sírio Libanês (R$ 6 milhões)   e Seminário (etapa A, R$ 7,8 milhões).

Os projetos contemplam também drenagem, intervenções  para o controle de enchentes, calçadas, meio-fio e sinalização horizontal e vertical.  Está previsto, por exemplo,  o término da pavimentação  da Rua Marechal Câmara, via que servirá como terceira alternativa de acesso à Universidade Católica Dom Bosco.  Na UCDB, estudam 10 mil acadêmicos que hoje se utilizam da Avenida Tamandaré (aqueles que vem do centro) e Rua Cardeal Arcoverde, que atravessa o Jardim Seminário.

Segundo o secretário Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese, no caso do Jardim Seminário (Etapa A), as obras não foram concluídas porque a empreiteira vencedora da licitação pediu rescisão do contrato.  Em 2017, foi aberto  o trecho final da Marechal Câmara, feita a travessia (com galerias celulares) sobre o Córrego Seminário, além de pavimentada a primeira quadra (a partir da Rua Tenente Lira).  Também foi   remanejada a  rede de energia elétrica que ocupava parte do traçado projetado da pista. Agora será concluído o trecho remanescente,  de 1,4 km.

Também no Jardim Seminário serão asfaltadas as ruas São Faustino,  Ibia e Teodomiro Serra. No Bairro São Francisco, receberão pavimentação as ruas Seriema, Araras, Luisa Ribeiro, Bem Te Vi; Doutor Laureano ; Theodoro Serra  e 2 de Outubro.  Estão programados 2,5 km de recapeamento, os últimos 700 metros da Avenida Tamandaré que ainda não receberam pavimento novo; além da Rua do Seminário e da Avenida Padre João Falco.

Controle de enchentes

Neste pacote de projetos, uma obra que o secretário Rudi Fiorese considera “estrutural” é a drenagem e pavimentação de algumas ruas das vilas Marli e Lídia, situadas na margem esquerda (sentido centro-bairro) da Avenida Tamandaré. O objetivo é criar uma rede de drenagem para escoamento das águas pluviais  até o Córrego Frutuoso (afluente do Segredo) que atravessa a Tamandaré.

Quando chove forte, toda esta enxurrada pressiona a drenagem de um bairro vizinho, o Jardim Paradiso, colocando em risco a pavimentação de ruas como Ângela Abdulahad e Carlota de Almeida Lemos, onde o asfalto teve de ser refeito em fevereiro após uma chuva intensa.  Estão programadas obras nas ruas Lindóia , Monte Azul, Itabira; Benedito Terra, Rosário Congro, Bonança e  General Benedito Xavier.

Com saldo de recursos do contrato do Complexo Sirio Libanês, serão executados 5,8 km de recapeamento, abrangendo a Avenida Florestal e a Rua Bacabal, acessos ao conjunto habitacional Coophatralho, além da  Avenida Julio Maksoud, no Bairro Monte Castelo.


Voltar


Comente sobre essa publicação...