Semana On

Sexta-Feira 13.dez.2019

Ano VIII - Nº 375

Comportamento

Pensar demais é normal? Aqui está o que acontece com seu corpo

Se você revive as conversas antigas, insiste em pensar nas suas decisões ou fica preso em um túnel de "e se", há uma boa chance de você ser uma pessoa que pensa demais. E isso pode ter algumas consequências surpreendentes para o seu organismo

Postado em 26 de Novembro de 2019 - Julia Ries - HuffPost US

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Se você revive as suas conversas antigas, insiste em pensar nas suas decisões um milhão de vezes ou sempre fica preso em um túnel de “e se”, há uma boa chance de você ser uma pessoa que pensa demais. 

Essa ruminação generalizada e a obsessão excessiva por alguns tipos de pensamento tornaram-se uma espécie de epidemia. Um estudo da Universidade de Michigan revelou que 73% dos adultos entre 25 e 35 anos pensam demais, assim como 52% das pessoas de 45 a 55 anos.

Curiosamente, a pesquisa também descobriu que muitas dessas pessoas acreditam que estão realmente fazendo um favor a si mesmos quando insistem em seus pensamentos. Mas a verdade é que pensar demais é um exercício perigoso que pode ter muitas consequências negativas para o nosso bem-estar.

Como coloca David Spiegel, diretor do Centro de Stress e Saúde da Stanford Health Care, “há momentos em que a preocupação com o problema é muito pior do que o próprio problema”.

Aqui está o que acontece com seu corpo quando você pensa demais:

Você acaba agindo menos

Pensar demais cria tantas opções, escolhas e cenários que você acaba incapaz de tomar uma decisão - um conceito chamado paralisia da análise.

“Você pode ficar preso em conseqüências potenciais de uma decisão que podem até não acontecer. Se a gente apenas se preocupar com determinados resultados, eles podem nos paralisar ou nos impedir de tomar uma ação”, disse Rajita Sinha, diretora do Yale Stress Center.

Se você não tentar as coisas, também não vai falhar. À primeira vista, isso pode ser benéfico. Mas se você nunca falhar, você também pode nunca acertar.

Ficar nesse redemoinho de pensamentos acaba deixando as nossas opções verdadeiras muito nebulosas, e isso atrapalha o nosso discernimento.

“Seu instinto é anulado porque você tem muitas outras informações, e talvez você não faça as escolhas certas para você naquele momento”, disse Laura Price, professora assistente clínica do departamento de psiquiatria da NYU. Langone Health.

Você é menos criativo

Um estudo do Reino Unido descobriu que quando certas partes do seu cérebro e processos cognitivos estão em paz, você é mais criativo. Pensar demais pode fazer com que você fique preso e fique sem ideias ou novas soluções. 

Outro estudo de Stanford chegou à mesma conclusão. Os participantes foram conectados a máquinas de ressonância magnética (RM) e solicitados a desenhar uma série de imagens - algumas fáceis de ilustrar, outras difíceis. Quanto mais difíceis as imagens eram desenhadas, mais os participantes tinham que pensar e menos criativos eram seus desenhos. Por outro lado, quanto menos pensamento envolvido, mais criativos as imagens.

Em resumo, pensar demais parece colocar um limite na sua criatividade.

Seus níveis de energia podem cair

É preciso muita energia mental para pensar demais. Seu cérebro está gerando tantos pensamentos e cenários diferentes que realmente não estão indo em direção a algo produtivo.

“A energia mental sem qualquer tipo de saída pode deixá-la fatigante e parecer que você está exausto porque passou muito tempo enfurnado na sua própria cabeça”, disse Price.

Spiegel acrescentou que, quando pensamos demais e nos estressamos, nosso corpo produz cortisol, o hormônio do estresse. Com o tempo, essa liberação constante de cortisol pode causar esgotamento.

“É como dirigir seu carro na marcha errada. Seu motor está funcionando, mas você não está indo muito longe”, disse Spiegel.

Você pode perder o sono

As pessoas que pensam demais lutam para conseguir dormir, arrastando os pensamentos em vez de se desligar e fechar o olho.

Seu corpo precisa entrar em um estado de calma para dormir - sua freqüência cardíaca precisa diminuir, assim como sua pressão arterial e respiração.

Analisar em excesso pode ser excitante, especialmente quando os pensamentos são mais ansiosos. Isso pode tirar você do estado de calma que seu corpo precisa para dormir, de acordo com Spiegel.

E uma vez que seu sono começa a ser penalizado, é fácil ficar preso em um turbilhão desagradável de exaustão no seu dia a dia.

Seu apetite pode mudar

Pensar demais pode ter um impacto profundo no apetite das pessoas. Para alguns, pode suprimir o apetite e, para outros, pode aumentá-lo - o que é mais comum.

Spiegel chama isso de “comer por preocupação” e disse que as pessoas fazem isso porque pode ser uma distração ou até mesmo uma espécie de calmante.

Muitas pessoas tendem a procurar as coisas mais saborosas e não saudáveis quando estão estressadas, disse Spiegel, observando que há uma razão pela qual alimentos açucarados e com alto teor de gordura são chamados de “alimentos de conforto”.

Além disso, o cortisol - hormônio do estresse de que falamos anteriormente - aumenta o apetite e a motivação para comer, de acordo com a Universidade de Harvard.

Veja como controlar sua tendência de pensar demais

O primeiro passo é perceber que você está pensando demais e que você precisa se conscientizar do que está acontecendo.

Depois, você precisa encontrar uma maneira de se distrair, até mesmo com o seu corpo físico, para liberar seus sistemas cognitivos (pense em fazer uma corrida ou praticar ioga, por exemplo).

Exercícios de respiração ajudam a diminuir o ritmo cardíaco e entrar em contato com o corpo - o que, por sua vez, limpa a cabeça.

Você pode fazer, também, um diário dos pensamentos que te acompanham. Teste todos os dias, 20 minutos antes de dormir, escrever uma lista de tudo o que você está preocupando ou precisa fazer.

“O processo de anotação - não digitando, mas realmente escrevendo - tem um efeito de processamento no cérebro para ajudar a tirá-lo desse ciclo de ansiedade”, disse Price.

Conversar com um terapeuta, amigo ou ente querido também pode lhe dar uma nova perspectiva e perceber que algo que parece terrível ou complexo realmente não é tão complicado assim.

Por fim, a atenção plena ou a meditação também podem ajudá-lo a redefinir e organizar sua mente, de acordo com Spiegel, embora isso provavelmente exija um pouco de prática e paciência.

“Não lute contra o problema - deixe-o fluir através de você, como assistir a tempestade passar”, disse ele.


Voltar


Comente sobre essa publicação...