Semana On

Terça-Feira 31.mar.2020

Ano VIII - Nº 386

Coluna

Lideranças do PSL de MS foram ao lançamento da nova sigla de Bolsonaro

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 20 de Novembro de 2019 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Quatro lideranças do PSL de Mato Grosso do Sul, o deputado federal Luiz Ovando, os deputados estaduais Coronel David e Capitão Contar, e o suplente do Senado Rodolfo Nogueira, participaram do lançamento da Aliança pelo Brasil, novo partido que está sendo criado pelo presidente Bolsonaro e que buscará coletar pelo menos 500 mil assinaturas para pedir seu registro na Justiça Eleitoral. Como era esperado, a senadora Soraya Thronicke, que presidente o PSL em MS, não foi ao evento.

Bolsonaro pediu apoio de lideranças para criação da Aliança pelo Brasil em MS

Depois do evento de lançamento da Aliança pelo Brasil no Hotel Tulip, Jair Bolsonaro recebeu a visita de três aliados de Mato Grosso do Sul no Planalto para falar do novo partido. Participaram do encontro, o deputado estadual Coronel David, o deputado federal Luiz Ovando e o suplente do Senado e ex-presidente regional do PSL Rodolfo Nogueira. Indagado sobre o que conversaram, o Coronel David disse ao Blog: "O presidente Jair Bolsonaro pediu nosso apoio para organizar o novo partido em Mato Grosso do Sul. Afirmou que os dirigentes da sigla nos estados não poderão disputar as eleições municipais do ano que vem, pois terão de se dedicar à estruturação da sigla".

Com aval do TRF3, OAB mantém suspensa carteira de advogado de Alcides Bernal

O desembargador Peixoto Júnior, relator da ação no Tribunal Regional Federal da 3ª Região, derrubou liminar obtida pelo ex-prefeito Alcides Bernal na Justiça Federal de Campo Grande contra decisão do Tribunal de Ética e Disciplina (TED) da OAB de Mato Grosso do Sul que havia suspendido seu registro de advogado no fim do ano passado. Com isso, Bernal volta a ficar impedido de exercer a profissão, até que faça a prestação de contas de uma indenização que ele não teria repassado a uma cliente. Bernal é acusado de se apropriar, como advogado de indenização que a Justiça mandou a Vega Engenharia pagar à ex-catadora de material reciclável Dilá Dirce de Souza, atropelada em 1999 por um caminhão empresa, que na época era responsável pela coleta de lixo de Campo Grande. A mulher ficou impossibilitada de trabalhar depois do acidente. A Justiça mandou a empresa pagar 60 salários mínimos (R$ 159,3 mil, em valores corrigidos) e pensão vitalícia. Mas a mulher, conforme a denúncia, não recebeu a indenização repassada ao advogado.

Tereza Cristina sai otimista de reunião com secretário dos EUA sobre carne brasileira

A ministra Tereza Cristina (Agricultura) disse que saiu otimista da reunião hoje com o secretário da Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, em Whashington, quando conversaram sobre vários assuntos, dentre eles a suspensão à importação de carne bovina in natura do Brasil desde 2017. Conforme a ministra, o governo dos EUA está finalizando a análise dos dados que o Brasil enviou e deve dar um posicionamento em algumas semanas. "Vamos aguardar uma decisão deles, eu espero que seja breve mesmo, pela nossa conversa", afirmou Tereza, que já está em Nova Iorque, onde terá novas reuniões amanhã "para atrair investimentos para o agronegócio brasileiro". "Falamos também sobre a necessidade de trabalharmos em conjunto pela expansão mundial do uso do etanol, de modo a tornar a commodity produzida por ambos os países um produto global", disse Tereza. Em fevereiro do ano que vem, a ministra deve voltar aos Estados Unidos para conversar com Perdue sobre a ampliação do AG-5, grupo que reúne os Estados Unidos, Brasil, Argentina, Canadá e México, com a entrada de mais dois países exportadores de grãos.

André devolve comando do MDB a Mochi

O ex-governador André Puccinelli vai passar a presidência estadual do MDB ao ex-deputado e ex-presidente da sigla Júnior Mochi no dia 15 de dezembro, em ato cujo local ainda será definido. A decisão foi tomada em reunião da executiva do partido em Campo Grande ontem. Conforme o deputado estadual Eduardo Rocha, o objetivo é liberar André para atuar na coordenação das eleições de 2020 quando o partido prevê disputar de 40 a 50 prefeituras em Mato Grosso do Sul, além de cadeiras de vereador.

Jamilson é liberado pelo TRE para sair do PDT e diz que ainda não tem nova sigla

O deputado estadual Jamilson Name está liberado para deixar o PDT sem risco de perda do mandato. A decisão foi tomada por unanimidade pelos integrantes do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) ao analisarem o pedido de desfiliação "por justa causa" feito pelo parlamentar, alegando perseguição política. Em maio, o presidente regional do PDT, deputado federal Dagoberto Nogueira, havia assinado autorização para a desfiliação mas ambos seguiram trocando críticas pela imprensa e Dagoberto anulou em junho a autorização. Na ocasião, Jamilson informou que havia pedido ao TRE a desfiliação, agora autorizada pela Corte Eleitoral. Jamilson comemorou a decisão na noite anterior, mas disse ao Blog que ainda não tem novo partido em vista. "Vou analisar, refletir para poder estar dentro de uma agremiação partidária democrática e que possamos ajudar o partido a crescer", afirmou o deputado.


Voltar


Comente sobre essa publicação...