Semana On

Sábado 14.dez.2019

Ano VIII - Nº 375

Legislativo

Definidos todos os membros, CPI da Energisa começa os trabalhos

Comissão tem 120 dias para analisar possíveis abusos nas contas de luz

Postado em 20 de Novembro de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Deputados irão apurar eventuais irregularidades no sistema de medição, na leitura do consumo de energia e outros fatores que estejam relacionados com o aumento expressivo da conta de luz

Estão definidos os deputados que irão compor a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará irregularidades relacionadas à empresa Energisa, concessionária de energia de Mato Grosso do Sul. A composição consta do Ato 61/2019, publicado pela Mesa Diretora da Casa de Leis no Diário Oficial do último dia 19. Os deputados irão apurar eventuais irregularidades no sistema de medição, na leitura do consumo de energia e outros fatores que estejam relacionados com o aumento expressivo da conta de luz. 

Fazem parte da CPI, como membros titulares, os deputados Capitão Contar (PSL) e João Henrique (PL), indicados pelo bloco G-10; Renata Câmara (MDB) e Barbosinha (DEM), com indicação do G-9; e Felipe Orro, pelo PSDB. Os suplentes são, respectivamente, Antônio Vaz (Republicanos) e Evander Vendramini (PP), do G-10; Marcio Fernandes (MDB) e Eduardo Rocha (MDB), do G-9; e Marçal Filho, pelo PSDB.

A instauração da CPI foi anunciada pelo presidente da Assembleia, deputado Paulo Corrêa (PSDB), na sessão do dia 12 deste mês, depois da aprovação de requerimento apresentado por Felipe Orro. Agora, com a designação dos membros, publicada no Diário Oficial, a comissão definirá a presidência e dará início aos trabalhos.

Na sessão em que instaurou a CPI, o deputado Paulo Corrêa falou sobre os recursos humanos, que ajudarão nos trabalhos da comissão. “Temos advogados concursados, que serão disponibilizados para auxiliar nesta CPI. Caso haja necessidade, vamos requisitar servidores de outros órgãos do Estado”, afirmou.

A Comissão tem o prazo de 120 dias para concluir os trabalhos, e a pauta de reuniões e primeiras providências da investigação também serão definidas nesta reunião.

Felipe Orro, autor do requerimento que instaurou a CPI da Energisa na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), reitera que a "comissão vai fazer um trabalho de levantamento de provas para buscar a verdade. Nós queremos que se faça justiça, e caso seja comprovada alguma irregularidade, que a concessionária devolva valores indevidamente cobrados aos consumidores".


Voltar


Comente sobre essa publicação...